quarta-feira, 22 de junho de 2011

Perdoei, Mas Não Esqueci!


(by Cinthya)

Muitas vezes as pessoas nos machucam em determinadas situações, nos causam algum mal, algo que nos fere e nos faz sentir dor. Não morremos por conta disso, é claro. Seguimos em frente, mas o incômodo não foi de todo apagado.

Os dias passam, os meses passam e a gente entende que a pessoa errou, mas se redimiu, que falhou conosco, mas reconheceu e pediu desculpas. Nós perdoamos e nos aliviamos também, afinal de contas, carregar mágoa dá um trabalho danado!


A gente perdoa o mal recebido, mas nem sempre conseguimos esquecê-lo. E, quando menos se espera aponta de novo aquela alfinetada que nos remete ao desconforto sofrido outrora e percebemos que aquilo ainda respinga no nosso jeito de reagir a determinadas situações que a vida nos impõe.

A gente perdoa, mas não esquece e basta que a pessoa que nos fez o mal cometa um pequeno deslize e já estamos lá, segurando a onda de raiva que insiste em voltar à tona. O gatilho da memória é ativado e as palavras se aglomeram na ponta da língua, mas, se perdoamos um dia, temos que segurar a raiva, de novo.

Perdoamos a pessoa, não alimentamos raiva pela pessoa, nem mágoa... Mas não esquecemos a dor e as consequências  desse ocorrido, e embora essa dor fique quietinha dentro de nós, em determinadas situações ela reaparece.

Trabalhar isso não é fácil, mas é preciso. E ainda hei de conseguir esquecer, de fato, todos os males que já perdoei na vida. Mesmo (e principalmente) aqueles que tanto doeram (e doem). Quando fizer isso (se conseguir), terei soltado as amarras, terei limpado os resquícios desse veneno que mancha a paz de espírito.

2 comentários:

Anônimo disse...

Cinthya, por um acaso, vc mora dentro da minha cabeça? Nossa, tudo que vc escreve parace que é pra mim!! hehe #)
Adorei o texto, tudo verdade!

Beijão!

TuTwo_ disse...

Há mais ou menos um ano e meio, tive certos momentos que perdi a paciência, um descontrole total. Nunca pensei que entraria em depressão por tão pouco. Sou uma menina de pensamentos fortes, uma cabeça controlada quase certinha. Só que por simples desleixo passei a ser perfeccionista de mais, algo que antes eu não pensava que me traria tanta frustração, esqueci que também erro. Até então fui uma pessoa muito rancorosa tudo que emocionalmente me movia a guardar mágoa e ódio ali permanecia. Me acostumei a odiar pessoas que já nem se importavam mais com o que tinha ocorrido, já procuravam a própria felicidade. Deixei me levar por essa maldita tristeza, chorei lágrimas de sangue. Machucou, doeu! Mas com o tempo a gente descobre que guardar tudo isso diminui a felicidade, destrói sua ligação com a alegria e a unica pessoa que te faz feliz é atingida. Você perde! Vê que todo o stress e a tristeza te levou para baixo. E se não tivesse se importado com tudo teria todos por simples simpatia e sorriso.
Infelizmente todos nós caímos em algum momento da vida, basta ter força de vontade que aquele muro entre você e o chão diminui. Não se torna pedra aquele que chora por amor. A ilusão bate, mais não destrói, você tem a livre decisão á ser tomada, quer ou não quer ser feliz? Perdi pessoas maravilhosas, que me irritavam á maior parte do tempo e sabe... eu nunca fui de levar as coisas na brincadeira. Sempre quis agir maduramente como uma adulta. Hoje, se me resta um pingo de sanidade peço que me trate como uma simples criança, pois até a menor das criaturas tem mais amor próprio que os adultos. Um amigo um dia me disse "esquece essas pessoas, viva comigo não com elas, não me importo com elas me importo com você e com o seu lindo sorriso", me abriu os olhos, ele me fez sorrir! Já tinha esquecido bastante antes, mas tinha algum momento que eu me lembrava daquilo e o pouco ódio que ali sobrava voltava à tona. Passei a me amar mais! Tinha esquecido até de mim mesma. Nunca pensei em olhar para trás e dizer "Não me importo com o que passou" sou muito feliz hoje e tenho apenas 16 anos, para os que dizem que é apenas jovens bobinhos que não sabem o que é a vida e vive por viver, estão enganados. Aos que se salvam, não precisam passar por toda dificuldade na vida para saber o que é sofrer, só em observar sabe qual é o certo e o errado. Eu sou uma observadora de plantão! Me valorizo mais, erro muito e erro mesmo, mais aprendo com tudo. Agradeço a Deus por ter colocado na minha vida pessoas que não desistiram de mim, que confiam em mim e que me amam. Peço a Ele que ilumine todos os jovens de hoje, aqueles que ainda pensam e que possam se salvar desse mundo cheio de maldade. Um beijo! Espero que sirva de exemplo.