quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

O Casamento do Ex

(by Cinthya)

Estava Giselle trabalhando numa monótona manhã de segunda-feira. A cabeça cheia dos conhecidos balanços de final de ano. Um 'quê' de nostalgia, uma saudade e uma expectativa, tudo misturado dentro da alma dela.
De repente, do nada, Amanda (amiga de Giselle) diz:
- Gí... Não te conto. Sabe quem casou?
- Quem? 
- Rodrigo. Casou semana passada.
- Ah!
"Caramba! O Rodrigo casou!" pensoua Giselle.
Rodrigo havia sido uma história mal resolvida na vida dela. Uma história gostosa, mas mal resolvida.
- Não posso negar uma ponta de inveja- disse Giselle
- Poxa,  não sabia que ele ainda mexia com você.
- Não é nem por ele em si. É pelo casamento.
Bom, passaram-se dois dias e eis que encontramos Giselle em conversa com outro amigo.
- Tudo bem, meu amigo? Que saudade. Me dê notíca de Ricardo. Passei a noite sonhando com ele. Fiquei preocupada.
- Não sabe? Ricardo casa amanhã.
- Ah!
"Caramba, o Ricardo também casando?" exclamou Giselle para si mesma.
Ricardo era mais uma história mal resolvida que aconteceu com Giselle.
Mas ele também casando?
Giselle começou a indagar se ela estaria certa em suas convicções. Ricardo casara com uma moça que, segundo os preceitos de Giselle, havia agido de má fé com ele, havia ultrapassado algumas barreira do bom senso para fisgá-lo de vez.
Giselle não faria assim, aliás, não fez.
E... Eis Giselle sozinha. E a tal menina casando com o Ricardo.
Não é pelo Ricardo, é pelo casamento. É pela situação.
"Será que estou certa nas minhas convicções?", pensou Giselle.
E isso corroeu seu espírito naquele dia. Um misto de incerteza sobre si mesma, de medo de estar agindo da forma errada durante tanto tempo, um medo de tanta coisa. Ela vendo as pessoas se encontrando, casando e ela... Continuando na sua solteirice.
Giselle nunca foi desesperada para casar, pelo contrário. Mas sempre sonhou em encontrar uma história certa na sua vida.
Olha, quer saber?
Não existe Giselle coisa nenhuma.
Sou eu mesmo, Cinthya Danielle, que estou morrendo de dor de cotovelo pelo casamento dos meus ex.
E, os meus 34 aninhos, me ensinaram a não ter vergonha de admitir isso.
Mas desejo mesmo que sejam felizes, sinceramente...
Felicidade e amor para todos!!!!
Sempre!!!
E viva a Dor de Cotovelo!!!
(risos, muitos risos)

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Péssimas Escolhas

Quem nunca ouviu a famosa frase: "Xiii ela tem um dedinho podre pra escolher  homens"

Pois é, foi isso que aconteceu com Ana Angélica nossa personagem de hoje.

Numa reunião de amigos para a celebração do aniversário de um dos presentes, Ana Angélica encontrou com Marcos um jovem rapaz que reúne todas as qualidades que uma mãe gostaria de ver em um moço para fazer sua filha feliz. Acontece que coração é terra que ninguém manda (como dizemos aqui no nordeste) e Ana Angélica nunca deu trela para as investidas discretas de Marcos, mesmo tendo consciência de todas as suas qualidades e sabendo do amor que ele nutria por ela.
Ana Angélica, moça bonita, menina descolada conheceu Paulo e algo nele chamou sua atenção, e depois de ouvir várias vezes das amigas as frases que lhe soavam como mau agouro, frases do tipo: "Você vai ficar pra titia" "Deus castiga, tantos rapazes bons já passaram por sua vida e você só dispensando" e blá blá blá... De tanto ouvir isso ela resolveu começar um namoro e escolheu Paulo para isso, como a velha frase "quem escolhe demais acaba escolhendo errado" não falha nunca, Ana Angélica, com o passar do tempo, descobriu que Paulo foi uma péssima escolha, além de um namorado chato, inconstante e bipolar, viu um homem acomodado, sem perspectiva e sem sonhos. Ela percebeu que daquele relacionamento não ía muito longe, mas, quis assim mesmo tentar ver se dava certo, ou melhor, fazer com que desse certo (mulher tem sempre a mania de achar que consegue salvar o que não tem salvação), e seu esforço foi em vão, claro. Como miséria pouca é bobagem, a cereja do bolo foi a traição de Paulo que Ana descobriu antes de pôr um ponto final naquele circo.
Ali, naquele dia conversando com Marcos ele se deu conta de como tinha escolhido mal. Por que Paulo e não Marcos? Certamente porque era assim que tinha que ser.
As escolhas que eventualmente fazemos nos colocam a pensar. O bom é que de tudo isso ficam as experiências adquiridas. E na cabeça de Ana a certeza: Ela tem o dedo podre.

Ps. Os nome são fictícios para manter em sigilo a verdadeira identidade dos personagens da história.

Verônica.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Proposta...

(by Cinthya)

Estava assistindo ao show do Roberto Carlos, sábado passado, sentadinha no sofá de minha sala (bem que eu queria estar no camarote, lá em Copacabana... Mas não foi dessa vez), e fiquei lembrando de um dia que falei para um amigo que eu carregava comigo o sonho de ver o  Roberto Carlos conhecer a minha poesia e dizer: "Eis uma Poeta!"...
Podem falar muito dele, que é brega, que é isso ou aquilo... Mas, poucos cantam o amor de forma tão especial. Muito gostoso ouvir suas canções, e perceber como elas se encaixam na nossa vida. Como ele canta exatamente o que estamos sentindo. Acho mesmo pouco provável que alguém não tenha uma música do RC na trilha sonora de sua vida.
As meninas do 3xTrinta (http://3xtrinta.blogspot.com/) fizeram uma lista de preferidas... E em se tratando de RC tem mesmo que ser uma lista porque são muitos os sucessos.
Essa é uma das minhas prediletas. E nesse show o Roberto falou que um dia parou para pensar e viu que já tinha cantado o amor de muitas formas, mas ainda não tinha cantado o amor em sexo. Teve receio, mas foi em frente... E ainda bem que ele foi em frente!
O resultado ficou lindo demais!



Proposta
(Roberto Carlos)

Eu te proponho
Nós nos amarmos
Nos entregarmos
Neste momento
Tudo lá fora
Deixar ficar...
Eu te proponho
Te dar meu corpo
Depois do amor
O meu conforto
E além de tudo
Depois de tudo
Te dar a minha paz...
Eu te proponho
Na madrugada
Você cansada
Te dar meu braço
No meu abraço
Fazer você dormir...
Eu te proponho
Não dizer nada
Seguirmos juntos
A mesma estrada
Que continua
Depois do amor
No amanhecer
No Amanhecer!
Eu Te Proponho!

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Tempo de Amar

(by Cinthya)

Minha Gente,

Pra todos um natal de muita LUZ, de muito AMOR e muita PAZ!
O amor está no ar!
Captemos esse sentimento tão lindo!
E não esqueçam de adotarem uma criança para presentear.
De ontem a noite até agora já passaram 11 presentinhos por mim.
Então, onze crianças serão mais felizes.
Onze sorrisos a mais para iluminar a noite de Natal.
Onze corações palpitando forte de emoção.
Onze mães aliviadas e gratas por verem o filho feliz.
Esse numero pode ser muito maior.
Faça sua parte.

Natal é isso!

Feliz Natal, minha gente!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Natal... Amor... Ação!


(by Cinthya)

Amigos,

Agora o post é sério e requer ação.

Uma amiga do Divã, a Aliny, falou sobre matéria que viu em um jornal relatando as crianças sem natal. Gente, natal já parece com crianças correndo felizes, recebendo seus presentes e guloseimas... A pureza das crianças renascendo em nós, em nossos corações. O próprio Jesus, nascendo (o maior significado).

Natal é isso!!!

Então, saõ tantas, tantas crianças que não têm nada a esperar... Não podemos acabar coma pobreza no mundo, mas o que podemos fazer para amenizar essa situação?

