sexta-feira, 25 de maio de 2012

Eu Não Preciso De Você




(By Cinthya)
Eu não sou santa. Nunca iludi ninguém com essa mentira. Adoro sair com os amigos, beber e dar risada. Gosto de sorrir. Gosto de me divertir e isso não quer dizer que eu não tenha prumo, responsabilidade, maturidade e limites. Não. Uma coisa não tem nenhuma ligação com a outra.
Quando saio pra me divertir, eu me divirto. Não tenha dúvidas. Danço, viro a noite, amanheço o dia. E isso não quer dizer que eu seja uma pessoa em quem não se possa confiar, de forma alguma. Raras vezes eu acabo os meus programas na cama (acompanhada). Não saio em busca de homens, parceiros. Saio para me divertir e tenho amor próprio na medida certa pra entender que para me divertir não preciso necessariamente findar a noite em sexo.
Então, o cara me conhece num virote desses. Eram oito horas da manhã e eu ainda estava na rua, bebendo, sorrindo, falando, dançando. Assim ele me conheceu, assim nós nos falamos pela primeira vez e eu não fiquei com ele de cara. Só com o passar do tempo ele conquistou um beijo. Depois de mais um tempo, ele conquistou algo mais.  Mas o seu ciúme sobre mim me fez cair fora. Nos separamos.
O tempo passou, ele casou, separou. Eu tive um filho, ele também. E então nos encontramos de novo. Apostamos que dessa vez as coisas vingariam, o romance engataria, o amor se desenvolveria. Mas (sempre existe esse “Mas...”), o tempo passou e ele não mudou muito... Eu também não mudei. E continuamos nos esbarrando nas nossas diferenças. Ele querendo cortar as minhas asas e eu sem saber viver engaiolada.
Por muito pouco a primeira desavença aconteceu. E essas desavenças sempre trazem consigo uma enxurrada de palavras desnecessárias, de acusações injustas, de desconfianças sem embasamento. E não precisou muito para eu perceber que não seria um bom negócio seguir adiante.
Mais uma vez optei por ficar sozinha. Mais uma vez decidi que não quero mesmo mergulhar numa relação que, visivelmente, me traria dor de cabeça e aborrecimentos. Da mesma forma que eu não vejo necessidade de mudar o meu jeito, respeito o fato dele também não querer mudar o jeito dele.  Afinal, somos livres para sermos nós mesmos.
Então é isso. Eu não aceito sabotar a mim mesma, esconder minhas vontades e verdades atrás de uma aparência apenas para sustentar uma relação que, muito provavelmente me sufocaria futuramente. Eu ainda prefiro apostar as minhas fichas na minha verdade. E a cada dia que passa, eu entendo que não tenho obrigatoriamente que ter uma pessoa ao meu lado para que a felicidade aconteça.

6 comentários:

Kamylla Cavalcanti disse...

Felicidades vamos atrás dela! E pra isso realmente não é de homem que precisamos mas de nós mesmos!
bju Cinthya bom fim de semana!

Das coisas que vejo e gosto. disse...

E eu concordo e afirmo que é verdade!
Relacionamento é coisa complicada demais. Não que o casal tenha que gostar das mesma coisas e pensar igual. Nada disso. Mas quando as diferenças causam problemas o melhor caminho é "pegar o beco", vai por mim.
Com o tempo, as cobranças pioram, as diferenças só aumentam de peso e tamanho. E a grande maioria dos homens possuem o dom de numa briga inverter as coisas e fazer com que a gente se sinta culpada.
Se não está fazendo bem, pula fora antes que a dor aumente.
Beijos,
Selma.

Cassandra disse...

Amiga, vou te dizer nada é mais valioso que a nossa liberdade no mais amplo sentido da palavra. Não se deve mudar por ninguém, no máximo nos adequamos e quando nos convém!!!!

Panelinha da Fafah disse...

Olha, vc está certíssima em não investir mais nesse relacionamento. Ninguém muda ninguém nesse mundodemeudeus!Esqueça e siga em frente que um dia vc qdo menos esperar, vai esbarrar com a sua cara metade, moldada especialmente pra vc. Mas fique de olhos bem abertos pra não deixar passar nenhuma chance por mínima que seja viu!


bjs

Anônimo disse...

Sua história me é tão familiar... que parece a minha!! sou homem... e o que escreveu... me serve pra analisar como faço a outra pessoa se sentir... é incrível como é tudo muito semelhante.. .mas nao quero que tenha o mesmo final que o seu.... acredito que o diálogo seja o caminho... pra que cada um ceda no que achar que é possível em nome da felicidade... já que felicidade é uma moeda muito cara... e cada um sabe o peso que ela tem pra si.... é a primeira vez que acesso seu blog... impressionante a forma didática..organizade..clara..conscisa...como vc escreve... PARABÉNS! rodrigopetrolina35@hotmail.com

O Divã Dellas disse...

Obrigada por todos os comentários!!!
Eu gostaria muito que o desfecho dessa minha história fosse outro... Mas, infelizmente não foi.
Eu fico muito triste quando vejo alguém apagar suas próprias cores para dar vida ao arco-iris de outro alguém.
Não quero isso pra mim...
Um dia eu devo encontrar alguém um pouco mais parecido comigo...
Hei de encontrar...
E, caso não encontre, é mais sábio ser feliz assim, sozinha...
Beijos,
Cinthya