sexta-feira, 29 de julho de 2011

Não Concordo, Mas Amo!


(by Cinthya)

Não gosto de desarmonia, principalmente nos relacionamentos tão íntimos. Prezo a paz, o bem estar, a compreensão. Mas não consegui fazer de conta que não estava chateada. Não consegui desfazer a cara amarrada, porque simplesmente não sei concordar com coisas absurdas.

O amor foi-se chateado porque não encontrou em mim o apoio que esperava receber para suas atitudes impensadas e infantis. Não podia eu fingir naturalidade e apoiá-lo numa decisão despida de serenidade e maturidade. Eu não consigo. Sei que ele é adulto e dono da própria vida e eu respeito isso. É tanto que não pedi para que ficasse. Mas entre respeitar a decisão dele e ficar feliz com essa decisão existe uma lacuna imensa.

Pode me chamar de chata, de emburrada. Sei que sou quando a ocasião pede. Mas eu não vou compactuar com algo que pode fazer mal a quem amo. Eu estou aqui, sei que sempre estarei. Estou com o coração apertado, louca pra ter super poderes que pudessem garantir a segurança dele. Estou aflita com a situação e sei que ele também seguiu apreensivo porque não gosta de me deixar sem meu sorriso nos lábios.

Eu continuo sendo eu, continuo aqui, continuo andando lado a lado, continuo amando muito. Mas eu nunca vou apoiar os erros dele, nunca vou passar por cima do que acho certo para fazer da verdade dele a minha. Minha personalidade não me permite.

Enfim, ele seguiu o que achou ser o certo e eu fiquei aqui na certeza de que ele poderia ser mais feliz se a escolha tivesse sido outra. O segredo do amor bem sucedido talvez esteja em saber seguir de mãos dadas mesmo quando pensamos tão diferente um do outro.

Quem está certo? Eu ou ele? Não sei. Mas sei que faria tudo para que nada de ruim aconteça com ele. E eu ficarei de cara amarrada quantas vezes for preciso, quantas vezes ele insista em correr riscos desnecessários. Eu sou mulher e sou mãe. O meu instinto de proteção grita e eu não me contenho.

Se eu não sorri e não o abrecei antes de sua saída foi pelo simples fato de sentir por ele um amor imenso.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

O homem que não sabia sorrir







Era uma vez... Um menino do interior que foi ganhar a vida na cidade grande.

Ele nasceu numa cidadezinha do interior  do agreste pernambucano. Sempre foi uma criança tranquila. Nunca foi peralta, nunca deu trabalho aos pais. Cresceu e se tornou um adolescente responsável. A maturidade veio muito cedo e mesmo tendo uma família de poder aquisitivo razoável para os padrões da cidade, sempre quis sua independência financeira. Não temeu e foi tentar a sorte na capital das possibilidades. A necessidade de ser "um homem forte" somada à rudeza de uma vida difícil numa cidade grande ensinaram a esse jovem que sorrir era demonstração de fraqueza. E se ele fosse fraco não seria respeitado. E tudo que ele mais queria era impor respeito.

Com isso, ele se esqueceu de como era bom sorrir. Não adianta contar piadas, não adianta assistir as vídeo cassetadas do Faustão, nem as pegadinhas no programa do Gugu. Ele não ri. Impôs um respeito aos filhos que foi confundido com medo. Seus familiares nem gostavam muito de visitá-lo. Sempre muito sério e sisudo causava desconforto nas pessoas que tentavam uma aproximação. Sempre com uma cara de "quem comeu e não gostou" acabou afastando algumas pessoas que o amavam e adorariam ter curtido sua companhia.

Os anos se passaram e assim ele seguiu a vida. Um homem honesto, trabalhador, um pai preocupado e cuidadoso, um marido dedicado, um avô coruja... Mas tudo isso com seu jeito cinza de ser. Sem brilho nos olhos e sem sorrir.

Um grande mal se abateu sobre a sua vida. Ele contraiu uma grave doença e vem sofrendo muito com ela. Luta com todas as forças e não se deixa abater. Tem um otimismo, uma fé e uma vontade de viver impressionantes e que causam muito orgulho nos familiares e amigos. Tenho pra mim, e não é de hoje, que é isso que vem mantendo-o vivo. Não podemos negar: ele é um guerreiro nato.

No meio de tanta coisa horrível, aconteceu uma coisa linda; ele conheceu a doce magia do sorriso. Aprendeu como é gostoso sorrir. Se tornou mais amável, ainda meio constrangido e de um jeito bem discreto se atreve a fazer um afago nos filhos ou na esposa... As tardes de domingo são sempre mais animadas. A reunião da família sempre gera boas gargalhadas e os 'causos' contados trazem uma alegria triste. Uma nostalgia misturada com esperança de que mais momentos bons como esse virão.

Moral da história: Um homem precisou conhecer a face da morte para entender o sentido e a beleza da vida.

E como essa história começou com um "era uma vez..." certamente terminará com um "felizes para sempre..."

Verônica

quarta-feira, 27 de julho de 2011

V E N T A N I A

(by Cinthya)


Hoje eu tentei escrever



Mas não saiu nada de mim além disso que sinto:


Esse medo infundado.


Medo de ser nada.


Hoje eu preciso escrever,


Mas nada posso transmitir além dessa idéia


Que não me sai da cabeça:


De que eu sou pequena.


Eu preciso explodir em poesia!


Mas a única poesia que consigo produzir hoje


São duas lágrimas inexistentes


E uma angustia que de contra vontade


Tenta abraçar-me.


Tenho me sentido pequena


Diante dos acontecimentos da vida.


Dizer “adeus” quando na verdade


O que quero é dizer “fica conosco”,


Engolir o choro


Quando o que quero é gritar minha dor.


Manter-me de pé quando a ventania


Da incerteza e do medo


Passa levando tudo o que não seja eterno.


Eu sou guerreira, Vida.


Sinto medo,


Mas não me entrego jamais.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Nosso Maior Predador



No último sábado o mundo recebeu a notícia da morte de uma das mais polêmicas cantoras do mundo. Para muitos não foi novidade nenhuma. O prenúncio dessa tragédia já teria vindo em forma de escândalos e era visível na aparência da moça. A musicalidade e o talento da cantora conquistaram legiões de fãs mundo afora... Dona de uma voz forte, um temperamento explosivo e uma personalidade excêntrica a menina londrina que conquistou o mundo se jogou nos braços da morte. O único mal irremediável.