Cada um de nós vai se comprometer em lembrar de uma criança carente a quem se tenha acesso e vai comprar um presente para essa criança. Não falo em presentes caros, mas um presente cheio de amor, de sinceros votos de felicidade. E ao entregar esse presente vai observar o sorriso dessa criança e vai guardar essa imagem consigo como prova de que quando fazemos o bem para alguém, o bem maior fazemos para nós mesmos.

A criança vai ficar imensamente feliz... Recordemos nossa infância... Sabemos a importância de certos gestos...

Tem muito brinquedo baratinho e que pode fazer uma família inteira mais feliz (a criança por receber o presente, e os pais por verem o filho feliz).

E então, todo mundo topa?

Eu já tenho em mente a quem darei o presente...

Natal é isso!

Feliz Natal, minha gente!

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

O Velho Tá Enchendo O Saco!

(by Cinthya)

Gente,

O Velho tá enchendo o saco...
E ligou ontem a noite para o escritório do Divã Dellas e nos disse o seguinte recado:
- Cinthya e Verônica, tenho uma missão pra vocês...
- Fala, Velhinho...
- Preciso que me mandem uma lista de pedidos para esse natal. Falem com os seguidores do Blog, façam um post ou algo assim, mas recolham todos os pedidos que puderem recolher.
- Ok, Velho... É você quem manda.
- Mas tem um porém..
- Sim...
- Falem para as pessoas pedirem algo que realmente fará diferença em suas vidas. Algo que, de fato, as tornará pessoas melhores. Digo melhores no sentido de se tornarem mais humanas e não melhores que as outras pessoas. Peçam para elas expressarem algo que elas tenham certeza de que trará luz pros seus olhos, amor para suas vidas e para a vida de quem elas amam. Digam a elas para fazerem pedidos sinceros, algo que elas acreditem que Deus lhes daria por saber que elas necessitam realmente. Um presente para contemplar a alma, digamos assim.
- Certo, Velhinho.
- Podem fazer isso?
- Claro. Postaremos.
- Obrigado, Meninas.

Enfim, gente, pensem e repensem, peçam ao Velhinho aquilo que, de fato, fará diferença positiva em suas vidas.

Feliz natal, minha gente!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Cadê o Velhinho Do Saco Vermelho?

(by Cinthya)

Gente, hoje já são 21 de Dezembro...
O Velhinho tá batendo na porta com o seu saco vermelho (e epero que esteja cheio de presentes)!!!
Ho Ho Ho!!!
Poxa... Ainda lembro a decepção que senti quando minha madrinha, de forma tão insensível, me contou que Papai Noel não existia, que nunca existira. Chegou a ser doloroso (por que os adultos fazem isso com uma criança?)!
Mas, lembranças dolorosas à parte, estava eu atracada com minha quentinha na copa da empresa e ouvi o diálogo dos colegas:
- Rapaz, cada ano que passa as pessoas perdem mais o espírito de natal.
- É mesmo, cara. Quase não se fala.
- E já estamos na semana do Natal.
- Verdade.
- Daqui a alguns anos essa data será apenas um feriado qualquer. Sem nenhum significado especial.
- É uma pena.
Daí eu comecei a pensar e a comprar o presente com o passado.
De fato, para nehuma empresa que liguei ouvi "Feliz Natal". Em nenhum supermercado, ou  mercearia, ou padaria, ou Banco, em lugar  nenhum ouvi o Feliz Natal.
Até mesmo eu, tenho esquecido de falar... Lembro de ter gritado FELIZ NATAL para o fiscal do Detran quando terminei minha baliza e ele disse: Aprovada!
Lembro disso, mas muito pouco tenho falado e parece que isso é geral.
Caramba, queria tanto que meu filho pudesse vivenciar os doces dias de Dezembro que saboreei na minha infância, adolescência, juventude e início da trintude (casa dos 30). Dias tão sensíveis, cheios de afeto, de abraços, de sorrisos.
Onde está esse sentimento?
Será que somente em Petrolina ele tem sido esquecido? Será que somente no meu campo de visão ele tem deixado de marcar presença?
Sinceramente... Hoje ao chegar em casa conversarei com o meu Pequeno Principe. Falarei para ele sobre o a importância desses dias e inventarei qualquer coisa de diferente para que ele sinta que Dezembro é um mês especial, que pelo menos esses dias serão diferentes, estaremos mais próximos de Deus.
E começarei a sorrir mais, a desejar mesmo Feliz Natal à todos.
Espero, sinceramente, que somente eu tenha sentido essa mudança... E que isso não passe do fruto de uma cabeça cansada das lidas diárias.
Desejo sinceramente que o Natal continue tendo o cheiro e o sabor que minhas lembranças carregam.
E para todos desejo que o Bom Velhinho, tire do seu saco vermelho o presente ideal para cada um: A Paz, O Amor, A Paciência, A Benevolência, A Humildade, A Sabedoria, O Discernimento, enfim.

Feliz Natal, minha gente!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Bom Dia!!!!!!

Sábado de manhã andando pela rua fui surpreendida por um efusivo e entusiasmado "Bom dia!!!"

- Bom dia!!!!!
- Bom dia.
- Mas esse 'bom dia' não é de alegria é só por educação.
- O sr me cumprimentou e eu respondi, não tá bom?
- A vida é tão curta e tão bonita, tem tanta coisa bonita ao nosso redor nós que não exergamos. Na verdade não está bom, porque eu queria um 'bom dia' com alegria, vindo da alma. Mas sua alma não me parece alegre.
- Olha moço, eu estou com pressa, numa outra oportunidade a gente discute a alegria do meu 'bom dia' tá.
- Qual sua graça?
- Verônica.
- Verônica, meu nome é Rudemberg e eu sou muito feliz porque sou abençoado por Deus. Gostaria mesmo que você pudesse ver a vida mais alegremente.
- Tchau, sr Rudemberg! Deus abençoe o senhor e a sua felicidade.

O senhor Rudemberg trata-se, aparentemente, de um senhor de oitenta e poucos anos, deficiente que se movimenta com ajuda de muletas e possui o sorriso mais espontâneo que meus olhos já puderam contemplar. Ele foi o autor do BOM DIA mais alegre que eu já recebi nos últimos tempos. Aquele breve diálogo (onde eu fui muito desagradável, diga-se de passagem) me fez refletir muito e confesso que senti uma mistura de inveja e vergonha de ver tanta alegria numa pessoa com tantas limitações. E olhar mim, uma jovem vendendo saúde, ainda me encontro no direito de andar sisuda e enfezada. Francamente.

Que o BOM DIA alegre daquele senhor contagie a todos nós.

Uma excelente semana e um hiper BOM DIA a todos.

Verônica.

sábado, 18 de dezembro de 2010

Lições de Vida!


(by Cinthya)

Meu gestor adentrou a minha sala feito uma bala e veio em minha direção, me entregou um convite e disse para eu representar a empresa naquele evento.
Apenas olhei, não dei muita importância, mas fui (Claro. Ordem é ordem, né?).
O evento referia-se ao lançamento de um programa voltado para pessoas com deficiência e interessadas em adentrar o mercado de trabalho.
A Lei 8.213/91 obriga as empresas com mais de 100 funcionário a terem cotas destinadas às pessoas com algum tipo de deficiência (ou necessidades especiais). Para estarem em conformidade com a Lei as empresas contratam por contratar, mas findam vendo essa pessoa como um 'peso' a ser carregado.
Eu senti na pele a dificuldade que é conserguir contratar pessoas com necessidades, é uma verdadeira maratona justamente por não encontrar qualificação e experiência.
É aí que entra o BAMEM - Banco Municipal de Emprego. A idéia do BAMEM é justamente qualificar essas pessoas para que as empresas não contratem um deficiente apenas por imposição da Lei, mas sim por se tratar de uma pessoa capacitada e produtiva.
A Rose Andrade é mentora do programa e teve apoio da Prefeitura na Secretaria de Acessibilidade, Secretaria de Desenvolvimento Social e Trabalho e na pessoa do Sr. Prefeito, é claro.
O evento foi recheado de muita sensibilidade e muita lição de vida.
Pessoas que superam seus limites e dão grandes lições de felicidade para nós, os deficientes da alma.
As apresentações musicais e de dança foram feitas por pessoas com algum tipo de limitação. E foi tudo muito lindo.
Me detive no olhar de um cadeirante que, ao terminar a apresentação de dança, procurou o olhar da mãe, com a ansiedade de ver nela a aprovação ao que ele tinha feito.
Não posso responder por ela (a mãe), mas o meu olhar, estava mergulhado em lágrimas de emoção.
Momentos como esses me fazem ter um contato direto com Deus. Senti-lo mesmo tocando em mim.
Obrigada a todos que fizeram do meu final de tarde um Lindo Final de Tarde!

