terça-feira, 9 de julho de 2013

O QUE EU TAMBÉM NÃO ENTENDO



Essa onda de manifestações que tomou o Brasil inteiro e deixou ânimos exaltados, políticos preocupados e prédios públicos depredados me fez pensar em uma porção de coisas e eu cheguei a uma conclusão: Tem muita coisa que eu não entendo.

A democracia foi re-estabelecida em 1988 e desde então o brasileiro tem o direito de escolher quem lhe representa, lutar pelo que acha certo, de discordar do que os governantes fazem e de cobrar com veemência soluções que melhore a qualidade de suas vidas, dentre muitas outras coisas. Mas, nunca o fez.

Justamente agora, em 2013, 25 anos depois de conseguir o direito de escolha, o Brasil resolve se rebelar. Justamente agora quando O MUNDO INTEIRO está voltado pra cá, justamente no auge da Copa das Confederações. O Brasil resolve “acordar”. Beleza. É uma forma maior de pressão para o governo, por saber que o mundo inteiro está vendo. Só que a maior pressão veio das ruas, das pessoas e não da mídia internacional. Não que eu me preocupe com o que os países vizinhos pensam de nós, mas tudo que aconteceu, no momento que aconteceu só serviu pra piorar a fama dos brasileiros que já nem é lá essas coisas. Aí eu pergunto? Porque não fizeram antes? Já que as coisas estão mal há muito tempo.  Porque não fizeram lá na frente na época das eleições? Já que o voto é nossa maior arma.

Quando o Brasil ganhou o sorteio para sediar a Copa do Mundo a vibração foi grande por parte dos brasileiros, todo mundo comemorando, um sentimento de patriotismo e orgulho de ser brasileiro que eu nunca tinha visto antes, agora só o que eu vejo são críticas à Copa do Mundo. Antes que me execrem, repito: Não discordo da causa, só discordo da hora e de como as coisas foram feitas.

Eu moro em Petrolina, trabalho em Juazeiro, assim como centenas de outras pessoas, preciso cruzar a ponte para trabalhar e depois pra voltar pra casa, e na semana passada uma multidão de jovens revoltados resolveram interditar a ponte, para cobrar soluções dos prefeitos das duas cidades pelas reivindicações feitas. Melhorias no transporte público, meia passagem nas barquinhas para os estudantes, transporte gratuito nos finais de semana, dentre outras coisas. Mas, o carro chefe das reclamações era que devolvessem a Ilha do Fogo para o povo, tomada pelo exército no ano passado.

Nesse mesmo dia, fugindo do caos que se estabeleceu nas cidades nós tivemos que cortar vários bairros periféricos para chegar à Orla e pegar a barca pra tentar chegar em casa. Pois bem, o que eu vi foi pessoas que vivem em condições subumanas em casas de barro, com esgoto a céu aberto e luz de candeeiro. Pasmem. Em uma cidade como Juazeiro ainda tem pessoas que não têm energia elétrica e mito menos saneamento básico em suas casas. Crianças que dividem espaço com os ratos e risco de doença é iminente. Quem mora em Juazeiro e está lendo esse post, me diga, quês bairros são aqueles depois da Codevasf até sair no Quidé?

 Aí eu fiquei pensando: Porque esses mesmos jovens tão exaltados, tão cheios de energia, tomados por um espírito de revolução, não fizeram uma movimentação duas vezes maior do que aquela para cobrar dos políticos uma solução pra vida dessas pessoas que vivem à margem da sociedade em situação tão degradante? Enquanto pessoas morrem, aqui mesmo na nossa cidade, na fila de hospitais esperando socorro, onde pessoas vivem naquela situação que nós vimos, com o esgoto à céu aberto e os ratos passeando entre as crianças, onde ainda existe criança que não teve o direito à escola, os jovens vão pra ponte, atrapalhar a vida de milhares de pessoas que precisam cruzá-la, para pressionar os políticos por causa de passagem? Meia passagem pra estudante e transporte gratuito aos finais de semana? E o pior, dar testa ao exército porque querem a ilha do fogo de volta? Esperem aí. Eu perdi alguma coisa? Eu realmente não entendo mesmo.

Uma coisa que precisa ser salientada: O exército prometeu devolver a ilha ao povo assim que as Prefeituras das duas cidades apresentem um projeto onde se comprometem em manter a infra-estrutura necessária para ser uma área de lazer para as pessoas e não um ponto de venda e consumo de drogas como era num passado bem recente. Então, porque não cobrar dos Prefeitos e Vereadores esses tais projetos?

