sábado, 6 de julho de 2013

Do Ofício de Sonhar




E foi assim que eu descobrir que eu não sou a única Monteiro que se aventura no mundo das letras. Hemes Monteiro, meu primo, me presentou com esse e outros belos poemas. E assumo o compromisso de compartilhar com vocês todos os sábados, ou um poema bonito, ou um música que eu goste, enfim... Sábado é dia de afago na alma.
Um beijo e bom sábado!

Verônica




DO OFÍCIO DE SONHAR

Dedicado a Augusto Cury e
              Dude Xavier

Tudo aquilo que existe de concreto,
Antes disso, só era um pensamento,
Era algo – etéreo – sem sustento,
Um esboço, bem vago, de um projeto.
Cada coisa, trabalho ou objeto,
É produto de um sonho acordado.
Mas, um sonho só pode ter legado,
Se trazido ao campo da ação.
Pois um sonho, sem ela, é ilusão,
Devaneio, sem saldo ou resultado.

Cada sonho é livre, como o vento,
Muitas vezes, sentimos seu efeito,
Sem sabermos, ainda, bem direito,
Onde nasce seu toque e seu alento
Para onde caminha, em movimento,
Qual seu rumo, trajeto e direção,
Seu tamanho, a forma ou dimensão,
Sua pátria; seu plano ou compromisso,
Quando chega ou parte, num sumiço,
Indo além dos limites da razão.

Grandes sonhos animam os poetas,
Muitos deles inspiram escritores,
Acalentam os gênios inventores,
Impulsionam doentes e atletas,
São os sonhos que fazem os profetas,
Darem alento aos povos oprimidos,
Esperança àqueles que, banidos,
Vão vagando por solos estrangeiros,
Sonhos, belos, libertam prisioneiros,
E encorajam a muitos perseguidos.

Sonhadores? Há tantos… Luther King,
Bach, Picasso, Van Gogh, Che, Neruda
Einstein, Disney, Bill Gates, Marx, Buda,
Lennon, Yoko, Beethoven, Bono, Sting,
Lênin, Gandhi, Cervantes e Xiaoping,
Jobs, Cury, Lutero e Voltaire
Saramago, Da Vinci e Molière,
Aristóteles, Pitágoras e Platão,
Carlos Prestes, Bolívar, Lampião,
Raul Seixas e Dude Xavier...
  
Neste mundo há grandes sonhadores
(Como eu e você e muitos mais)
Que se lançam em sonhos colossais
Ou em reles quimeras, sem valores.
Somos, hoje, bilhões de pensadores,
Transmutando o nível de energia,
Transformando os sonhos em poesia,
Em palavras, em gestos, construções,
Estruturas, esquemas, invenções,
Que preenchem o nosso dia a dia.

Dessa forma, sonhar é necessário,
Assim como, haver os sonhadores,
Transformando conceitos e valores,
Alterando o estado e o cenário.
E, sonhando, compondo o imaginário,
Vamos, todos, agindo no real.
Neste mundo, sonhar é crucial,
Reprimi-lo é algo desumano;
Pois, sem sonho, não vive o ser humano,
E sonhar é seu dom essencial.


Hermes 25/06/2013.

2 comentários:

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Oi Vevel!

Lindo o poema. Sonhar faz bem demais. Sonhando é que se realiza, é que se transforma.

Tô gostando de ver o movimento acontecendo novamente aqui no Divã.

Sobre a Calopsita, eu moro em apartamento e tem rede deproteção( dessas para criança) nas janelas e varanda. Então ele fica solto sem problema. Mesmo que eu um dia vá morar numa casa, terei que fazer uso dessa rede ou então podar as asas dele. Só que tenho dó de podar as asas então faço uso da rede.

Beijos!

Selma

Debby disse...

Oi Velll

Nossa ruim é quando vivemos sonhando, que nem euzinha aqui ! kkk

Meninas lindas de meu coração... muda o endereço do meu blog nos seus queridinhos ?
http://debbyemnossasvidas.blogspot.com.br/

Ainda quero continuar sendo queridinha ! kkkkkk

Bjs bjs bjs