PS: O céu que cobria Petrolina ontem no final de tarde estava encantadoramente lindo!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Lançamento Literário



Gracielly Castro tem 17 anos. É estudante. Faz parte da UBE (União Brasileira de Escritores) de Petrolina/PE. Compõe poemas desde os 9 anos de idade, possui vários contos e poesias.
Dia 16 de Dezembro de 2010, ás 19:00h na Escola Dom Malan,lançará seu 1º trabalho literário: Lágrimas de um Sentimento (poesias) onde reúne diversos sentimentos da alma humana em poemas belíssimos, tais como amor, saudade, alegria, solidão, paixão entre outros que nos arrancam lágrimas.
Lágrimas de um sentimento, de Gracielly Castro. É um livro permeado de poemas cheio de emoção mesclando tristezas e alegrias que invadem nosso coração mexendo com nosso emocional. “Uma simples gota d´agua que jorrada pelo espelho  da nossa alma (olhos) escorre por nossa face, aliviando nossas dores ou emoções. Tal como se fosse, uma gota de remédio amenizando os sentimentos que nos maltrata, e de certa forma nos conforta e nos renova.”
Somente quem ama é capaz de entender OS SENTIMENTO DE UMA LÁGRIMA. Por isso devemos ler para entender Lágrimas de um sentimento.

(Release / Por Zazy)


Vamos abrilhantar o evento!
A Grazy merece, pela história de vida e pelo talento que tem.
Sucesso pra você, menina!

(by Cinthya)

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Se não está me fazendo bem, então vaza...


(by Cinthya)

"Você é a primeira pessoa que conheço que toma uma decisão séria, tipo casar ou ter filho, e só depois é que escolhe a contraparte da história!"

Recebi essas palavras hoje, vindas de um grande ex (?) amor, num e-mail em resposta à minha afirmação de que casarei em 2011, mas ainda não sei com quem.

Ele sempre se surpreende comigo porque diz que tamanha determinação e autenticidade não existe em outra pessoa.

Bom, não sei se é assim, mas sou determinada mesmo no que quero. Não vejo porque ficar fazendo mil e um arrodeios se podemos ir direto no assunto. Pra que ficar enganando a nós mesmos com mentiras se bem sabemos o que anseia a nossa alma?

Se percebo que esse ou aquele relacionamento não está me fazendo bem, é muito simples, escrevo um The End e viro a página. Simples assim!

Alguns ex amores já me ouviram dizer que estava partindo simplesmente por sentir que não era mais aquilo que eu queria. Que não estava mais  me sentindo  bem e feliz na relação. Poxa!!! Se eu não estou feliz num relacionamento, vou insistir nele pra quê? Pra me desgastar? Pra desgastar a contraparte? Pra acabar até mesmo o que de bonito criamos?

As pessoas criam uma dependência boba e acreditam que não podem viver sem o namorado, como se ele fosse uma prótese indispensável para seu bem-estar. E baseadas nisso se submetem a histórias pobres, amores sem brilho, fingimentos e sofrimentos. Apenas para dizer: "Tenho alguém!"... Mas será que tem mesmo?

Eu parto do principio de que não nasci apregada em ninguém (nem irmã gêmea eu tenho), então se eu vivi 34 anos sozinha, posso viver mais um pouco, mas prezo pela qualidade de quem vai dividr a cama e a vida comigo. Tem que ser, no mínimo, alguém que me faça sorrir muito, me sentir plena, amparada, apoiada, útil, bela e amada. Alguém que esteja pronto para ter ao seu lado uma mulher que aprendeu a se virar sozinha, mas que traz em si muita vontade de descobrir as deílias de uma união de sucesso.

Eu não tenho medo de arrumar as minhas malas e ir embora, se eu realmente achar que isso é o melhor a ser feito. Para os homens isso é um risco. Para mim, isso consciência do que quero (e do que não quero).

Bem, não sei se existe cara-metade, mas deve haver algum cara que vai me entender, completar e que, ao lado dele, aquela 'bendita' manhã não chegará tão cedo! E é com esse cara que vou casar em 2011.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Dia Do Rei Do Sertão, Do Nordeste e Do Baião!

 

 

Os encantos do sertão nordestino

(by Cinthya)
O sertão do nordeste é, sem sombra de dúvidas, uma das regiões mais encantadoras do Brasil. O que nos falta em riquezas materiais nos sobra em cultura. Somos um povo extremamente expressivo e sensível, porque sabemos extrair de nossa situação precária a poesia que vem tornar a vida mais doce.

Subir num carro de boi e adentrar as paisagens de nosso sertão é um prazer indescritível. O solo avermelhado anuncia que a vida por esses lados é sempre árdua e apaixonante. A vegetação seca e espinhosa vem comprovar a dureza de se viver por aqui. Por dentro das cercas avistamos o solo rachado denunciando que ali um dia existiu água. Cabeças de bois magros que balançam chocalhos cansados anunciam que há por perto alguma família. Não demora muito e avista-se uma casa de taipa, pequena, de onde saem crianças correndo na maior gritaria do mundo, são tantas crianças que se tem a impressão de que é ilusão de ótica caber tanta gente num recinto tão pequeno. Uma fumaça sai da porta do quintal, um cheiro gostoso de café e de fubá. São agora 17:00hs e o sol ameaça nos deixar. Logo chega um convite para participar do lanche, as crianças já lavadas, com seus chinelinhos remendados com barbante e suas roupinhas de chita sorriem um tanto acanhadas. A dona da casa serve um café quentinho e uma broa deliciosa. Apesar da mesa tosca de madeira, sem toalha, os bancos com as pernas meio bambas,  temos uma sensação de bem-estar que não é comum. Sentamos no terreiro onde o senhor da casa nos espera para uma prosa boa e divertida. Os causos contados são, ora horripilantes, ora entristecedores, mas de uma veracidade um tanto quanto duvidosa. A conversa está muito boa, mas percebemos que a dona já começa a armar as redes mostrando-nos que já é chegada a hora de irmos embora.

A lua aqui é mil vezes mais clara do que em qualquer outro lugar, e as estrelas que cobrem esse céu são bem mais brilhantes e em maior número do que nos céus dos outros lugares. Os nossos pássaros são mais afinados e têm um repertório mais refinado. Até mesmo os cachorros são mais amigos.

É fascinante esse lugar. É fascinante ver a vida brotando num solo seco e quente, é fascinante ver a sabedoria em pessoas que sequer sabem o que é alfabetização, é emocionante você olhar nos olhos de uma criança nordestina, sertaneja e deparar-se com o brilho mais intenso da vida. O sertão nordestino é encantador!


Tenho orgulho de ter nascido a menos de 60 quilômetros da cidade do Exu. Fui concebida nos embalos da sanfona de Seu Lua, desde muito pequena aprendi a amar o seu trabalho. Amo porque ele fala de mim, dos meus avós, meus pais, minha cidade, minha vida, enfim.

Fala  dos nossos medos, das nossas riquezas, da nossa terra, das nossas dores, dos nossos sonhos. Fala com tanta posse do assunto, fala com tanto sentimento e arte que não tem como não emocionar a todos que o escutam.

Enfim, hoje é dia de festa!!!

Viva nosso Luiz Gonzaga, a mais pura e rica expressão da cultura nordestina!

sábado, 11 de dezembro de 2010

Enfim, O Orgasmo!