Lentamente e de uma maneira muito dolorosa a jovem de 27 anos pôs fim em sua vida simplesmente porque não conhecia o significado da palavra limite. Assim como Amy, aos 27 anos, morreram Jimi Hendrix, Janis Joplin, Jim Morrison e Kurt Cobain. Todos eram grandes ídolos da música. Perdemos também Cazuza, Cássia Eller, Renato Russo e tantos outros... De um jeito ou de outro, suas mortes tiveram ligações com álcool e drogas. Todos vítimas de suas fraquezas. Buscaram uma fuga onde não havia um caminho de volta. Álcool, cigarro e alucinógenos passam a compor o cardápio dos grandes astros logo que suas canções passam a fazer parte das nossas vidas. Trágica coincidência.

Sensações que sentimos como: solidão, tristeza, fraqueza, dor, angústia, saudade de não se sabe o quê e tantos outros demônios que nos atormentam, certamente atormentaram essas pessoas também. Alguns buscam refúgios nos livros, nas músicas, na família, no(a) parceiro(a), nos amigos... Outros, sem a mesma quantidade de opções, buscam refúgios nas drogas sintéticas, no álcool, no cigarro e daí em diante seu destino está traçado. E o final nunca é bom.

Felizardos conheceram o fundo do poço e saíram dele cheios de esperança, experiência e vontade de viver... Nem todos, aliás, pouquíssimos tiveram essa sorte. Raros exemplos de pessoas que são contempladas com uma segunda chance.

Sinceramente eu nem era muito ligada nas músicas da cantora, mas a história de vida da mulher sempre me tocou. Sempre despertou compaixão. Me entristecia ver nas fotos a sua decadência física. A aparência cada vez mais debilitada. Não entrava, não entra, na minha cabeça, por mais conflitos internos que ela pudesse ter, eu não aceito que uma pessoa ponha fim em sua vida assim, de uma forma tão agressiva.

Pessoas tão boas para as outras, acabam se tornando tão ruins para si mesmas.

Que nossa fraqueza nunca alcance estágios que não possamos recuar. Que nossa reflexão seja completa, sincera e que nosso pedido de socorro seja claro. Nossa vida é ímpar e preciosa demais para ser estragada, só porque não aguentamos a pressão. Se esconder atrás de um porre, ou de uma "sensação legal" que dura horas e te corrói por dentro não irá resolver o problema que te aflige. Seja qual for seu tormento, encare-o de frente e mostre que você é mais forte que ele. Caso isso não seja possível, contorne-o. E sobretudo, peça ajuda. Sempre haverá alguém que te ama, perto de você para te estender a mão.

E no dia que o nó apertar muito e você não quiser conversar com ninguém que esteja perto de você, mande um e-mail pra nós. Ou venha aqui no Divã descarregar a sua dor. É pra isso que estamos aqui: Para ajudar as pessoas, ouvir(ler) seus problemas e dar o melhor conselho que pudermos. E se ainda assim, você continuar triste, nós chorarmos com você.

Faça qualquer coisa, mas não se entregue sem lutar.

Verônica

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Quando Ele Cuida de Mim...


(by Cinthya)

A gente nasce e morre sendo a gente mesmo. Não existe opção de mudança, enfrentamos o caminho todo sendo a mesma pessoa, todos os dias. Mas apesar desse fato, algumas coisas aqui dentro me fazem ser diferente, sentir diferente, querer diferente.

Há alguns dias tenho sentido uma vontade enorme de pedir socorro, de dizer que a mulher forte e determinada também precisa de colo e de cuidados. Que o fato de eu ser dona da minha vida e de ter uma personalidade tão forte não me tira a necessidade de sentir que alguém de fato se preocupa comigo, se preocupa com minhas dores e me protege dos meus medos.

Eu sei que sou calada, escuto muito mais do que falo. Mas o fato de falar pouco em nada significa sentir pouco. Existem turbilhões aqui dentro de mim, vulcões em constante erupção e isso finda me deixando cansada ao longo da estrada. E então eu percebo que tudo que mais preciso agora é de um abraço, é de alguém que pare ao meu lado e apenas me dê a mão como quem diz: “Divida comigo o que está te atormentando”.

A loba está na toca, quietinha, pensativa, precisando analisar decisões importantes, passos longos e firmes podem ser dados, mas tudo muito bem analisado e pensado. Pela primeira vez eu dividi um momento de mudança, eu me permiti ouvir a opinião do outro. Pela primeira vez eu entendi que é muito gostoso deixar-se ser cuidada por alguém, sentir que alguém se move, de fato, para nos proteger.

Eu baixei a guarda, pela primeira vez em tantos anos. Pela primeira vez em tanto tempo abri as portas da minha emoção para que ele andasse livremente em mim. O que aconteceu? Aconteceu que eu continuo sendo forte, determinada e teimosa, mas que agora tenho algo que faz uma diferença danada em tudo: sabedoria!

Sabedoria para entender que em alguns momentos da nossa vida, a gente tem maiores chances de acertar se permitirmos receber a ajuda de quem nos ama e isso em nada nos torna fracos, muito pelo contrário. Como canta Maria Betânia chegou a minha hora de dizer "Eu sou sua menina, viu?" e me deliciar na novidade que se apresenta e que é, justamente, me permitir ser frágil (frágil, mas nunca fraca) e deixar que o amor cuide de mim.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Eu, Incompreendida!

(by Cinthya)

Algumas vezes me sinto tão fraca que chego a acreditar que sou uma grande mentira que Deus ou o Diabo jogou na Terra!



Um esboço de algo que não poderia mesmo dar certo.


Linhas traçadas de um projeto demais utópico para que fosse concretizado.


Uma ilusão desmedida incapaz de se realizar de fato.


Enfim, algumas vezes me sinto tão sozinha, incompreendida e frustrada!


E como dói quando a frustração atinge um coração tão utópico quanto esse meu.


Hoje descobri que vejo o mundo colorido, mas que na verdade ele é preto e branco.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Amigos, por eles eu vivo...



