sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Um Brinde Às Mulheres Bem Resolvidas!


(by Cinthya)

O pai do meu filho é um 'quase Doutor' na arte de dar "bola fora", mas vez ou outra ele acerta em pensamentos que dizem muito sobre a realidade. Algumas vezes ele se põe a analisar a vida dos outros, como se a dele já fosse muito bem analisada (postura de homem).

Esses dias ele me saiu com outro pensamento: "Você sabia que mulheres com filhos ou que já foram casadas têm mais chances de encontrarem alguém do que aquelas que chegam aos 40 sem filhos e sem ex-marido?". Eu perguntei o porquê. Daí ele explicou que para um homem, uma mulher que chega aos 40 sem nunca ter tido um casamento ou um filho, deve ser muito amargurada e chata. Ela é logo taxada de Solteirona.

Enfim, não sei até que ponto ele tem razão (se é que a tem), mas ele expôs um pensamento que predomina na cabecinha pensante de muitos rapazes por aí.

Analisando a minha postura em relação aos homens e o que recebo deles posso afirmar que houve muita mudança na postura deles em relação à mulheres com filhos, sejam elas mães solteiras ou mulheres divorciadas. Se antes isso assustava os homens, hoje parece um atrativo, um fetiche. É como se fôssemos mesmo um "pacote completo", algo já trabalho, moldado e emoldurado. Dos últimos homens que se aproximaram de mim recebi admiração pela minha firmeza diante da vida, pela minha coragem de criar sozinha o meu filho, pela minha capacidade de estar no trabalho, em casa e ainda ter tempo pra mim mesma.

O que tenho percebido é que os homens estão aprendendo a admirar mulheres que, assim como eu, dão um duro danado para se manterem bonitas e atraentes sem deixarem de ser Mães Amorosas. Mulheres bem resolvidas que sabem exatamente o que não querem pra si. Que sabem exatamente a hora certa de dizer um NÃO. Que sabem valorizar a sua própria companhia. Que curtem abrir um vinho sozinha, ouvir uma boa música e, ao olhar-se no espelho, deparam-se com uma pessoa em harmonia, confiante e determinada.

Não falo mais que "eu jamais casarei", mas digo e repito que eu não manteria um casamento de aparências. Que para uma relação dar certo, eu precisaria me sentir muito bem nela e acreditar fortemente no seu sucesso. Sabe por quê? Por que eu já descobri que posso construir sozinha a minha vida. Eu já percebi que quando o  meu filho chorar à noite, eu posso sozinha levantar e cuidar dele, que quando o medo chegar eu posso me manter firme e buscar em mim mesma um apoio. Eu descobri que posso ter uma vida linda, mesmo sem um marido. Que posso ir sozinha ao cinema e dar muita risada.

Apologia ao Estado Civil Solteiro? Não! Afinal, quem não sonha com um amor feliz? Eu sonho, claro. O que quero é apenas explicar que, você pode ser feliz sim, ainda que esteja sozinha.


Segue o link de um lindo texto da minha amiga Flávia Werlang, Jornalista, Mãe Solteira e Mulher Feliz:


http://revistapaisefilhos.com.br/so-no-site/flavia-werlang/um-brinde-a-nos,-pacotes-completos

8 comentários:

Andarilho disse...

Eu acho que em parte, o pensamento do rapaz tem razão de ser. Isso se chegar aos "40 sem casamento e sem filhos" significar que a mulher não se envolveu, não experimentou, o que pode ser uma grande bobagem (afinal, hoje em dia, quanta gente realmente "casa", né?)

Se vc substituir esse clichê de "40 anos sem filho e sem ex" por sem ter experimentado a vida, aí sim a afirmação é totalmente verdadeira.

O Divã Dellas disse...

Andarilho... Muito obrigada pela sua exposição. É muito bom receber a visão masculina aqui no nosso espaço.
Abraço,
Cinthya

Jussara disse...

Eu admiro as pessoas que se arriscam que se entregam e que não têm medo de encarar a vida e as situações de frente.
Admiro sua coragem, Cinthya. Sua força e serenidade.
E o pai do seu filho tem razão sim. Experiência a gente só adquire vivendo.

Lília disse...

Eu amo tanto passar por aqui, porque me encontro em tantas linhas e em outras eu supro tantos medos!

Eu posso dizer que hoje tenho orgulho de mim, por ter aprendido a me virar só após o divórcio e por ter visto que eu me tornei em um mulherão e que não toleraria infelicidade à troco de companhia, mas em relação a filhos eu te admiro muito porque sempre tive medo de enfrentar isso sozinha, então é realmente admirável para mim a sua coragem e a sua forma de levar a vida!!

Grande beijo

O Divã Dellas disse...

A característica mais admirável de uma mulher é a coragem.
Ontem estávamos conversando em casa sobre isso. Minha cunhada ligou reclamando de um problema que meu irmão não resolveu, a mainha perguntou a ele como ela s virava antes do casamento porque não consegue resolver nada sozinha. Meu irmão respondeu que TODAS as mulheres são assim; dependentes. Ele quase foi linxado hahaha

Perguntamos a ele se ele esqueceu da infância dele quando nosso pai nos abandonou e nossa mão assumiu brilhantemente o papel de ambos e nunca nos deixou faltar nada.

Mulher guerreira existem poucas. Eu admiro todas elas. Gostaria de ser metade do que a minha mãe é.
Te admiro, parça! Pela sua coragem, pela sua força, por sua ternura e pelo jeito bonito que você leva a vida.
Parabéns!!
Te amo!
Verônica

Sandro Silva disse...

Se o pensamento dele está certo ou não, eu não sei. Mas eu sou daquele tipo que prefere sim ter um compromisso sério com alguém que chegou aos 40 com filhos e separação e se superou (venceu na vida); do que aquelas que chegaram aos 40 anos sem filhos, sem separação por que teve medo de ter lutado e ter sido vitoriosa.
Te conheço a poucos dias, mas já sei muito sobre você. Parabéns pela sua postura e atitude.

Debby disse...

Oi Meninas
Nossa como, como, como me fez bem ler esse post hoje e VIVAAAA.
Um brinde a todas nós MULHERES que assim como eu somos mães, donas de casa, trabalhamos fora, damos um duro enorme para administrar casa, filho(s), babá(s), contas mil, trabalho e ainda conseguimos chegar ao final do dia lindas e maravilhosas guerreiras sobreviventes... eh eh eh
Gostei de ler tudo tudo tudo..
E quero um clone desse tal de Chico Sá.. rsrs

E Cynthia não é raro também me pegar sozinha assistindo um bom filme em meu sofá... tomando um bom vinho... em minha hoje deliciosa solitude
Bjs
Debby :)
Debby :)

Flavia Werlang disse...

Amiga, não tem preço isso te poder ter um tempinho em paz com nós mesmas desfrutando o que mais gostamos (presentes nós mesmas podemos nos dar, não precisamos dar aos caras ou esperar que eles nos deem, vamos presentear a nós mesmas!), pode ser um bom vinho, uma roupa que gostamos, um chocolate dos bons... E isso entra para aqueles momentos simples e felizes. Nem sempre a companhia do outro é garantia de bons momentos, não é mesmo?Afinal, o cara pode estar em um dia chato após o trampo, de mau humor com o chefe ou tantas outras chatices e descontar na gente (UIII). Então, viva a nossa capacidade de desfrutar da nossa gostosa e boa companhia!!!
beijos, com admiração
Flavia