quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Dona Flor e Seus Dois Maridos - Versão Moderna



A Dona Flor da nossa história é uma advogada bem-sucedida, 34 anos, independente emocional e financeiramente, mora sozinha num apartamento bem localizado e com uma belíssima vista no centro da cidade, tem um escritório bacana em sociedade com mais dois amigos da época da faculdade, funcionária concursada em um emprego publico federal. E filha de pais hiper conservadores.

Flor, saiu de casa muito cedo e desenvolveu esse espírito independente. Quando saiu de casa com 18 anos e foi estudar fora, deixou a proteção da família para se aventurar em um mundo nada gentil. Passou dificuldades, foi humilhada, sofreu privações, mas de tudo isso só guardou as boas lições. Nunca vestiu a fantasia de coitadinha e nunca pensou em voltar correndo para o seio da família.

Devido ao seu jeito marrento e desprendido, Flor desperta interesse e até raiva em alguns homens. Assim, ela conseguiu "fisgar" dois namorados (vejam só vocês, a danada tem dois namorados e um monte de gente por aí não tem nenhum) e convive harmoniosamente nesse triângulo amoroso em pleno século XXI. Vadinho, o namorado mais antigo de Flor mora na capital Pernambucana e sabe da existência de  Teodoro que mora na capital do Piauí. Eles não se conhecem pessoalmente, acho que nunca nem se falaram, mas ela me garante que ambos sabem da existência um do outro. Conheci o Vadinho e ele não fez uma cara muito bonita quando a Flor me contou sobre a história deles, mas no final, garantiu que já se acostumou. Ainda arrematou: "Fazer o quê? É o preço que tenho que pagar para tê-la..." Olha que lindo!!

Ela me explicou que por ser o oposto da personagem de Jorge Amado, que aceitava passivamente as traições e bebedeiras do marido boêmio e mulherengo, ela não faz questão de se prender a "status" de relacionamento como diz ela. Quando ela começou a ficar com Vadinho ainda não conhecia Teodoro, mas sempre deixou claro que as intenções dela era apenas de aproveitar os momentos juntos.

Teodoro surgiu depois, e quando Flor o conheceu, e se interessou por ele, tratou logo de deixá-lo por dentro da situação contando sobre a existência de Vadinho e da história deles. Teodoro aceitou numa boa, claro não tinha nada a perder, e esse triângulo amoroso já duram quase três anos.

Ao contrário da personagem de Jorge Amado, a Flor moderna não divide o mesmo teto que nenhum dos dois, ambos estão bem vivos e ela os vês exporadicamente, as visitas e viagens são previamente combinadas e tudo é muito organizado. Flor me garantiu ainda que é fiel aos seus dois namorados e desde então não se envolveu com mais ninguém. Atesta a fidelidade dos seus amados e me disse com satisfação que nunca teve motivo para desconfiar nem de um, nem do outro.

Aos risos, não descartou a possibilidade de um quarteto, mas se isso ocorrer garante será muito sincera com todos os envolvidos. Fiquei surpresa com a história da Flor e admirada com seu jeito desprendido de ser e ver a vida.

Flor, você ganhou uma fã!

Desejo sorte ao trio e que essa união dure o tempo suficiente para ser bom pros três!

Um comentário:

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Eu não conseguiria viver numa relação assim...com 1 já é complicado : )
Mas também desejo sorte ao trio, o que importa de verdade é que estão feliz assim.
Beijos,
Selma.