Ontem 20 de Julho, foi comemorado o dia do amigo. Como parte da celebração desse dia especial, postarei o texto de um amigo pessoal e amigo do Divã. Um breve resumo de sua triste e bonita história de vida. Uma história cheia de surpresas onde o que se sobressai é a capacidade de recuperação diante das maiores perdas que um ser humano pode sofrer.
Um jovem como outro qualquer, cujo diferencial está na força de vontade e na gana de viver. Espero que a história dele nos sirva de exemplo e quando pensarmos em desistir lembrarmos que tem muita gente torcendo por nós e contado conosco. Quando você estiver se mal dizendo e blasfemando contra Deus ou contra a vida, lembre-se da generosidade do Divino para com você. Basta comparar a história do seu próximo à sua que verás quão boa a sua vida é. Vamos á história...

Verônica


Amigos, por eles que eu vivo... 

Peço licença as meninas para escrever este texto no dia, denominado de, DIA DO AMIGO.

Atualmente tenho 27 anos, estou namorando uma pessoa formidável, mas não vim falar sobre isso, mas sobre a importância do amigo em nossas vidas, falando um pouco da minha vida. Fui criado em apartamento, praticamente preso dentro de casa e só saia nos finais de semana. Nos dias normais, era da casa para o colégio e vice-versa. A noite, reunia a turma do prédio para brincar, mas éramos poucos. Meus pais não estão mais presentes, pois perdi mãe com 15 anos e meu pai com 23.
Quando tive a segunda perda pensei o que será da minha vida, o que será do meu destino e que rumo irei tomar de agora em diante. Fiquei pensando por um dia, como eu iria fazer para voltar a ser uma pessoa normal, para não pirar ou enlouquecer e para dormir e acordar. Lembrei-me do dia da perda do meu pai, quando muitos amigos me ligaram para conversar sobre o acontecido, mandar uma palavra de força, solidariedade e pedir que eu nunca desistisse de viver, de lutar e de querer sempre mais.
Passei dois meses me perguntando o que será da minha vida e nesse tempo, realmente percebi de onde eu teria que tirar essa vontade: DOS MEUS MAIS FIÉIS AMIGOS. As mensagens vieram do Barradão, colegas de banco e amigos próximos, amigos de infância, mestres da faculdade, professores amigos desde a infância e por ai vai. Eles foram fundamentais e são essenciais todos os dias da minha vida.
Enquanto eu não voltasse a sorrir, o que me fazia lutar incansavelmente era saber que todos os meus amigos jamais me fariam desistir do gozo de estar vivendo, sorrindo, divertindo e compartilhando momentos que só a vida nos apresenta.
Quando eu mais pensava que meu dia iria ser mudo, aparecia um para conversar aqui em casa, ou me chamava pra sair, jogar bola, assistir jogo do Vitória, enfim, fazer algum programa que desviasse minha atenção em cima da saudade existente. Até hoje eles ainda fazem isso, pois eles perceberam a importância que tem em minha vida e sabem que compartilho de alguns momentos de felicidade e sempre que precisam de uma palavra minha, sabem que podem encontrar facilmente.
Para finalizar, posso dizer a seguinte frase, que ficou consagrada por todos aqueles que gostam verdadeiramente do seu amigo:
“Poderia suportar a dor, se morressem todos os meus amores, mas jamais saberia lidar com a perda de todos os meus importantes amigos”
É para eles que tenho força. É por eles que eu continuo a viver e dizer sempre: OBRIGADO POR SER MEU AMIGO! 

 
PS: Isso inclui minha namorada, a qual é a minha força maior, melhor amiga-amada-amante-namorada e se Deus quiser, futura esposa daqui a um certo tempo.


Marcus Laert M. Motta

quarta-feira, 20 de julho de 2011

C O N F L I T O S


(by Cinthya)


Cheia de conflitos eu continuo...



Parece que a alma minha vive numa busca que nunca termina.


E quando eu penso ter alcançado o objetivo, tudo muda de cor, de cheiro

E vem a certeza de que continuo perdida.


Trancar-me ou pedir socorro?


Chorar ou manter a calma?


Gritar aos ouvidos ou desaguar no papel?


Tudo é confuso dentro de mim,


E nessas horas nada parece fazer sentido.


A sensação de estar só na minha loucura vem somente acentuar o que me perturba.


As coisas mudam muito rápido,


Parece que perco a sintonia com as mentes do mundo,


Que somente eu penso dessa forma, somente eu acredito nessas verdades.


Tenho medo e coragem.


Medo. Não de perder a vida.


Mas sim de perder a poesia que vejo em tudo.


E coragem?


Coragem de enxugar a minha lágrima seca, pegar o lápis e despejar minha dor no papel.


Isso talvez não resolva meus problemas, mas me dá, é fato, uma doce sensação de alivio.


Faz-me acreditar que a alma minha possa um dia ser eterna.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Pedra Preciosa



Ela é uma pedra preciosa, bonita, rara  e de um valor inimaginável. Ao ser extraída da natureza de maneira rudimentar teve algumas lascas tiradas sem cuidado. Deixando assim, falhas visíveis.

Uma pedra bruta que precisa ser lapidada, polida, cortada e modelada.

O seu valor estimado é relativamente proporcional ao encantamento que ela provoca em quem a vê. Alguns ficam extasiados com sua beleza rude, outros simplesmente a ignoram e não fazem a menor ideia do tesouro que se encontra ali, diante dos seus olhos.

Um mineral de coloração intensa, brilho especial e é valiosa por sua raridade e dureza. Mais do que um mineral, ao estarmos diante de uma pedra preciosa, nos damos conta de que estamos diante de uma obra de arte do Divino. Uma criação magnifica da natureza. Um presente para nós.

Não sei se ela irá enfeitar o pescoço de alguma rainha, ou outra pessoa importante na corte. Não sei se ela irá parar em um anel de compromisso, selando a união de um casal de apaixonados, não sei se ela irá parar em uma vitrine de algum museu, para ser apreciada por milhares de pessoas do mundo inteiro, mas de uma coisa eu não tenho dúvida: ela causará encantamento. Lapidada ou não, polida ou não sua formosura rivaliza com os maiores diamantes do mundo.

