sábado, 18 de agosto de 2012

A mulata, o vestidinho e a celeuma

Créditos da imagem Leandro Francisca


A mulata é uma mulher de temperamento forte e pavio bem curtinho. Explode rápido. Tem um namorado ciumento e louco por ela. Namorado de mulher bonita e de gênio forte tem que andar pianinho. Pode se espalhar muito não pra não atiçar a fera.

Dia desses, a mulata e o namorado iam para uma roda de samba, caprichosa que só ela, vaidosa indo e voltando, a mulata se empiriquitou toda: botou um vestidinho, uma maquiagem bafônica, mais cheirosa que filho de barbeiro. Namorado ciumento e cismado, quando viu quele mulherão com as pernas expostas endoidou.
"Vá tirar esse vestido agora, namorada minha não anda semi-nua!" Disse ele aos berros.

A mulata, muito da desaforada não deixou por menos.
"Namorado meu não manda em mim. Namorado pede. Se pedir direitinho eu até faço, mas se mandar eu faço o contrário só pra pirraçar." Foi a resposta da mulata, resposta que ela deu já se retirando e deixando o namorado com cara de pastel. Foi pro sambão com seu vestidinho micro, seu corpão e muita disposição para sambar. 

O namorado, bobo e ciumento, passou a noite bancando o guarda-gosta pra não deixar malandro nenhum tomar ousadia com sua deusa de ébano.

Moral da história 1: Ninguém é dono de ninguém. Não devemos agir como se o fosse. Ao pedir uma coisa, lembre-se: é pedir! Não exija, não imponha.

Moral da história 2: Em boca fechada não entra mosca. Se o namorado ficasse calado, não teria passado a noite brigado com a mulata.

Moral da história 3: Não devemos abrir mão de nossa personalidade para agradar ninguém. Um vestido curto não nos torna mais ou menos digna que ninguém.

Bom sábado, pessoal!!

Verônica

3 comentários:

Anônimo disse...



Impressionante como sempre acho que conheço os personagens das suas histórias!!!! rs sempre identifico as narrações com alguém que conheço bem de pertinho.... rodrigopetrolina35@hotmail.com

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Amei!!!!
Beijos,
Selma

O Divã Dellas disse...

É mesmo, rodrigopetrolina35@hotmail.com?

Algumas histórias são assim: universais. Caem como uma luva em uma par de gente... Qualquer semelhança é mera coincidência rsrsrs

Obrigada pelo comentário, volte sempre!


Verônica