Outra coisa que eu também preciso entender, a idéia do manifesto era pressionar os Prefeitos das duas cidades, então porque não se reuniram nas portas das Prefeituras das duas cidades enquanto os Prefeitos estivessem lá dentro? Porque não os prenderam lá e só deixariam sair se apresentassem alguma solução para o que foi pedido? Será que quem idealizou o movimento acha que os Prefeitos, que moram e trabalham na mesma cidade, e não precisam cruzar a ponte, sentiram-se pressionados ou prejudicados? Com certeza não.

Gente que cobra honestidade dos políticos e recebe Bolsa Família, mesmo tendo a renda MUITO superior à que foi estabelecida pelo Governo Federal. Gente que tem emprego fixo e recebe salário como assessor de vereador, sem fazer nada, estava lá no meio com a Bandeira do Brasil em punho exigindo honestidade e lutando contra a corrupção. Eu, de verdade, não entendo.

Mais uma vez, antes que me execrem, eu quero deixar claro: não sou contra o ato de manifestação, mas realmente não entendo as causas.

Não entendo porque médicos que foram pras ruas na semana passada de cara pintada com as cores da bandeira do Brasil exigindo melhores salários e melhores condições de trabalho, e no ultimo final de semana li o relato de uma mãe que tem um bebê de 1 ano e meio que caiu do berço, ficou com um hematoma gigantesco no rosto e foi levado pro hospital, chegando lá, o médico mal examinou a criança e o liberou. Não se deu ao trabalho de saber ao certo o nome do paciente, simplesmente não ligou. A mãe contou que de dez “profissionais” dentro do hospital apenas uma médica pediatra deu a atenção que o filho dela necessitava. Brasil o País das contradições.

Enquanto uns lutam para melhorar as coisas, outros fazem questão de piorá-las e não honram o compromisso que fizeram.

Vale salientar que essa é a minha opinião, eu não preciso concordar com as outras pessoas, não sou mais burra, nem mais inteligente que ninguém apenas penso de maneira diferente. Antes de me enxovalhar, veja pelo meu ponto de vista. Se não é capaz, pelo menos respeite minha opinião.


Verônica

3 comentários:

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Oi Vevel!

Ótimo texto e com muitas verdades.

Também não entendo muita coisa e para outras entendo do meu jeito, meio torto, é claro, mas pelo menos eu tento.

Concordo com muitas questões que você levantou aqui e acho que esse é um assunto para uma longa discussão onde acredito, não haverá certos ou errados.

Não entendo muito de política, na verdade, não entendo quase nada. Mas de uma coisa eu sei: a coisa tá feia e vejo que só vai piorar.

Sobre os olhos do mundo no Brasil, pelo que li, a atitude dos manifestantes foi bem vista lá fora. Um importante jornal britânico elogiou a atitude dos brasileiros em protestar contra os altíssimos gastos da copa, criticando inclusive, os ingleses que calaram diante dos gastos astronómicos das Olimpíadas de Londres.

Tenho uma prima jornalista especialista em ciências políticas e que mora na Espanha que contou que todas estas manifestações foram bem vistas lá fora.

Eu fui contra a baderna. Eu sou contra o " jeitinho brasileiro" que na hora do pega pra capar não é honesto da mesma forma que cobra honestidade.

Fiz um texto no meu blog sobre o tal " gigante" que acordou. Se puder depois dá uma conferida.
Mas concordo com você sobre a falta de vergonha na cara da maioria de nós, povo brasileiro, que reclama de corrupção, mas molha a mão do guarda de transito, que reclama da falta de honestidade política, mas pega carona no sinal de wireless do vizinho.

As mudanças devem começar em casa, internamente. E devem ir além dos cartazes e protestos.

E eu acredito que levantar sempre esse tipo de assunto, abordando de várias maneiras e questionando, discutindo e assim, aumentando o leque de informação é uma boa maneira de pelo menos começar a entender, um pouco daquele que a gente ainda não entende.

Parabéns pela maneira como abordou o assunto. Eu também tento entender um monte de coisa e também deixo claro que é só minha opinião : )

Beijos!!!


Selma

Debby disse...

Selminha
Como sempre, seu comentário é um show a parte, não é meninas ?
Vel concordo contigo.
Eu até hoje estou me perguntando e percebendo que.
Nem sei mais o real motivo dessa onda de manifestação.
Bjs
Debby :)

Sandro Silva disse...

Parabéns Veveu, vejo que recuperou suas capacidade de escrever.
Belíssimos texto. Amei e compartilhe-os. Continue nos dando o prazer de seus pensamentos.
Bjs.