Tal qual as pedras preciosas nós também temos nosso valor inimaginável, temos nossa forma rudimentar e muitas vezes precisamos ser lapidados. Causamos frisson, encantamento, burburinho e muitas vezes passamos desapercebidos, mas temos uma fortuna escondida dentro de nós. Valor real, comercial ou sentimental, mas, temos valor.

Diamantes, Esmeraldas, Rubis, Turmalina, Alexandrita, Safira, Benitoíte, Ambar, Opala descubra a pedra preciosa que existe dentro de você e conquiste o mundo.


Verônica

segunda-feira, 18 de julho de 2011

R E A J A !

(by Cinthya)

Viver é uma questão de atitude!



Sonhar e correr atrás...


Ter coragem para deixar o passado passar...


Se desprender do que te faz mal,


De sentimentos que já foram bons, mas que hoje não são mais...


Saber a hora de parar a corrida e retomar o ponto de partida mais uma vez.


Erguer a cabeça para assumir o futuro mágico e encantado que te espera.


Admitir que a vida é um eterno ciclo...


Que tudo muda o tempo todo...


Que o movimento é inevitável...


Aceitar que somos ainda muito jovens para muitas coisas, mas que agimos como idosos em quase todas elas.


Não temer a vida é questão de sabedoria, determinação.


É preciso conscientizar-se de que ninguém é de ninguém...


Que amor não se pede, conquista.


Que o amor é livre e tentar prendê-lo é a forma mais certa de vê-lo partir.


Ser sempre o seu melhor amigo e viver dentro da verdade.


Entender que a verdade é sempre o lenitivo...


Que a mentira engana as nossas dores para depois machucá-las mais profundamente....


É necessário ver a vida que corre ao nosso redor e agarrar-se sempre a ela...


Sorrir sozinho no ônibus lembrando das coisas engraçadas...


Correr na praia em plena chuva...


Sentir a liberdade...


Fazer o diferente...


Ser diferente...


Ser você mesmo sem se preocupar com que os outros vão pensar...


Ser feliz é preciso.


Ser feliz é a razão.


Ser feliz é uma questão de atitude!

sábado, 16 de julho de 2011

Um barzinho, um violão!


Sexta-feira é dia de happy hour, não tem jeito... Você passa a semana inteira repetindo, em vão, para si mesmo com um mantra que "esse final de semana eu não vou sair", mas daí a sexta-feira chega. Agitada, glamurosa, radiante e absoluta te convidando a pecar! Você não resiste e se joga! Um choppinho com as amigas, um barzinho, músicas boas, que mesmo tendo décadas nas paradas de sucesso, ainda fazem você sorri. Conversinha agradável, boas risadas e a sensação de vida, liberdade e felicidade!
Você chega em casa e agradece ao Criador por ser tão generoso e te permitir, pequenos, singelos e deliciosos momentos de prazer.
Você pensa nas pessoas que gostariam de ter a mesma oportunidade que você e não tem. Você se sente ainda mais grato...
E nasce o sábado! Um belo dia, sol alto, céu azul e a certeza de um final de semana maravilhoso!

A cada dia, um sopro de vida! Curtam o final de semana, curtam a vida!
Beijos, pessoas!!

PS1: Qualquer semelhança é mera coincidência...
PS2: A seguir, uma das músicas que toca em barzinho e eu adoro. Flor de Lis. Djavan

Verônica


sexta-feira, 15 de julho de 2011

Eu Digo Oxente E Pronto!

(by Cinthya)

Parece que ainda tem gente que não entendeu que esse nosso Brasil é dono de uma pluralidade cultural que não tem tamanho. Basta que se mude de estado ou até mesmo de cidade para que se perceba essa diferença gritante e isso é uma riqueza nossa. Um motivo para se orgulhar (ou pelo menos deveria ser).

No entanto nem todo mundo pensa assim. Pessoas viajam para a região de outras, instalam-se lá por motivos profissionais e, claro, lucrativos e, ao contrário de aproveitarem a experiência para crescer seu conhecimento cultural, passam o dia todo falando e debochando de tudo o que é diferente dos seus costumes.

Falam como se apenas os seus costumes, sotaques e hábitos fossem bonitos ou corretos. Falam mal da comida, falam mal do clima, falam mal do café, falam mal do pão, falam mal de tudo o que se distingue do que se vê em suas regiões. E esse falatório não tem nem intervalo. É um reclamar constante.

Não sei onde cargas d'água eles viram que o jeito deles é o correto, que a fala deles é a correta. Se dói pra eles ouvirem nosso 'oxente', dói pra gente ouvir tanto chiado, como se existe uma letra 'x' entramelada em cada palavra falada. Se dizem que a gente fala cantando, porque não perecebem que eles também cantam, apesar de ser em outro ritmo.

Caramba! Isso cansa! Eu sempre achei tão legal essa diferença, mas ouvir tanta gente criticando a cultura de minha região tem me deixado desanimada com esse assunto.

A gente recebe as pessoas, a gente tem uma terra promissora, uma cidade linda e que oferece tantas oportunidadedes e com isso atrai tanta gente em busca de crescimento. Mas aí me vem esse cidadão tirar onda de gostoso porque é do Sul e eu do Nordeste!

Minha gente, viva a diversidade! Criticar o meu jeito de falar também é uma forma de preconceito. Vamos respeitar a riqueza de cada um. Eu tenho tanto orgulho da minha terra, da minha gente e do meu oxente!

Onde já se viu, chegar na casa dos outros, comer, se fartar e ainda sair falando... Deus é mais.

Oxe!

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Mulher com arma em punho




O título do post é para dizer que sim! Mulher também tem sua metralhadora giratória e vezenquando sai atirando para todos os lados.

Ontem, um amigo me ligou, ele estava bastante irritado e precisava desabafar.

