quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Era Uma Vez Um Carnaval...

(by Cinthya)

Tenho muita história para contar. Graças a Deus, sou abençoada de lindas, cômicas e quase inacreditáveis histórias. Talvez por não ter medo de viver, talvez por saber ser feliz com o que tenho (ainda que seja pouco) coleciono pessoas encantadoras que passaram por minha vida e encantaram um pedacinho dela, tornando-se um pedacinho de mim.

Era carnaval em Salvador e eu, claro, estava lá. Era a última noite de festa. Depois de 4 dias inteiros de sol, eu estava com uma pele que não era minha, creiam. Hoje quando revejo as fotos, além da saudade me pego indignada de como me deixei tostar daquele jeito (?!?).

Enfim, voltando ao começo, era carnaval e eu estava com as amigas no Pelourinho (nunca tive grana pra sair em bloco), brincando, pulando, dando muita risada ("e hoje, sou feliz é te ver, com dinheiro ou sem dinheiro, eu me viro em fevereiro"). Sempre gostei muito de carnaval e não importa se brinco em Olinda ou em Salvador, me divirto do mesmo jeito. Estava eu pulando quando uma amiga me mostra um rapaz muito bonito, branco (quase transparente), estatura mediana, olhos firmes a me olhar. Mas ele me olhava muito fixamente. Não demorou e estávamos conversando, ou pelo menos tentando conversar (ele não falava português).

Ciclista, italiano de Trentino-Alto Ádige (uma região bela no nordeste da Itália), calmo, ele estava a passeio e encantado com o que via. De cara percebemos uma grande afinidade e a conversa se estendeu noite afora. Enquanto os blocos passavam, eu e ele conversávamos sobre Dante Alighieri e sua Beatrice, sobre Rafael, Michelangelo e tantos outros assuntos que me encantam, e a ele também. Quando percebemos, o dia já tinha amanhecido. O Bloco da Limpeza já banhava nossos pés com água e sabão e nós ainda estávamos ali, sentados numa das calçadas do Pelourinho a discorrer sobre a odisséia de Dante pelo Inferno, Purgatório e Paraíso.

Marcamos de nos ver na praia, mais tarde. Disse apenas a praia que iria e a cor do biquíni que usaria. Não deu outra, ele me encontrou e a conversa teve continuidade. Agora já não apenas trocávamos palavras, mas também beijos e carinhos, aliás, coisa muito normal para uma afinidade tão grande.

O final da tarde chegou e nos encontrou caminhando pela areia molhada. Era Quarta-feira de Cinzas e nós de mãos dadas ("andar de mãos dadas na beira da praia por esse momento eun sempre esperei"), sorriso nos lábios gravávamos na memória tudo o que podiámos gravar daquele encontro. A noite ameaçava cair e precisamos dizer 'Adeus'. Eu pegaria o ônibus naquela noite de volta para casa e ele o vôo de volta à Itália. Entrei no coletivo e o deixei ali, acenando. Lindo. Ele é lindo de corpo e de alma. Inteligente, sensível e engraçado.

Isso aconteceu há uns 6 ou 7 anos. Ontem recebi um e-mail dele dizendo que o tempo passou... Muito tempo passou, mas ele nunca esqueceu daqueles momentos tão agradáveis e sensíveis que fizeram a viagem dele valer a pena.

Foi um Amor de Carnaval, é verdade. Mas um amor diferente, puro e bom o suficiente para ser recordado sempre.

Enfim, um viva para as Histórias que compõe o nosso Livro!
Pedacinhos de felicidade dispostos num mosaico chamado VIDA!
 

7 comentários:

Olha Eu Aqui! disse...

Aii que liiindo, Ci!!

Gostoso, né? amor de carnaval . . .

Não vou dizer que já tive "amor", mas já tive pessoas que ate hoje permanecem comigo e com elas um imenso carinho.

Ahh a avenida é caminho para os encontros de amores, noooovos amores!

E para quem já viveu uma paixão ou amor de carnaval ...

♫ ♫ Eu ainda não fiz festa esse ano
Procurando o meu bem
E na vida mando flores, faço planos
Eu não quero mais ninguém.

Te escrevo, mando e-mail, telefono
Meu amor, vejo o tempo passar
De repente, dá um medo e eu te chamo
Só pra ver você chegar.

Eu vejo a vida mudar!
No Siriguella você vai me amar!
Vamos para beira do cais,
Me diga lá, bem-vindo ao mar!

E vai cantar assim!
Uma canção assim!
Que você fica à toa no meu Siriguella!
Pertinho de mim!♫ ♫

E Recife, aí vou eeeuuuu!!!


Aliny

Amanda disse...

ahhhh qdo vejo história de carnavais...
lembro dos meus carnavais!!!muitos encontros, muitas alegrias..
como é bom!!!
tenho muitas recordações boas de meus carnavais em Salvador, mais de 6 anos de curtição, muitas pessoas se passaram, e muitas que viram!!!
amores de carnaval agente nunca esquece!!!e muitos amigos que agente aprende a gostar e que leva pra vida toooooooda!!!!
E que venha o carnaval 2011, e óh vou comemorar meu niver láaa!!!! =D

Amanda Duarte

Van disse...

Noooossa que linda história mesmo, emocionante ! Tem uma amiga minha, minha madrinha de casamento que se casou depois de um amor de Carnaval, que dizem que esse tipo de amor não sobe a serra ...pois o dela subiu , estão juntos até hoje !

Eu não sou fã de Carnaval, vou confessar, por mais que ame a vida, que ame me colorir de alegria eu acho a felicidade implícita nos dias de Carnaval meio vazia, mas acho que é porque meu coração nunca se preencheu com aquilo tudo...passo sempre os dias a descansar, a pensar...mas dou a maior força para quem gosta, porque a vida passa muito depressa e todos os dias devemos celebrá-la ! Por isso não perco muito tempo para dizer a quem quer que seja o que essa pessoa representa na minha vida, a vida passa depressa e as pessoas vem e vão sempre com a mesma rapidez dela. Obrigada pela visita lá no cantinho, meninas ! Sejam sempre bem vindas ! Grande Beijo !

Borboleta no Casulo disse...

Ameiiii a sua história de Carnaval. Sempre rola umas assim ne?! Já tive algumas rs!!
Sabe vc deve tá com saudade enorme no coração, mas o bom disso td é q vc viveu, foi lindo o q vc viveu, terá histórias p contar p seus netos.
Bjss e adoroo as 2!!

Socorro disse...

É ainda não tive um amor de carnaval. Mas também tenho uma história linda de amor, na cidade de Salvador,momentos que para sempre estarão gravados em minha memória, e ás vezes um telefonema da pessoa que um dia amei tanto, e hoje guardo com muito carinho, me faz recordar dias meses afora vividos com muito amor, carinho,cumplicidade,afinidade e muita felicidades!! Amo Salvador, a melhor cidade do mundo! beijos. Socorro Morais -19/01/2011

Artur e Carlili disse...

Eu que sempre fui muito retado... um pegador nato quando era jovem e em forma!... Instinto de homem cruel (kkkkkkkkkkkk), acabo de ficar emocionado com seu relato!... Muito bonito!!..

Ana disse...

Êêêeeee!!! Essa história tinha que ser banhada com músicas da Timbalada né?
Amei! Amei mesmo sua história. Linda, romântica e boa de ler.
Se vc vier no carnaval quero te encontrar viu?
beijos