(by Cinthya)

Mariana estava tensa, sentada diante de sua ginecologista. Sabia que precisava desabafar isso que a sufocava, mas não sabia por onde começar. Até que criou coragem e falou:

- Doutora, não sei o que se passa comigo. Eu... Eu... Eu não consigo sentir orgasmo nas relações sexuais. Aliás, nunca consegui. Acho que não sou normal.

Pronto. Mariana conseguiu falar o que a sufocava há tanto tempo. Começara sua vida sexual bem depois de todas as suas amigas, aos 21 anos e estava prestes a completar 30 e nada de orgasmo à dois. Apenas na sua solidão alcançava o ápice.

Fingiu muitos orgasmos não sentidos e os homens, tolos que são, sentiam-se os ‘tais’ por levarem sua mulher ao paraíso. Como é fácil enganar um homem!

- Mariana, não se acuse e não se preocupe. Existem muitas mulheres na sua situação, mas que preferem continuar fingindo e mentindo para si mesmas e para seus parceiros. – disse-lhe a médica.

Desse dia em diante, Mariana não mentiu mais.  Se ia pra cama com um parceiro, falava sobre sua dificuldade e ao término assumia não ter chegado ao orgasmo.

Mas certo dia, um tal Fernando entrou na vida de Mariana. Dezessete anos a mais de experiência. Vida de cidade grande, inteligente e observador, dono de uma paciência infinita conseguiu (ainda que tenha demorado um pouco), deitar Mariana num leito.

E ela se deixou levar, sentiu-se extremamente segura. Perdeu o medo, a culpa e, simplesmente, mergulhou naquele homem. Ele a ensinou a ser livre. Viajar nos pensamentos sem impor limites. Esquecer os falsos pudores.

Um sexo completamente diferente onde, em momento algum, o egoísmo existiu.

Até então, o Fernando não sabia da dificuldade dela e só ficou sabendo quando ela falou:

- Hoje é um dia diferente.

- Claro. Com você aqui, diferente era o mínimo que esse dia poderia ser.

- Hoje eu tive meu primeiro orgasmo.

Fernando perdeu a cor e o fôlego.

- O quê?

- Hoje tive meu primeiro orgasmo. - Mariana falou da forma mais leve, solta e despreocupada possível.

Foi pedido um vinho e taças. Numa noite linda, um ambiente cheio de uma doce luxúria, Roberto Carlos de música de fundo (“Eu te proponho, nós nos amarmos...”) Mariana, enfim, descobriu as delícias de um amor bem feito.

E muitas manhãs chegaram e encontraram aqueles dois corpos unidos, saciados, felizes. Plenos.

Mariana teve inúmeros outros orgasmos. Aprendeu a ser livre, aprendeu a cobrar do parceiro e a dividir com ele a responsabilidade do sucesso na cama, no sexo. Aprendeu a dizer do que gosta e o que quer que seja feito.

Ela não teve mais notícias dele... E espera que continue preenchendo todas as manhãs com o cheiro do amor saciado por muitos, infinitos orgasmos.

E para as mulheres, fica o recado: Sexo é feito a DOIS! Lembre o seu parceiro disso! Não se permita não gozar por egoísmo dele e vergonha sua. Você tem um corpo a ser explorado. Um desejo a ser saciado. Faça como Mariana: Liberte-se!





sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Em Nome Do Pai... Da Mãe... De Deus...


(by Cinthya)
Parei num posto de gasolina onde tem uma loja de conveniência que serve de point para os adolescentes do lado burguês da cidade. Meninos e meninas de, no máximo, 17 anos... Todos bebendo cerveja ou ice, fumando e se ‘amassando’.
Eu fiquei a imaginar: “Deus do Céu, será que os pais sabem que essas crianças estão aqui fazendo o que estão fazendo?”
Daí o meu amigo, vendo minha indignação, falou: “Na net tem um vídeo de uma menina nua, dançando aí, nesse mesmo lugar onde eles estão... Isso que você está vendo não é nada se comparado com o que rola mais tarde da noite.”
Meu estômago embrulhou na hora. Senti um mal estar terrível porque eu tenho um filho, meu filho vai chegar àquela idade e vai ter amigos e vai sair com eles.
E será que eu saberei o que meu filho andará fazendo, o que pensará ou o que se passará em seu coração?
Faço de tudo para ser sempre a melhor amiga do Pedro. Falo sinceramente com ele, desde o ventre, sobre o que o mundo que o espera. Sobre o que desejo para ele. Sobre liberdade, respeito e amor. Faço tudo o que está ao meu alcance... Mas... Será que é o suficiente? Será que os pais daqueles adolescentes também não fazem isso e, mesmo assim, os filhos se perderam ao longo da estrada?
Eu morro um pouco sempre que vejo um jovem perdido para as drogas. Uma vida sem sonho, sem amor, sem brilho. Mentes tão novas e já mortas... Vidas recentes e já acabadas...
Pais que sofrem por ver os filhos escorrendo entre seus dedos.
E creio, uma dor que beira o insuportável.
Vida para nossos filhos!!!
Muita vida!

Ler É Um Santo Remédio

Final de semana chegando, então deixo aqui algumas dicas de leitura, livros que li e que recomendo sem medo. Aquele(a) que preferir um final de semana mais sossegado em casa curtindo a sua própria companhia, vai apreciar essas dicas.

Vamos a elas:

As Noites das Grandes Fogueiras - Domingos Meirelles
Fruto de 20 Anos de Pesquisas, o Livro do Jornalista Domingos Meirelles Reconstitui a Epopeia da Coluna Prestes, a Marcha que Assustou e Empolgou o Brasil nos Anos 20.


Doidas e Santas - Martha Medeiros
Doidas e Santas reúne cem crônicas que falam direto ao coração de suas leitoras e seus leitores. Nelas, Martha expõe os anseios de sua geração e de sua época, tornando-se uma das vozes mais importantes entre as recentemente surgidas no cenário nacional. As alegrias e as desilusões, os dramas e as delícias da vida adulta, as neuroses da vida urbana, o prazer que se esconde no dia-a-dia, o poder transformador do afeto, os mistérios da maternidade, enfim, o cotidiano de cada um de nós tornou-se o principal tema da autora. Como toda grande artista, ela consuma o sortilégio da literatura: traduzir e expressar o que vai na alma de sua enorme legião de admiradores.


Leite Derramado - Chico Buarque

Uma saga familiar caracterizada pela decadência social e econômica, tendo como pano de fundo a história do Brasil dos últimos dois séculos

Um homem muito velho está num leito de hospital. Membro de uma tradicional família brasileira, ele desfia, num monólogo dirigido à filha, às enfermeiras e a quem quiser ouvir, a história de sua linhagem desde os ancestrais portugueses, passando por um barão do Império, um senador da Primeira República, até o tataraneto, garotão do Rio de Janeiro atual. Uma saga familiar caracterizada pela decadência social e econômica, tendo como pano de fundo a história do Brasil dos últimos dois séculos. A visão que o autor nos oferece da sociedade brasileira é extremamente pessimista: compadrios, preconceitos de classe e de raça, machismo, oportunismo, corrupção, destruição da natureza, delinquência...

A sinopse de cada livro, já consegue passar a mensagem do que eles trazem. Tem livro pra todos os gostos e todos os bolsos. Foi difícil escolher apenas 3 livros para  indicar, posto que tenho ao menos uns 10 considerados como meus favoritíssimos, mas esses três me marcaram muito. Na particularide de suas histórias e sobre o tempo e circunstâncias que foram escritos.

Chico Buarque é fera, ganhou o Prémio Literário Portugal Telecom com esse livro, e foi bem merecido.

Caso tenham dicas de leitura, por favor dividam conosco!

Boa leitura à todos e um ótimo final de semana!

Verônica.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Mulher Gosta é De Pegada



Há mais ou menos duas semanas eu presenciei uma celeuma, onde o alvo da discussão era o gosto da mulher na hora do sexo. Um sabichão, (é assim que ele se acha assim) afirmou com a convicção plena de um profundo entendedor do assunto: "Mulher gosta é de sexo selvagem, com direito a tapa na cara e tudo mais" Foi aí que o tempo fechou, a mais comedida na roda se manifestou negativamente, e rebateu: "Você se acha o bam bam bam, mas não sabe o que diz, mulher gosta é de carinho." Não demorou muito e  a mais saidinha interferiu: "Ah, minha filha... só se for você, porque eu que não gosto desse negócio muito cheio de frescurinha não. Homem pra mim, tem que ter a pegada."

