sábado, 5 de maio de 2012

Mas eu falei sem pensar...



Coração na mão, como o refrão de um bolero. Eu fui sincero como não se pode ser... E um erro assim tão vulgar nos persegue a noite inteira e quando acaba a bebedeira ele consegue nos achar...


Eu sei que eu não devia ter dito nada. Mas eu falei sem pensar...

Existem coisas que não devem ser ditas. Sentimentos que não devem ser expostos nem sob torura. É que eu falei sem pensar...

Não me arrependo, mas não deveria ter feito. Uma carga pesada nem todos conseguem suportar... É aí que tudo começa a findar.

Como diz o provérbio "a palavra dita, não volta atrás."

Já foi. Vamos em frente. Agora é conviver com as consequências desse "erro vulgar, e quando acaba a bebedeira ele consegue nos achar..."


Que essa angústia passe logo.

Que meu brilho regresse.

Que o aperto no peito cesse.

Que você esqueça.

Que a paz se reestabeleça.


Verônica

 

Um comentário:

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Hooo , florzinha...
Tem hora que a gente fala mesmo sem pensar ou medir as consequências das palavrinhas. Eu sou a rainha do "falar e me arrepender depois".
Mas passa. E passa mais rápido pra quem ouviu do que pra quem falou.
Vai passar logo.
Beijos,
Selma.