terça-feira, 18 de dezembro de 2012

O Reencontro




Eles se conheceram há mais ou menos, 7 anos atrás, e o encantamento foi imediato e recíproco. Se aproximaram e embarcaram num tórrido romance que era composto de altos e baixos. Eles se desentendiam muito, mas se davam super bem. Paradoxal, como toda história de romance.

Esse romance confuso tinha tudo para não dar certo, mas deu, durante um tempo... As diferenças eram gritantes. Moravam em estados diferentes, tinham hábitos diferentes e o emprego de ambos não era nada parecido um com o outro. O desencontro era constante. E as discussões também.

Ele é do samba, é da noite, é da boemia... Ele não é de ninguém.

Do jeito que o romance começou, acabou: Num piscar de olhos. Por uma bobagem e birra dos dois lados eles se afastaram e durante anos, um não teve notícias do outro.

Como a estrada da vida é cheia de curvas, eles se reencontraram numa dessas curvas do caminho...  É como se o tempo não tivesse passado, a alegria foi enorme, e passaram horas papeando, relembrando as coisas engraçadas e chatas daquela época.

O problema é que as diferenças ainda estavam lá. Horas depois do reencontro mágico, da alegria de saber que por mais que o tempo passe, o que existe continua ali, vivo, forte. A verdade é que por mais que passe o tempo eles nunca vão se entender. O clima perfeito foi interrompido por uma discussão que terminou em birra, ambos de carra amarrada e descontentes. Eles foram embora sem se despedir um do outro. E tudo que ficou pra trás, ficou. 

Um sms sem resposta e pronto. Acabou aí. Exatamente como aconteceu no passado.

Verônica





4 comentários:

Debby disse...

Oi Vel
E como nos perdemos por tão pouco não é?
O velho ego acima de tudo e de todos.
Seria tudo tão simples se fossemos mais tolerantes não é?

Amei esse post
Bjs
Debby :)

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Oi Vevel!

Linda a história. Acho que o que sempre unirá um ao outro é essa birra que eles possuem. Gente birrenta é intrigante e por esse motivo encanta. Eu gosto dos birrentos : )

Beijos

Selma

O Divã Dellas disse...

Quem mais torce por esse romance sou eu...
Louca louca pra pular feito pipoca... Em Juazeiro, em Salvador... Em todo canto!
Louca louca pra ver dar certo!
Pra ver a banda tocando dobrado, triplicado...
Iuhuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!
Se joga, amiga... Deixa de bico!
Cinthya

O Divã Dellas disse...

E o bom é saber que não há interesse nenhum nesse seu desejo de que tudo dê certo... É um desejo totalmente desprovido de intensões "carnavalísticas", não é Parça?

Verônica