- Vel, você lembra de fulana?
- Aquela menina que você stava ficando/namorando?
- Sim, ela mesmo! Você disse certo, estava!
- A fila andou? O que houve?
- Você acredita que aquela bandida é uma atiradora de elite? Ela atira pra tudo que é lado. Estava comigo e paquerando meus amigos, e o pior, tudo que ela dizia pra mim, dizia também pra eles. Estou revoltado!
Silêncio do lado de cá da linha
- Vel, você está aí?
- Sim, estou!
- E não vai dizer nada?
- Não tenho o que dizer. Estou surpresa! (E estava mesmo! A menina mal falava. Apresentava uma timidez enorme)
- E eu decepcionado, estava fazendo planos de começar um relacionamento. Ela não estava me levando a sério.
- Como você soube?
- Você sabe como é a cumplicidade masculina, né?
- Se sei...
- Então, numa conversa de amigos, um soltou o que estava acontecendo e o outro completou.
- E você passou por corno.
- Isso é o que mais dói.
- Deixa isso pra lá, pense que você também já fez o mesmo e talvez esteja só pagando por um erro passado.
- Valeu, ótimo conforto!
- Você questionou o por quê d'ela estar fazendo isso?
- Ela só me respondeu que nunca me prometeu fidelidade. E nem garantiu que namoraríamos sério.
- Então, amigão! Você, de fato, não pode acusá-la de nada. No máximo, de falta de criatividade.
- Muito obrigado, Verônica! Boa noite!

Senti que meu amigo desligou o telefone um pouco chateado comigo, normal isso acontecer, quem me procura pra chorar pitangas nunca fica satisfeito com o que eu digo, nunca ouve o que gostaria. Eu não consigo classificar fulano como vítima e cicrana com algoz.

Ele me disse que estava planejando levar um relacionamento sério com ela, mas quem me garante que ele deixou isso claro pra ela? O fato dela jogar charme pra outros homens não pode ser considerado traição, uma vez que a relação não tenha ficado totalmente acertada.

Mas cá pra nós, paquerar amigos do atual affair é de um amadorismo sem tamanho, não é?

Na arte da sedução, não importa se homem ou mulher, o sedutor precisa ter foco. Mirar naquele foco e investir nele. Sair lançando sorrisinhos e palavras doces ao vento é de uma profunda falta de maturidade.
A mulher pode ser graciosa sem ser oferecida, pode ser encantadora sem ser considerada uma predadora. Pode ser gentil sem ser sonsa, enfim... é a maturidade do seu comportamento que lhe dará o rótulo adequado.

Portanto, nada de sair bancando a desesperada. Foco, meninas! Foco!

Verônica

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Dia Especial!

(By Cinthya)


Hoje são 13 de Julho? É?

Ah, hoje é sim!

 Hoje não é só uma quarta-feira. Hoje não é somente mais um dia de julho, um dia daqueles que a gente vive e nem se dá conta e não leva nada dele. Hoje não é um dia daqueles que a gente fica olhando pro relógio, contando as horas para o tempo passar logo e a hora do sono nos libertar desse mormaço.

Hoje não!

Hoje é aniversário de uma pessoa linda. Hoje o dia é todinho de uma pessoa que tem tanta importância na minha vida que me faz tremer na base quando tento escrever sobre ela. Uma pessoa tão importante pra mim que, quando peguei o lápis para escrever-lhe uma poesia apenas consegui chorar inundada por tanto amor. E chorei a noite toda, numa emoção desmedida.

Essa pessoa é tão grande, embora pequena. É tão forte, embora frágil. Essa pessoa está muito além dos mestrados e doutorados. Sua sabedoria está a anos luz daqui. Nunca conheci alguém com tanto faro para a verdade. Nunca me deparei com pessoa mais honesta, que faz das tripas coração, mas honra todos os seus compromissos. Jamais tive notícias de alguém que se doasse tanto a quem ama, que arrancasse força sabe Deus de onde, para segurar a barra daqueles que Deus lhe confiou.

Terminou o segundo grau quando os filhos já eram grandes, pois quando eram pequenos ela se dedicou a fazer deles grandes seres humanos. Depois eles choraram ao vê-la receber seu diploma de nível médio.

Briga sempre que necessário. Não manda recado, vai lá e diz tudo o que tem que ser dito. Não tem meias palavras quando a verdade precisa ser dita. Conhece mais da vida do que muitos que viajaram o mundo.

Minha Mãe, hoje o dia é seu, Meu Amor! E eu te amo tanto. E eu tenho tanto orgulho de ser sua filha. Peço perdão pelas vezes que te decepcionei, que não fiz o que você julgou ser o certo.

Minha Mãe, você é tão linda. Adoro teu cheirinho, esse cheiro de mãe que não encontro em outro lugar. Adoro teu colo, tua voz, teu abraço. Até teu olhar de brava eu adoro. Adoro te ver cedinho, te ouvir dizer: “Deus te abençoe, minha filha.”

A senhora me ergue, sempre. A senhora nos completa com seu exemplo e a gente faz essa família ser um sucesso.

Mainha, eu te amo. Te amo. Te amo e te amo.

Que Deus continue a te iluminar.

Amém!

terça-feira, 12 de julho de 2011

O contato que não foi feito



Na ultima sexta-feira tentei várias vezes falar com um inquilino, queria comunicá-lo que o contrato havia chegado ao fim e saber dele se havia interesse na renovação. O inquilino não atendeu a ligação e agendei para fazer a mesma ligação na próxima segunda-feira. Até aí tudo normal, procedimento corriqueiro aqui no trabalho. Seria tudo normal se no domingo eu não tivesse ficado sabendo, através de um amigo, que esse jovem senhor de quarenta e poucos anos havia falecido num acidente de trânsito. Acidente de moto pra ser  mais exata.

Eu fiquei chocada com a notícia, não tinha como não ficar, mesmo tendo pouca proximidade com ele, por saber que ele tinha dois filhos, um de quatro e um de quatorze, e por saber que ele tinha uma esposa apaixonada. Era um marido excelente e um pai dedicado. Era um profissional competentíssimo, mesmo seu ar arrogante em vários momentos não impedia de despertar admiração em quem o conhecia, tanto é que a tragédia repercutiu nas duas cidades e deixou muita gente triste. Uma vida que se foi. Se perdeu. E deixou tudo inacabado.

Não atendeu minha ligação, não renovamos o contrato, ele não foi levar as crianças na escola, não compareceu ao trabalho, não voltará para casa no final do dia, não encontrará sua esposa esperando-o, enfim... Acabou! De maneira estúpida e pegou todo mundo de surpresa. Uma vida que foi interrompida.