Fui obrigada a expor minha opinião, (que ainda girava em torno do famoso tapa na cara) porque estava presente, mas confesso que só o fiz, porque não tinha jeito, acho muito vazio e desnecessário certos debates, cada um tem a sua opinião e não vai mudar só porque o outro quer, então lá vai:
 "Olha, concordo com a parte que diz que homem tem que ter a pegada, porém existem casos e casos, nunca fui a favor de coisas muito violentas, mas não critico quem curta. O importante mesmo é ter prazer, se tiver prazer ta valendo, quanto ao tapa na cara também não curto, mas isso não significa que seja adepta do 'sexo fofo' procuro o meio termo e tudo dependendo momento, da situação e da companhia. Enfim... o que vale mesmo é defender o prazer, fazer o que tiver vontade. Não se prender a regras, ou inventar coisas só porque 'fulano disse que é assim'.

A celeuma terminou por aí e cada um continuou com a sua opinião,  reforçando a minha ideia de que não vale a pena entrar em atrito por certos assuntos, tá vendo que não adianta tentar forçar e impor a sua opinião ao outro como se a dele fosse errada? Encare apenas como visões diferentes de um mesmo assunto. A generalização em si, é burra. Em todos os sentido, as colocações são relativas, assim como as opiniões.
Fiquei pensando: Será mesmo que existe tanta mulher assim, que gosta de levar tapa na cara? rs
Vai entender, né?
Com tapa na cara ou sem tapa na cara, não abram mão de alcançar o prazer. Afinal, esse é o alvo, não é?


Verônica.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Virando a Página


Conversando com minha amiga Vivi ontem, falando sobre o presente o passado e o futuro e relembrando tanta coisa que já passamos juntas, ela me disse algo que chamou minha atenção. Falando sobre nossa época de farras, festas, viagens e curtição ela disse: "Foi uma época muito feliz na minha vida, mas não quero mais isso pra mim. Vou me lembrar com muita alegria de tudo que nós (Eu, Ela, Camila e Manuh) vivemos, mas quero outras coisas pra minha vida agora. Quero casar, ter filhos, constituir família e me aquietar"
Ainda digo mais, não me arrependo de nenhuma hora de sono perdido nos incontáveis "Virotes" que demos ao longo desse período, ficando em festas até de madrugada e tendo de trabalhar cedo no dia seguinte.
As palavras de Vivi me fizeram pensar muito, é engraçado como nossa vida é feita de capítulos. Cada um com sua importância, suas dores e delícias, mas todos tão essenciais e necessários. Eu vivo todos eles intensamente. É curioso como nosso plano hoje é um, daqui a um mês pode ser outro, sendo que daqui a dois meses podemos nem querer mais isso. Enfim, o grande barato da vida é justamente essa mobilidade é essa liberdade de mudar de rumo e de planos, quando assim acharmos necessário.
Já virei muitas páginas na minha vida, mas tenho o cuidado de não deixar capítulos inacabados (pelo menos tento não deixar) seja um amor mal resolvido, um mal entendido com algum amigo, uma tarefa não executada. Não há nada mais chato que a sensação de improdutividade, o sentimento de estar andando em círculos, ou pior ainda, sentir-se parada no tempo. Uma coisa que me tortura é o arrependimento de não ter feito algo, ah, essa sensação é horrível.
Tive a sorte de cruzar com pessoas maravilhosas ao longo do caminho, agreguei pessoas à minha vida, e valores morais à minha conduta. Algumas dessas pessoas permanecem comigo e caminham ao meu lado, outras ficaram pelo caminho, mas não passei por elas impunemente, toquei e fui tocada de alguma maneira, trouxe um pouco de cada uma e deixei um pouco de mim com elas também.
É nesse pensamento que quero viver, quero passar por muita coisa ainda, mudar de rumo e de planos, quero colaborar muito com o meu biógrafo, quero ter bastante histórias pra contar pros meus filhos e netos. E quero, por mais que eu mude o meu caminho, ter meus amigos sempre perto de mim.
Hoje tenho um monte de sonhos e planos e melhor que ambos, só a liberdade de poder mudá-los ou moldá-los quando bem entender.
Meu problema é que as vezes eu sonho demais e planejo de menos. rs

Verônica.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Afinal, o que querem as mulheres???



Essa é a pergunta que não quer calar: O que querem as mulheres?

Mas, minha mente questionadora vai além: O que querem os homens? O que querem os casais? O que querem os filhos? O que querem os pais?
Vejo casais que reclamam da rotina, filhos que reclamam dos pais e pais que reclamam dos filhos, maridos que se queixam de suas esposas e esposas, que por sua vez, se queixam dos maridos.

Por que o ser humano insiste em NUNCA estar satisfeito? Por que reclamam tanto do que possuem?

Esse seriado da globo está levantando essa discussão em várias rodas de bate-papo. Esse tema é presença constante na lista de assuntos mais conversados.

Uma vez no twitter eu fiz a pergunta: Afinal, o que querem os homens?
Ai um moço me respondeu: "O homem só quer encontrar a mulher perfeita"
Aí surgiu outra dúvida: O que seria considerada a mulher perfeita na opinião dos homens? E o que é um homem perfeito na concepção das mulheres? Haja perguntas...

E é assim com essa caixa de interrogação na mão que eu sigo em frente. Analisando as pessoas, observando o cotidiano que eu espero encontrar resposta pra todas as minhas perguntas.

Verônica.

domingo, 5 de dezembro de 2010

A Minha Força!


(by Cinthya)

Sou uma fortaleza sim, porque ainda não conheci uma dor que viesse a me fazer vencida; porque derramei muitas lágrimas, mas nunca permiti-me afogar nelas; porque tive forças para levantar quando uma ventania forte derrubou todos os meus sonhos, e apesar do amargo da desilusão, eu reconstruí sonho a sonho, em um terreno consideravelmente abalado.
Sou forte porque chorei tão sinceramente cada dor minha que cheguei a confundir-me com ela, e senti uma pressão tão forte no peito que a vida pareceu-me querer fugir . . . Mas a segurei.
Sou forte porque já desci tão profundamente no poço do desespero que acreditei ter encontrado lá uma nova morada, e quando as raízes desse desespero tentaram perfurar meu coração, eu ressurgi com uma luz e uma fé, que apesar de não julgar-me possuidora delas, me impulsionaram à retomar o caminho da esperança.
Sou forte porque nessa vida eu já caí muitas vezes, quedas sérias, graves, mas sempre soube levantar, e guardo as minhas cicatrizes como aprendizado para que futuramente, em outras quedas,  as dores já não sejam tão profundas.
Sou forte porque choro as injustiças, as desigualdades , a falta de Amor nos corações, mas ao mesmo tempo mostro com meu exemplo que o mundo pode e vai mudar, para melhor.
Sou forte porque mesmo mergulhada em meus problemas, engoli o choro ao telefone para poder dizer a um amigo as palavras de encorajamento que ele precisava ouvir.
Sou forte porque repito pra mim mesma, olhando nos meus olhos através do espelho, que EU SEREI FELIZ, PORQUE ACREDITO NISSO e não importa o tamanho do problema, da dor, do medo, não importa o que exista contra mim, não importa as forças negativas que me empurrem para o precipício, não importa quantos queiram o meu mal, o que importa é que EU quero ser feliz, o que importa é que EU sei que sou responsável por minha felicidade, pela busca dos meus sonhos.
Sou uma fortaleza porque EU SEREI FELIZ, EU ACREDITO NISSO e minha fé é muito mais forte do que qualquer medo, dúvida ou outra coisa.

sábado, 4 de dezembro de 2010

Com Vocês, A Loucura!



