quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Amanhã Pode Acontecer Tudo, Inclusive Nada!


(by Cinthya)

O Ser Humano é um complexo interessantíssimo recheado de sensações e sentimentos vários que o fazem oscilar entre a dor e a força; entre o medo e a vontade de vencer; entre o choro e o sorriso que insiste pra nascer. Assim somos nós, a criação mais intrigante e, porque não, perfeita do Criador.

Costumo dizer que nunca estamos 100% alguma coisa. A insatisfação é uma velha companheira nossa. Algumas vezes ela é apenas uma resta que atravessa a fresta de uma janela, ao fundo num cenário quase que completamente feliz. Outras vezes a insatisfação é a dona do pedaço, reinando quase que absoluta, não fosse aquele feixe de felicidade que permanece quase que despercebido no nosso cenário. E assim vamos seguindo nossa jornada.

Estou eu desfrutando de um desses meus cenários não tão felizes, não tão cheios de força, não tão entusiasmantes, mas vivendo tudo muito intensamente, já que não sei viver de outra forma. As lágrimas implorando para caírem, os braços em súplica por um abraço amigo, o coração pequenininho. Uma vontade tão grande de sair logo desses dias gris...

Então, o meu filho, que percebe de longe quando eu não estou bem, começou a conversar comigo (os assuntos de uma criança de quatro anos são sempre divertidos). Nisso ele disse “Mamãe, vou cantar uma música pra você”. E começou a cantar uma música que eu amo. E eu fiquei emocionada porque era tudo o que eu precisava ouvir. “Mamãe, me ajuda. Canta comigo”. E fazia caras e bocas cantando. Ao final me deu um beijo, disse que me amava e adormeceu. Eu cai no choro, chorei, chorei muito, lavei a alma com lágrimas. Senti-me aliviada e adormeci também.

A música que o Pedro cantou pra mim, foi a mesma música que eu cantava pra ele, todas as noites, quando ele ainda estava na minha barriga e eu, sozinha, deitada na minha cama, segurava as lágrimas e o medo de não conseguir ser uma boa mãe, de não conseguir criar bem o meu filho, de não conseguir dar conta de tudo sem o coautor por perto. Eram noites longas essas e quando o medo ameaçava tomar tudo, eu cantava pro Pedro:


“Se avexe não...
Amanhã pode acontecer tudo, inclusive nada
Se avexe não...
A lagarta rasteja até o dia em que cria asas
Se avexe não...
A burrinha da felicidade nunca se atrasa
Se avexe não...
Amanhã ela para na porta da sua casa
Se avexe não...
Toda caminhada começa no primeiro passo
A natureza não tem pressa segue o seu compasso
Inexoravelmente chega lá
Se avexe não...
Observe quem vai subindo a ladeira
Seja princesa, ou seja, lavadeira
Pra ir mais alto vai ter que suar...”

(Santana, cantor e compositor nordestino)

3 comentários:

Amélie Poulain disse...

Que coisa mais linda!!!

Ter um filho deve ser mesmo mágico...


Que bom que você lavou a alma com o choro e agora está renovada, para seguir ao lado desse rapazinho encantador que tens ai!
Parabéns, pelo pouco que já li aqui, vc tem sido uma mãe maravilhosa!

Beijos grandes,

E não se avexe não, as coisas na vida são assim, altos e baixos, cores e acinzentados, alegrias e tristezas, começos, recomeços e longas caminhadas. Mas vc estará sempre bem acompanhada!


[PêÉsse: Pedro seria o nome do meu filho, se algum dia eu tivesse um...láááá atrás, quase em outra vida...]

ZilMar disse...

nossa...fiquei muito comovida com sua estória....com a música....

essa coisa de mãe é um negócio sério...

grande abraço Cinthya...



Zil

Anônimo disse...

A ingenuidade e doçura das crianças é algo fascinante.