De maneira brilhante e com muita sensibilidade minha amiga e parceirona Cinthya sintetizou ontem a celebração à vida. Numa sintonia magistral ela disse tudo que eu gostaria de dizer. E que aprendamos a valorizar cada minuto do nosso dia e cada dia das nossas vidas, porque pode acabar de repente. Não é só conversa fiada não, é fato!

É inevitável não refletirmos quando acontecem coisas assim. É impossível passarmos imune diante de uma situação como essa. Uma estupidez que custa caro. Custa uma vida. É impossível não nos colocarmos no lugar dos entes queridos e dos amigos quem lamentam a perda. Perder um parente, ou um amigo é perder um pedaço, um pedaço arrancado sem aviso prévio e sem anestesia. Doi na carne. Doi na alma.

Eu ainda tenho muito a fazer da minha vida, morrer não faz parte dos meus planos, mas as coisas não são como eu quero, infelizmente! Por isso, quero fazer valer a pena cada segundo de vida.

Aconselho que vocês façam o mesmo!



Verônica


segunda-feira, 11 de julho de 2011

Vamos Celebrar A Vida!


(by Cinthya)

A vida é um ciclo. Isso é fato. Nada nela é estável ao ponto de nunca poder ser mudado, alterado, visto de outra maneira, interpretado de uma forma diferente. A vida é um constante movimento, um ir e vir de pessoas, de sentimentos, de histórias. Não se sabe se existe uma lógica para as coisas que acontecem e da forma que acontecem. Não conhecemos ao certo o princípio ao qual tudo obedece (se é que existe uma lógica).
 
Quando a gente fala em celebrar a vida, não falamos somente de sorrisos, nascimentos e coisas que nos façam felizes, porque a vida não se resume a isso somente. Viver significa ir mais a fundo, conhecer além da beleza, sentir além do prazer, resistir além da dor e acreditar além do desespero.

A vida por si só é contraditória, pois ao nascer o ser nada traz consigo além de uma única certeza... Ele não traz um diploma, nem a certeza de um dia possuí-lo; ele não sabe se será feliz, se será uma pessoa realizada; se será bom ou mau; se terá muitos ou poucos dias. A única certeza que ele traz é a certeza de que partirá.

Certa vez, num triste dia, eu prestava meu carinho a um casal de amigos que via o ciclo de sua filha chegar ao fim. Os dois de mãos dadas, num silêncio angustiante, olhavam estáticos para o rostinho já sem vida da pequena criança. E era tanta dor, tanta vulnerabilidade, tanta dúvida estampada no olhar daquela mãe que comovia quem estava perto. E mesmo aquele momento triste era uma celebração à vida, a um ciclo de vida que se encerava.

Não sabemos o dia da partida, e isso talvez seja o prêmio. Mas sabemos que um dia partiremos e o que é mais delicado, sabemos que partirão aqueles que amamos e nada poderemos fazer a não ser amá-los com toda a nossa força enquanto estamos juntos. Falar desse amor sem vergonha e sem receios. Aproveitar todas as oportunidades para curtirmos os nossos amores.

Filhos não são pestes, pais não são chatos, avós não são fardos. Todos são fontes de amor e para eles (e para o amor) é que existimos.

Vamos celebrar a vida sem medo de amar. Não sabemos o tempo que temos. Não sabemos o tempo que tem aqueles que amamos.

A hora é essa!

sábado, 9 de julho de 2011

Viver e não ter a vergonha de ser feliz!


Hoje é sábado e aqui em Petrolina está fazendo um dia lindo!!!

Inspirada e contagiada com tanta alegria é que desejo a todos um excelente final de semana! Muito amor, muita vida e muita alegria a todos!

Abaixo seguem letra e video de uma das músicas que acho mais bonita. Dispensa palavras!

Boa vida para vocês!

Verônica








O QUE É, O QUE É?
Gonzaguinha

Eu fico com a pureza das respostas das crianças:
É a vida! É bonita e é bonita!
Viver e não ter a vergonha de ser feliz,
Cantar,
A beleza de ser um eterno aprendiz
Eu sei
Que a vida devia ser bem melhor e será,
Mas isso não impede que eu repita:
É bonita, é bonita e é bonita!
E a vida? E a vida o que é, diga lá, meu irmão?
Ela é a batida de um coração?
Ela é uma doce ilusão?
Mas e a vida? Ela é maravilha ou é sofrimento?
Ela é alegria ou lamento?
O que é? O que é, meu irmão?
Há quem fale que a vida da gente é um nada no mundo,
É uma gota, é um tempo
Que nem dá um segundo,
Há quem fale que é um divino mistério profundo,
É o sopro do criador numa atitude repleta de amor.
Você diz que é luta e prazer,
Ele diz que a vida é viver,
Ela diz que melhor é morrer
Pois amada não é, e o verbo é sofrer.
Eu só sei que confio na moça
E na moça eu ponho a força da fé,
Somos nós que fazemos a vida
Como der, ou puder, ou quiser,
Sempre desejada por mais que esteja errada,
Ninguém quer a morte, só saúde e sorte,
E a pergunta roda, e a cabeça agita.
Fico com a pureza das respostas das crianças:
É a vida! É bonita e é bonita!
É a vida! É bonita e é bonita!

sexta-feira, 8 de julho de 2011

A Aliança Dos Opostos



(by Cinthya)

Ele é o oposto dela. Evangélico e ela espírita. Apenas 20 anos mais novo. Ela mora sozinha e ele vive na barra da saia da mãe. Ela tem o gosto dos dissabores que já provou, ele sonha com um conto de fadas. Ela silencia, ele grita. Ela sorri, ele chora. Ela impõe, ele pede ‘por favor’. Ela disse “sim” três vezes e três vezes saiu de casa com as malas nas mãos e as lágrimas nos olhos, coração despedaçado e por três vezes ele sentiu o coração acelerar por tê-la beijado na boca.

Tão distintos que poderiam viver em continentes opostos, nunca se cruzarem e um viver tranquilamente sem a presença do outro. Tão diferentes que nem nas novelas mais fantasiosas esse casal teria chance de viver algum romance.

A mãe dele condena a relação pela idade dela, a mãe dela detesta o garoto que ainda fede a xixi. Eles contrariam mais que os famosos Eduardo e Mônica. As diferenças vão além. Além também vai o brilho dos olhos dele quando a vê. É nítida a emoção, o tremor, o suor frio. O rosto dela se abre num sorriso quando ele chega, e sol brilha iluminando o ambiente todo.