(by Cinthya)

E sobre aqueles que vivem como querem viver e são como querem ser, a Loucura diz:

...Todo mundo zomba dessas extravagâncias, e aqueles que as cometem são vistos como loucos, como de fato o são. Mas eles pouco se importam. Satisfeitos consigo mesmos, nadam num mar de delícias, saboreiam em grandes goles os amáveis prazeres; em suma, gozam da felicidade que lhes ofereço. Os que acham tudo isso ridículo que me digam se não é preferível passar assim a vida numa loucura deliciosa, do que pensar em todo instante em enforcar-se! É verdade que todos esses loucos são desonrados aos olhos do público; mas que lhes importa? A desonra é um desses males que eles não sentem, ou, se o sentem às vezes, conseguem logo expulsar seu sentimento desagradável. Uma pedra cair sobre a cabeça, eis um mal! Mas a vergonha, a infâmia, a desonra, as injúrias só prejudicam os que as admitem. Um mal não é um mal para quem não o sente. Todo povo te vaia; que te importa, se tu mesmo de aplaudes? Ora, é somente a Loucura que faz aplaudir-se a si mesmo.” (trecho de Elogio da Loucura, Erasmo de Rotterdam)

Quantas e quantas vezes nos pegamos fingindo ser o que não somos, ou fazendo algo de que não gostamos somente para não fugir das convenções? Quantos sorrisos forçados, quantos acenos sem graça, quantas e quantas mentiras sustentadas. Casamentos de fachada, namoros sem amor, amizades falsas... Um trabalho que suportamos pelo simples salário, uma vida com a qual não sonhamos, mas aceitamos, nos acomodamos.
Sonhos engavetados, versos poéticos perdidos no tempo porque nunca tivemos coragem de recitá-los ou, simplesmente, jogá-los ao papel.
Quantas oportunidades perdidas porque deixamos o comodismo tomar conta de nós. Quantas vezes esmagamos a nós mesmos em prol do que agrada aos outros?
Vestimos roupas ridículas porque algum famoso usou uma igual. Parecemos zumbis sem alma e sem vontade próprias.
Que mundinho de merda criamos para nós...E ainda nos vangloriamos de tudo como se tivéssemos algum real motivo para comemorar.
Tristes os que vivem a espera da aprovação alheia. Esses não vivem. Aprova tu mesmo as tuas escolhas e decisões, ora. Sede sábio.
Àqueles que fogem dessa teia pegajosa da mentira, chamamos de loucos... Mas, como disse Erasmo “é preferível passar assim a vida numa loucura deliciosa, do que pensar em todo instante em enforcar-se!
Viva a autenticidade! Viva quem não vendeu sua alma! Viva quem não esmagou seus sonhos!
Viva os loucos!

Ilustração: Quadros de um louco que eu adoro: Van Gogh. (Auto Retrato e Os Girassóis)

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

QUEBRAR


(by Cinthya)

Quebro tudo o que não for de mim...
Como quebram nas pedras as ondas do mar.
Sustento em meu íntimo a fé...
E quebro os santos do altar.
Quebro de mim, sem pena,
Esse maldito lamento.
Quebro as janelas do quarto,
E deixo entrar o vento.
Quebro de mim a incerteza,
Essa constante agonia.
Quebro o medo, a fraqueza,
Renasço da poesia.
Quebro as correntes da mentira,
Para mergulhar na verdade.
Quebro essa sombra que me envolve,
Para não me enganar com a vaidade.
Quebro o que de quebrar há em mim.
Quebro o que tem tentado me quebrar.
Quebro o início, meio e fim,
Daquilo que não obedece ao verbo amar.
Mas não quebro o que me faz bem,
O que me enriquece a alma.
Não quebro em mim essa força,
Essa esperança que me traz a calma.
E,
A   i   n   d   a      q   u   e     q   u   e   b   r   e   m,
Eu reconstruo.


Estou na minha mesa, no meu trabalho e o telefone toca. Do outro lado, o poeta Elmar Herculano, um nome forte na organização do Concurso de Poesia de Casa Nova/BA.
- Alô, Poetisa, cadê você?
- Poxa, Elmar. Furei contigo. Mas não deu mesmo para ir, cara. Queria muito ter assistido a premiação, mas não deu. Mas me fala, como foi? Quem ganhou?
- Foi um sucesso. Só uma coisa não saiu perfeita.
- O quê?
- O fato de você não estar lá para receber de minhas mãos o troféu de 1° Lugar!
Cara, que felicidade eu senti...
Com esses versos levei o primeiro lugar e tenho muito orgulho disso. Tenho saudade de quando escrevia compulsivamente... Muita saudade.
Sumi da roda de poetas,mas estou voltando.
Espero que gostem e, assim como eu, se libertem de tudo que não for verdade.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Brincando de Filosofar

DIÁLOGOS

(by Cinthya)

AINDA COM TRANQUILIDADE, INDAGOU-ME:
- CONHECES A DERROTA?
- SIM, A CONHEÇO. - RESPONDI CONVICTA.
- E A VITÓRIA, CONHECES?
- CONHEÇO-A, IGUALMENTE.
- SABE DISTINGUÍ-LAS?
- DISTINGUÍ-LAS? - PERGUNTEI SURPRESA.
- SIM. DISTINGUÍ-LAS.
- NÃO. NÃO POSSO DISTINGUÍ-LAS.
- POR QUE NÃO?
- NÃO SEI DISTINGUIR COISAS TÃO SEMELHANTES.
- QUE SEMELHANÇA ENCONTRA ENTRE A VITÓRIA E A DERROTA?
- É QUE AS DUAS CHEGAM LOGO APÓS UM GRANDE PASSO DADO,
VÊM COMO RESULTADO DE UM MOMENTO IMPORTANTE, UM DADO
DE NÚMEROS DESCONHECIDOS QUE JOGAMOS AO ALTO. TANTO A
VITÓRIA QUANTO A DERROTA INEBRIAM O SER, FAZENDO-O CRER QUE AQUELA SENSAÇÃO É ETERNA. MAS NÃO É. VITÓRIA E DERROTA PASSAM DEIXANDO APENAS SUAS MARCAS. É TOLICE LIMITAR-SE Á SENSAÇÃO CAUSADA POR UMA OU POR OUTRA.
- QUER DIZER, ENTÃO, QUE DERROTA E VITÓRIA NADA TÊM DE SIGNIFICATIVO?
- NÃO É ISSO. QUERO DIZER QUE ELAS VÊM, ATUAM E PASSAM. SÁBIO É APENAS APRENDER COM ELAS. DESPERDÍCIO É QUERER MANTÊ-LAS JUNTO A SI.
- ESTÁ CONLUÍDO O SEU PENSAMENTO? - PERGUNTOU-ME
- NÃO.
- ESTOU OUVINDO-A, CONTINUE.
- AINDA É PRECISO DIZER QUE É DIFÍCIL DIFERENCIAR DERROTA E VITÓRIA QUANDO CHEGAM COM A FORÇA QUE LHES É INERENTE, POIS JULGAMOS SER DERROTA ALGO QUE FINDA POR NOS TRAZER A SENSAÇÃO DE VITÓRIA, E COMEMORAMOS COMO VITÓRIA UM ACONTECIMENTO QUE NADA DE BOM VAI NOS TRAZER. ELAS SE ENTRELAÇAM, É COMO SE UMA ESTIVESSE CONTIDA NA OUTRA.
- CONCLUÍDO O RACIOCÍNIO?
- PREFIRO PARAR POR AQUI, PORQUE AINDA É TUDO MUITO COMPLEXO
DENTRO DE MIM.

Tem gente que acha chato...
Te gente que gosta...
E tem gente que, como eu, ama filosofia...
Vamos questionar, pensar... É um excelente exercício pra vida.

Pode Me Faltar A Grana, Mas Do Dom de Ser Feliz Eu Não Abro Mão!

