terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Separados Por Um Minuto




Quando eu me dei conta você já havia passado. Foi tudo muito rápido, eu tinha apenas alguns segundos para escolher. Escolher se iria com você ou se ficaria onde estava. Escolhi ficar e me arrependi. Por inércia, por falta de raciocínio lógico eu tomei o rumo errado.

Naquele momento eu não sabia que seria assim, não imaginei que, provavelmente, não teríamos outra chance. Não pensei que não poderia voltar atrás. Apenas não pensei, não agi, não fiz. Ou melhor, fiz. Mas, fiz errado. Agi errado. O tempo passou o segundo pulou, o relógio avançou e você se foi. E mesmo estando tão próximo, agora está distante e inalcançável.

As vezes parece estranho, mas eu sinto saudade do que não vivi penso como seríamos se fossemos um casal. O que faríamos juntos, como nos divertiríamos juntos. Parece loucura, mas me vejo ao seu lado rindo das suas bobagens e visualizo sua cara de bravo porque eu estou atrasada para nosso jantar. Vejo seu sorriso tenso nos minutos que precedem o encontro com a minha família, e você me acalmando enquanto me leva pra conhecer a sua. Penso no seu sorriso largo que acabou de receber uma surpresa minha e nem cabe em si de tanta alegria.

Daí me lembro que não somos um casal, e eu nunca vou calar sua boca com um beijo e nunca vamos nos beijar na chuva. Nunca vou te fazer cafuné e você nunca cuidará de mim quando eu estiver resfriada. O meu aniversário vai chegar e você não me fará nenhuma surpresa, assim como eu não vou ligar pra você no meio do expediente só para dizer que estou com saudade. Eu não vou dizer eu te amo enquanto você estiver com a cabeça deitada em meu peito, porque você não fará isso. Não passaremos tardes frias assistindo filmes românticos debaixo do cobertor comendo brigadeiro e nem passaremos madrugadas nos amando. Nossas brigas nunca vão acabar na cama, porque não brigaremos. Não brigaremos porque não somos um casal. Não somos um casal porque eu perdi o momento de falar.

É assim que a vida funciona, você faz escolhas em fração de segundos e arca com as conseqüências delas pela eternidade.Afinal, nada na vida acontece duas vezes da mesma forma. Se eu tenho esperança de te reencontrar? Talvez. Mas, de uma coisa eu tenho certeza, não será como foi da primeira vez. Minha escolha certamente não será a mesma.

Eu não sei se seríamos um casal ou teríamos apenas um caso. Eu não sei se você faria o meu tipo e eu faria o seu. Não sei se haveria reciprocidade. Só sei que naquele momento, eu tinha de escolher. A cabeça pensou uma coisa, o coração gritou essa mesma coisa e a boca disse outra totalmente diferente e quando o improvável aconteceu que é cabeça e coração concordarem a boca vai lá e estraga tudo. O resto do corpo sem controle, termina de fazer a lambança e só resta o arrependimento de ter feito o que não devia e mais ainda de não ter feito o que realmente deveria.


Verônica

4 comentários:

Gui - Descrevendo a vida, assim como ela é... disse...

Texto lindo e verdadeiro.. Escolhas são tão difíceis..

Bjs

Larissa Danielle Barros disse...

Perfeito!

Os Mosqueteiros! disse...

Por isso que eu amo taaaaaaanto este espaço!!! É um pouquinho o meu divã, também... rsrsrsrs

Vivi muito tempo com "saudades do que não tinha ainda vivido". Mas, agora, passou. Resolvi "deixar ser, pelo coração... se for loucura, então, melhor nem ter razão", a la Lulu Santos!!!

Bjos e bençãos.
Mirys
www.diariodos3mosqueteiros.blogspot.com

PS: meninas, tem indicação do Divã e selinho pra vocês, lá no Diário, tá?

PAULO ROBSON SILVA disse...

Seus textos sempre profundos, e reais!!! Sei bem que do que este texto fala!!!
Paulo Robson