Lindo ele acariciando a barriga dela, sonhando com o rostinho do bebê que eles fizeram juntos, na hora em que as diferenças não importam, na hora em que o amor grita, geme e arranha. Provando para todo mundo que os opostos não só se atraem, como se amam, como procriam , como encantam.

Toda felicidade do mundo para vocês três!

Adoro o que contraria a (a)normalidade monótona das coisas!

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Aprendendo com as crianças


É na inocência das brincadeiras infantis que aprendemos a lidar com os problemas da vida.

A peteca é um jogo divertidíssimo que fez parte da minha infância. A gente faz um esforço danado pra não deixar a peteca cair e dá continuidade ao jogo. Na fase adulta, a gente também faz um esforço danado pra não deixar a peteca cair, e não vê a mínima graça nisso.

Eu costumava brincar de uma brincadeira que na minha terra, chama-se ôno um... Um elástico esticado e a gente se contorcendo pra alcançar e fazer as manobras sem tocar no outro fio. Na vida real, existem alguns problemas que exigem de nós o esforço e a técnica de um contorcionista. Saber se sair de um problema sem tocar o "fio proibido".

A brincadeira de esconde-esconde também reflete exatamente a nossa luta para nos escondermos de pessoas e situações que nos desagradam. Tal qual na brincadeira, na vida real a gente se esconde e não quer ser achado. O primeiro a ser descoberto dança.

E o bambolê? Para quê prova de jogo de cintura melhor que a brincadeira do bambolê? Não pode deixar o aro cair, não pode perder o equilíbrio nem o compasso. Ora rápido, ora devagar, mas sempre com um movimento harmônico. O jogo de cintura é exigido do individuo durante a sua vida inteira.

A importância do brincar no desenvolvimento das crianças e a importância de saber lidar com as situações adversas durante a fase adulta estão diretamente ligadas. Se engana quem pensa o contrário.

Na minha infância, meus companheiros de brincadeira eram meus dois irmão (Carlos e Júnior), logo, não rolava brincadeira de menina, eu tinha que acompanhá-los em suas preferências.  Futebol, bola de gude, pião, pipa e apostar corrida eram as minhas favoritas. Com elas eu também aprendi muito e dessas, se formos parar para pensar também extraímos lições que são úteis para o nosso dia-a-dia. Sinto saudade da época que minha maior preocupação era esconder minhas bolinhas de gude para meus irmãos não pegarem. Detalhe: eu tinha uma garrafa pet quase cheia delas. E colocava nome em cada uma.
Ah, uma grande preocupação também era esconder o boletim da escola, só pra adiar o castigo. Esse era inevitável, adrenalina ía a mil. E estudar (de véspera) para fazer a prova de matemática. Pronto, se resumia nisso os grandes problemas da minha vida.

Viva as crianças e sua sabedoria inocente. Que possamos, além de tudo isso, relembrarmos a nossa infância, a época em que não guardávamos mágoa onde 5 minutos de bico eram suficientes para curar nossa dor.
As crianças são grandes professores. Nós é que não nos damos conta.

Beijos, pessoal!

Verônica- A criança crescida

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Para Cada Um, A Sua Vida (E Só)!

(by Cinthya)

O tempo passa, os dias passam e algumas coisas simplesmente parecem não mudar. Com tanta modernidade, com tanta abertura para se falar de tudo, com tanta gente nova transitando nas ruas a gente ainda se pega a escutar certas coisas que, sinceramente (mas muito sinceramente mesmo), gostaria que fossem extintas das mentes das pessoas.

Um amigo da família, conversava com meu pai e ouvi quando ele entrou no assunto do reconhecimento legal da união entre casais do mesmo sexo. Ele falava indignado que isso era o fim dos tempos e que tinha certeza de que as pessoas que aprovaram essa Lei não gostariam que seu filho chegasse em casa de mãos dadas com outro cara e lhe apresentasse como namorado. Que isso era uma grande hipocrisia.

Na mesma semana, eu estava com uma amiga e na hora que ela ligou a TV estava passando uma novela onde um casal gay conversava e ela disse:

- Eu não gosto de assistir isso na TV.

- Por quê? Deixa os caras serem felizes. – disse eu.

- Eu não sou preconceituosa não. Mas acho que isso incentiva as pessoas a seguirem esse caminho.

- Sei... E isso é o que se não for preconceito?

No dia seguinte, eu estava no taxi com meu filho e passava na TV o mesmo casal gay, na mesma novela. E o taxista, perdendo oportunidade de ficar calado disse:

- Isso é uma pouca vergonha. Agora a TV vive exibindo essa safadeza!

Calada eu estava... Calada eu continuei.

Agora há pouco, como se já não bastasse as pérolas que eu escutei, ouvi uma mãe (evangélica) dizer que ficou horrorizada ao saber de alguém que o Bob Esponja, em um de seus episódios, casa-se com o Patrick. No mínimo ela queria que eu desligasse o DVD, já que meu filho estava vendo o Bob Esponja e morrendo de rir de suas bobagens engraçadas.

Gente, as pessoas nunca deixaram de serem preconceituosas e o fato da TV e outros meios estarem divulgando o homossexualismo como a coisa natural que ele é só faz com que esse preconceito incubado se remexa dentro das pessoas que o têm.

Acho intrigante como isso afeta, como incomoda, como inquieta os outros. As pessoas não sabem simplesmente respeitar e aceitar a posição alheia. Elas só se contentam se falarem, xingarem, apontarem e até agredirem.

Num programa de uma determinada emissora, onde jovens repórteres entrevistam inúmeras situações, uma repórter que cobria a Marcha Gay de São Paulo foi agredida por um transeunte dito hétero. Quando ela foi interrogá-lo sobre o motivo da agressão ele disse que havia sido a esposa que agredira a repórter. E a repórter então questionou o porque a esposa dele a agredira e ele disse:

- Ela achou que você estivesse acompanhada de outra mulher.

- E se eu estivesse, qual seria o problema? – perguntou a repórter.

- A minha mulher gosta de homem!

Na Marcha para Jesus eles diziam que “Amamos os homossexuais, mas não aceitamos o homossexualismo”. Ops... ?????????