(by Cinthya)

Namorava um rapaz... Um rapaz, não. Namorava um Homem e, naquela noite a gente ia se encontrar. Eu queria fazer uma surpresa, mas (só pra variar) eu estava sem um tostão no bolso. Sem dinheiro, mas com muita criatividade e vontade de fazê-lo sentir-se amado.
Opa! Menti quando disse que estava sem grana. Eu tinha R$ 1,65. Fui na venda de Toinha e comprei para o jantar:
01 pacote de pipocas
01 pacote de Q-Suco de uva
02 velas brancas.
E ainda sobrou dinheiro!
Escondi tudo dentro da bolsa e o esperei.
Ele me apanhou e fomos para seu apartamento.
Chegando lá, o tranquei no quarto enquanto preparava o nosso jantar.
Fiz uma mesa linda, pus uma camisola bela, nossa música, e o trouxe de olhos vendados.
Quando ele pode enxergar, falou:
- Eu não acredito no que vejo!
- Por quê? Já teve um jantar desses antes?
- Nunca. Aliás, quem, além de você, faria um jantar desses para alguém? Você é única e é por isso também que sou louco por você.
Agora, saibam, que fiz aquele homem enorme, forte e maduro, comer todas as pipocas (de garfo e faca) e tomar o suco...  E ele comeu, bebeu e amou.
Não estamos mais juntos. Mas sempre que conversamos, ele diz que morre de dar risada quando lembra do jantar.
- Foi o jantar mais especial que já tive! -diz ele.
Eu sou sincera em afirmar que, por amor, pra ver meu homem sorrir, não tenho vergonha nenhuma de pagar mico, parecer boba. A vida é tão rápida pra ficarmos perdendo tempo com falsos pudores. Gosto mesmo é de ser feliz. De fazer o outro feliz. É tão simples. Pena que temos um dom natural  de complicar tudo.
É muito bom a gente ser inesquecível na vida dos outros!

PS: A foto é verdadeira. É da mesa que eu preparei. Não ficou linda?

Homenagem ao Dia do Samba



É com muito samba no pé que inicio esse texto hoje, feliz e contagiada por esse ritmo envolvente e super animado que venho aqui prestar a minha singela homenagem aos GRANDES do Samba: Noel Rosa, Adoniran Barbosa, Cartola (O mestre), João Nogueira (o maior entre os maiores), Clara Nunes, Chiquinha Gonzaga, Jorge Aragão, Zeca Pagodinho, Martinho da Vila, Beth Carvalho, Diogo Nogueira, dentre outos...

O Samba é um genêro musical, de onde deriva um tipo de dança vinda de raízes africanas, uma manifestação cultural tida como um ritmo nacional por excelência. Varia entre o Samba de Roda, nascido no meu querido Recôncavo Baiano, o Samba Enredo, chamado também de Samba Carnavalesco. Que traz em si belas mensagens que nos faz refletir. Ao Samba Carioca Urbano onde ganhou grande proporção na Cidade do Rio de Janeiro. Foi lá, no Rio de Janeiro, que o samba ganhou força, um caráter totalmente singular onde a poesia foi misturada ao batuque e o gingado e nos apaixonou. É uma expressão cultural, é uma poesia cantada, é uma forma de libertação, pois numa excelente roda de samba com os amigos, aliviamos nossas dores e esquecemos nossos problemas. E como se não bastasse é também um patrimônio Cultura e Histórico. Quem não traz consigo uma recordação boa de uma época maravilhosa embalada por um delicioso samba? "Trem das  Onze" é uma das minhas canções favoritas, lembro da minha infância, lembro do meu saudoso irmão que tanto gostava desse samba. Ah, como é bom lembrar...
Jorge Aragão, foi o fundo musical de uma deliciosa e breve página no livro da minha existência. Enfim, o Samba é  maravilhoso! O Samba é o nosso orgulho!
É com muita vontade de cair no samba que eu deixo essas poucas palavras pra demonstrar meu amor e admiração a nosso vasto acervo cultural.
Parabéns ao Samba o ritmo mais brasileiro e carioca do mundo.

Viva ao Samba!!!

Verônica.

Quando o Amor Toca o Coração

Ontem, li o esboço de um livro, uma linda estória de amor, escrito pelo fofo querido , Marcus Laert, e daí comecei a pensar na vida e no amor que é uma coisa que está presente em tudo, em todos os momentos de nossa vida. Comecei a lembrar de grandes histórias de amor que marcaram épocas, como as de: Tristão e Isolda, Helena e Páris, Capitu e Bentinho, Eurídice e Orfeu, Pilar e seu amado (no livro de Paulo Coelho; As margens do Rio Piedra sentei e Chorei) e porque não, a grande conhecida de todos nós que é a história de Romeu e Julieta.


Eu fico a me perguntar: Será mesmo que precisamos de alguém para ser feliz? Será que o amor que temos em nós não é suficiente? Será que necessitamos de um amor pra completar nossas vidas? Ou esse amor viria apenas para somar? Será que somos mesmo só “uma banda da laranja”?

Uma vez a Marisa Monte em sua música ‘Satisfeito’, fez o seguinte questionamento: “Quem foi que disse que é impossível ser feliz sozinho?” Eu respondo: Marisa, quem disse foi o grande poeta Tom Jobim em sua linda canção ‘Wave’, ele diz com todas as letras: “É impossível ser feliz sozinho” Mas agora eu que pergunto: Será que o sábio poeta está com a razão?

Numa sociedade cada vez mais individualista e solitária, onde somos engolidos pelos nossos afazeres, e correria do dia-a-dia, onde as horas insistem em passar voando, o amor está perdendo cada dia mais espaço, as pessoas estão cada vez mais frias e egoístas, não sobra tempo para amar ou se dedicar, ninguém quer “perder tempo” tentando conquistar o par.

Aí eu me pergunto: Onde será que vamos parar? Como será o futuro das próximas gerações?

Ao longo da vida eu aprendi (a duras penas) que ninguém precisa de ninguém para ser feliz. E hoje posso afirmar, sem ter dúvidas, baseada na minha própria história que a felicidade está em nós e de nós ela depende. Só de nós. A paz de espírito e o coração tranqüilo é o maior bem que podemos possuir. E disso, não devemos abrir mão. Depender dos outros é furada, depositar expectativa demais no outro é assinar a sentença de sofrimento. Quando se espera demais de uma pessoa, inevitavelmente essa pessoa nos decepcionará. Claro que essa é a minha realidade, pode ser que haja (com certeza há) quem discorde. Normal! O que serve de lição pra mim pode não servir pra o outro e vice e versa. O que devemos priorizar mesmo é a nossa felicidade. Dela não devemos abrir mão.

O Amor/relacionamento é um assunto muito abrangente e expansivo, romântica irremediável e apaixonada convicta ainda vou abordar muitas vezes esse tema por aqui.

Esse texto fui publicado em 13/08/2010 em http://www.alminhasimpenadas.blogspot.com/

Verônica.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Todo Dia é Dia de Ter Cuidado

(by Cinthya)

O dia já está acabando, mas ainda dá tempo de dizer que: 1° de Dezembro é o Dia Mundial de Luta Contra Aids!
Porém, essa luta é diária... Quando eu engravidei, a médica me pediu uma bateria de exames e, dentre eles, o de HIV.
De verdade?
GELEI quando fui apanhar o resultado e a angustia cresceu ainda mais quando a médica começou a abrir os envelopes para analisar os exames...
Cara, eu havia transado sem camisinha... (Dammmm!!! Mas é óbvio, né Cinthya Danielle, se tu estava grávida, então...). E se o parceiro fosse portador do virus? Sim, porque ele podia ser. Claro que podia.
Eu quase me desesperei. E chorei mesmo de alívio quando a médica me disse que estava tudo ótimo comigo, conosco.
Fiquei imaginando o desespero de quem recebe uma péssima notícia numa hora dessas.
Mania terrível a gente tem de achar que nunca acontecerá conosco.
Bom, vale a pena a gente se cuidar!!!

Aos Homens, Uma Dica...

(by Cinthya)

Talvez se ele pudesse ver nela seus olhos,
Ou atentar para seu jeito hoje.
Não sei...
É como se em alguns dias, mesmo sendo mulher todos os dias,
Ela se sentisse ainda mais mulher...
Ou apenas se permitisse dar vazão ao que sente.
Não se punisse ou toldasse.
Alguns dias ela precisa de muito mais carinho.
Quando ela estiver calada atente para que tipo de silêncio a acomete.
Ela não guarda segredos e nem espera que adivinhem o que sente...
Basta ler... Está tudo nela. Explícito nela.