Um grande estudioso da mente e do comportamento humano, daquilo que está mais camuflado, mais escondido, mais incubado disse certa vez que: “Aquilo em você que me incomoda é meu”.

Que a gente cresça e aprenda a amar.Que a gente faça valer a nossa condição de Ser Racional. Que a gente deixe de se incomodar com a vida alheia e cuide cada um de sua vida. Que a gente viva para a nossa felicidade e deixe a felicidade do outro sob responsabilidade dele.

Que coisa mais ridícula. Em pleno século XXI e o povo com um pensamento tão pequeno!







































terça-feira, 5 de julho de 2011

Ofensas. Não Trabalhamos!


Me custa aceitar que num mundo tão desenvolvido e tão cheio de possibilidades uma pessoa se sobreponha à outra. Pior ainda, me custa acreditar que uma pessoa se torne submissa à outra. O mundo é tão grande, tão cheio de opções e de todas as opções a priorizada, sempre, deveria ser a felicidade. Estar infeliz ao lado de alguém, podendo estar feliz sozinho, não entra na minha cabeça.

Não entra na minha cabeça que uma relação possa continuar numa boa depois de uma discussão onde houve uma enxurrada de ofensas e palavras grosseiras foram despejadas sem o menor controle. E as feridas abertas por aquelas palavras, que tem o poder de ferir mais que uma faca afiada? E o sentimento que fica depois disso? Como fica? Fica deformado. Fica arranhando. Fica fragilizado.

"Eu te amo!" ou "Quero que você morra!" definitivamente não cabem no mesmo contexto. Quem ama respeita, cuida, protege e trata bem. Quem ofende, agride, machuca e acusa pode sentir alguma coisa que possa ser considerado perto de amor, mas amor, de verdade, não é mesmo!

Essas frases feitas como: "você não vale nada, mas eu gosto de você!" e "Entre tapas e beijos, é ódio, é desejo, é sonho é ternura..." só combina como música. Música de qualidade questionável, diga-se de passagem, mas gosto musical é algo indiscutível e muito relativo,  portanto, pulemos essa parte.

O casal que se ama,  se respeita, se protege e sabe resolver seus problemas sem agressões ou comportamentos estranhos e, o mais importante de tudo, não humilha a pessoa que ama. Resolvem civilizadamente seus problemas e por mais que a paciência falte o controle não é perdido. E grosserias jamais são proferidas. E se forem é numa carga de sentimento bem menor e depois um arrependimento verdadeiro e um pedido de perdão resolvem.

Relacionamento saudável é aquele que até na hora da crise o casal sabe contornar. Não perder o controle da situação e não dizer coisas, na hora da raiva, que posteriormente poderá se arrepender é a prova cabal disso. Pessoas quem amam não ficam procurando justificativa para seus erros.
Superar as adversidades é maior prova de amor e cumplicidade que pode existir entre um casal.

Observe, se na sua relação há mais ofensas que carinho, corra! Seu relacionamento está beirando o precipício.

Verônica

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Amigo É Coisa Pra Se Guardar Do Lado Esquerdo Do Peito!


(by Cinthya)

Coisa boa é amar e saber ser amado. Coisa boa é ter um, dois, três amigos verdadeiros. Pessoas que você sabe que sempre estarão à sua disposição para ajudar no que for preciso, para brigar, se for preciso, para aconselhar, se necessário for.

Eu tenho amigos verdadeiros. Amigos que serão amigos para a vida toda. Amigos que estão comigo há vinte e cinco anos. Isso mesmo! Nossa amizade completou Bodas de Prata esse ano. E eu me presenteei com um reencontro, pois há quase vinte desses vinte e cinco anos eu moro distante delas.

Mas engana-se quem diz que amizade não resiste a distância e ao tempo. Passo anos sem vê-las, mas quando nos reencontramos tudo está do mesmo jeito, imaculado, guardado, sagrado e consagrado. O amor da nossa amizade é atemporal. É lindo ver como o amor resplandece quando a gente se reencontra, como a gente se abraça forte, como a gente chora de felicidade, como a gente não se cansa de dizer que ama.

Uma das minhas amigas já tem quatro filhos e, mesmo o que ainda é criança, quando me viu disse: “Cinthya!” e o amor que a mãe dele sente por mim brilhou também nos seus olhinhos. Eu não o via há uns cinco anos, mas ele me tem guardada nas suas lembranças (que provavelmente são alimentadas por sua mãe). Isso é muito lindo e gratificante!

Os nossos filhos brincaram juntos e nós nos emocionamos com tudo, com o prazer de ver as coisas boas da vida, com a certeza de que amizade de verdade resiste e vive. Acende os nossos corações e nos fortalece.

Hoje conversamos sobre filhos, educação, maridos, namoridos, casa, trabalho, profissão e até netos. Os assuntos mudaram, o amor, jamais!

A gente se reencontra e prova que para o amor não existem obstáculos. Ele simplesmente vence e se perpetua.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

O Céu Estava Assim Em Festa...


(by Cinthya)

Noite de São Pedro e a festa continua. No arraiá o comando ficou por conta de Elba Ramalho que fez um show lindo e me deixou emocionada do início ao fim. Músicas escolhidas com um gosto apuradíssimo, letras que descrevem meu sertão nordestino com uma riqueza de detalhes que faz a gente se encher de um orgulho tão gostoso de ser sentido.
 
Elba arrasou na sua apresentação. Na certa, o melhor show desse São João de Petrolina. O show mais rico, mais junino e mais recheado de talento. Não era à toa que Luiz Gonzaga apostava tantas fichas nessa paraibana.

Para as amigas nordestinas que não puderam passar São João aqui, um beijo grande e saibam que dancei por todas vocês, que vibrei muito, que sorri muito que tenho muito orgulho dessa nossa terra. Van e Bela, beijo em especial para vocês duas.

A saudade já se instala. Saudade desse São João tão marcante, dessa festa tão bonita. Segunda-feira uma nova etapa se inicia para mim e vou me jogar na certeza de que tudo dará certo.

Saudade desse semana ímpar. Saudade de João, Antonio e Pedro, esse trio que faz de Junho um mês tão maravilhoso.

"Saudade, meu remédio é cantar!"