Respeito à Melhor Idade



Hoje a minha amiga Camila me pediu pra escrever um texto sobre a falta de respeito nos órgãos públicos, a falta de respeito com as pessoas que utilizam esses serviços, mas eu vou fazer diferente. Vou falar de outro tema. (Amiga, juro que vou escrever sobre o que você me pediu) Há um assunto que me incomoda e me irrita muito mais: maus tratos e falta de respeito com os idosos, queria ter a alma poética como a minha parceira de blog pra descrever de uma maneira bem linda, o que cada traço, o que cada ruga causada pelos anos que eles trazem consigo representam. Queria ser uma artista pra dizer o que aqueles cabelos brancos, alvos como um capucho de algodão, me dizem. Queria poder descrever a sensação de paz que sinto, quando vejo o ar de ternura num olhar cansado, vindo de olhinhos tão sinceros e castigados pelo tempo.  Que apesar dos pesares, muitas vezes tendo atravessado turbilhões de problemas, ainda assim, sorriem. Mas não sou. Então, apenas sinto.
Os idosos são pra mim como uma espécie de talismã, de gurus. Fontes de sabedoria e exemplos a serem seguidos. Trazem na pele, nas marcas de expressão, dos anos já vividos, as experiências adquiridas e a sabedoria que nós jovens nunca teremos até chegarmos a idade deles.
Não entendo como uma pessoa consegue tratar mal sua própria mãe, que tanto já fez, tanto batalhou e enfrentou muitas dificuldades pra criá-lo. Não entendo como um jovem pode tratar com falta de respeito um ancião, que traz em sí uma vasta experiência nos mais variados assuntos e lembranças de coisas que jamais seriamos capazes de entender. Esse comportamento também é o resultado da falta de amor, um mal que assola a humanidade e me causa muito medo e espanto.

Um vez, acho que uns 8 anos atrás, eu estava no ônibus indo pro trabalho e no ponto seguinte ao que eu entrei, entrou uma senhora (ela tinha idade pra ser avó do motorista) mal entrou e já escutou um desaforo do tipo: "adianta o lado véia, anda de graça e ainda atrasa meu serviço."  Fiquei indignada mas me contive, no segundo desaforo que ele disse me deu vontade de dar uma voadora nele, mas disse uns bons desaforos, (fui desse local, até o ponto em que desci, falando) ainda peguei o nome dele, o numero do ônibus a rota que ele estava fazendo e liguei pra empresa e denunciei. Se ele foi chamado à atenção eu não sei, se ele parou pra refletir sobre o que eu disse a ele ou se continua fazendo a mesma coisa eu não sei, se sequer ele ainda se lembra do ocorrido,  eu não sei, nem nunca saberei, mas isso pouco importa. O que importa é que naquele momento fiz o que devia ter feito, maltratar idoso e criança perto de mim é pedir pra comprar briga, e briga feia, pode ser quem for, em que ocasião for. Eu não deixo passar batido mesmo!
Que nós possamos ficar vigilantes, claro que não vamos mudar o mundo, mas ao menos, teremos a consciência tranquila de que fizemos a nossa parte, evitamos (ou tentamos minimizar) uma injustiça.
Se existem atitudes que me tiram do sério, podem ter certeza, são: covardia e injutiça.
Respeitemos os idosos!

Verônica.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

D E U S

(by Cinthya)

Entender, na íntegra, o que ou quem é Deus ainda me é muito difícil. Não creio que Deus seja uma figura humana, em forma de velhinho e que fica sentado no seu trono, com um cajado na mão, acariciando a sua enorme barba branca, como me foi ensinado na infância, não sei nem por quem.

Também não acredito que Deus seja um homem com cara e rótulo de bom, mas que castiga os seus filhos e os condena a sofrimentos eternos em lugares sombrios e amaldiçoados.

Não aceito que Deus seja algo ou alguém fictício, inventado por alguma pessoa que queria impor limites aos outros.

Deus, eu acredito, vai muito, muito além de tudo o que possamos imaginar sobre Ele. Talvez ele seja o Universo em si, com todas as suas leis perfeitas e casadas, com toda a sua magia; ou quem sabe ainda, Ele seja uma força capaz de manipular, mudar e criar tudo o que é necessário para manutenção de sua obra maior: o todo.

Deus, quem sabe, é uma energia dissociada, mas não dissipada, existente em cada ser, em cada flor, em cada orvalho, em cada humano. Se essa fosse a teoria certa, para entrar em perfeita sintonia com Ele, precisaríamos estar antes, em perfeita sintonia com nós mesmos e depois com o nosso próximo. E, segundo o mandamento mais importante da Lei Divina, nós devemos amar ao próximo como a nós mesmos, ou seja, primeiro temos que nos amar, para em seguida amar o outro com a mesma intensidade, pois Deus habita em cada um.

É difícil tentar conceituar Deus em nossa visão tão limitada. O que sei de concreto sobre Ele é que nEle eu encontro a força que me faz levantar depois de cada queda que levo na vida; Ele me dá confiança para entrar nos lugares mais sombrios em busca de sonhos que ainda não realizei; o que sei realmente sobre Deus, é que Ele está sempre comigo, mas às vezes eu não O permito agir, não dou ouvidos a Ele e Ele, ainda assim, me ampara e me socorre quando choro as minhas dores.

O que posso afirmar sobre Deus é que Ele não me castiga, eu é que respondo por minhas escolhas erradas.

Deus é esperança, porque quando penso que todas as portas já se fecharam, eis que Ele abre uma fresta e a luz entra novamente na minha vida.

Deus é conforto, porque quando penso que sou a criatura mais errada no universo, eis que é no colo dEle que eu repouso minha cabeça e choro o meu arrependimento.

Deus é confiança, porque nos momentos em que pensei ter encontrado o meu fim, bastou uma simples frase: “Pai, ajuda-me!” E Ele estava comigo, me fazendo vencedor.

Deus é amor, porque eu o nego a todo instante, tenho tapado meus ouvidos aos seus apelos, tenho fechado os olhos aos seus sinais e ainda assim, quando preciso de alguém, é Ele que está de braços abertos pra me receber, como um Pai sempre recebe um filho.

Eu não sei quem ou o que é Deus, mas posso afirmar que Ele é a razão maior de eu estar aqui hoje.

O Casamento de Cassandra

(by Cinthya)

A partir de 2010, o dia 13 de Dezembro não será somente dedicado a Santa Luzia e a Luiz Gonzaga (aniversário dele).
No próximo dia 13 de Dezembro,  Cassandra dirá seu 'sim' marcante ao seu esposo.
Uma história tão atual, de um amor sem frescuras, que começou com um encontro meio que desencontrado, depois um desencontro para aparecer o reencontro definitivo.
Cassandra sempre procurou um amor simples, como o amor descrito por Renato Russo em "O mundo anda tão complicado", aliás, ela ama essa música. E Alberto apareceu em sua vida da forma mais singela possível e foi ganhando espaço, mais e mais até decidirem formalizar a união.
Sabe aquele amor pé-no-chão? Onde cada um já trouxe consigo uma carga grande de dores passadas, erros cometidos e que agora sabe exatamente o que não quer? Então, é mais ou menos assim essa história.
Aos poucos construindo a vida, comprando as coisas, conquistando o espaço. Tudo de forma natural, calma e simples.
A vida deu uma cartada certeira e foi nítido o poder que Deus tem sobre tudo. As voltas que a vida deu para que esse reencontro acontecesse foi surreal. Contando, não se acredita. Mas... Ainda bem que é a mais pura verdade.
E agora, a minha amiga vai poder ver o marido "dormir que nem criança com a boca aberta".
Que maravilha!
Até que enfim, Cassandra!
Você soube esperar e Deus, como sempre, não falhou com você.
Sonhos realizados!

PS: Cassandra, faça a lista dos defeitos dele, para depois não se pegar esperando o que não existe, ok?