sexta-feira, 25 de março de 2011

Por Que Fizeste Sultão De Mim, Alegre Menina?



Por Que Fizeste Sultão De Mim, Alegre Menina?

Esse foi o título do email que recebi, passados exatos três meses do carnaval...

Isso foi no ano de 2005, eu estava em salvador curtindo o carnaval, como de costume. Nesse ano, conhecei um rapaz de Brasília, um gentleman, um ser encantador. Nos conhecemos em um camarote e todo aquele alvoroço que ocorre em um camarote num carnaval, impossibilitou a conversa e um envolvimento maior. 

Mas esse rapaz era diferente, ele era gentil, despretenciosamente solicito e atencioso, e tinha uma energia boa. Era a companhia ideal para aquele momento.
Ele estava hospedado em um hotel na Barra e eu na casa da  minha amiga em outro bairro. Trocamos telefone e marcamos um encontro no dia seguinte na praia, e assim fizemos, já na praia, a conversa fluiu mais naturalmente e mais agradavelmente, como não podia ser diferente a atração foi intensa e ficamos juntos todos os dias subsequentes.

Ele sugeriu que nos encontrássemos a noite no mesmo camarote, mas isso não seria possível, pois só fomos na noite anterior porque minha amiga como promotora de eventos tinha ganhado duas camisas/convites.

Ficaríamos ali por perto, mas não no camarote. Ao saber disso o vistante inconformado deixou claro que não abria mão da minha companhia, fez questão de comprar as camisas do camarote pra nós, óbvio que eu recusei de imediato, afinal era caríssimo acesso ao camarote, mas o predestinado cavalheiro estava irredutível, "Vamos pra pipoca com a gente" Eu sugeri, mas ele se recusou... E assim seguiu-se os dias...

O carnaval terminou, mas o romance continuou. Ficamos em Salvador até o sábado e então nos despedimos, ali seria a separação de duas pessoas que pareciam inseparáveis, aqueles dias foram realmente incríveis, mas apartir daquele momento na rodoviaria o contato continuaria apenas via email e telefone. Nem de longe, passou pela cabeça manter um relacionamento à distancia (e põe distância nisso!) Mas os planos do rapaz eram outros, não sei exatamente quais eram, mas vi que ele depositou muita expectativa nesse romance, até que um dia, percebendo o meu afastamento, ele me enviou um email com o título que citei acima e o corpo do email era a letra dessa música. E a minha resposta foi:

Título: Amor de praia não sobe serra.
Corpo do e-mail: O verão passou, já era! FIM.

Seca, lacônica e extremamente desagradável, foi assim que eu me comportei. Ele ficou revoltadíssimo, e com razão, os emails seguinte eu prefiro nem relatar. Ele me odiou por algum tempo, mas, meses depois fez contato de novo e retomamos a amizade. Graças a Deus! Porque ele é realmente uma pessoa muito especial! Não fiquei feliz quando vi que tinha perdido a amizade dele.

Mexendo nos e-mails antigos hoje, encontrei esse que me fez dar boas risadas. Aliás, ele também dá boas risadas com o episódio. 
Sempre que ouço Djavan, em especial essa música, me lembro do ocorrido. Tão bom ter boas recordações!

Abaixo, seguem música e letra.

Beijos e bom final de semana!!

Verônica.



Alegre menina Djavan
Por que fizeste sultão de mim, alegre menina?
Palácio real lhe dei, um trono de pedraria
Sapato bordado a ouro, esmeraldas e rubis
Ametista para os dedos, vestidos de diamantes
Escravas para serví-la, um lugar no meu dossel
E a chamei de rainha, e a chamei de rainha
Por que fizeste sultão de mim, alegre menina?

Só desejava campina, colher as flores do mato
Só desejava um espelho de vidro prá se mirar
Só desejava do sol calor para bem viver
Só desejava o luar de prata prá repousar
Só desejava o amor dos homens prá bem amar
Só desejava o amor dos homens prá bem amar

No baile real levei-a, tu, alegre menina
Vestida de realeza, com princesas conversou
Com doutores praticou, dançou a dança faceira
Bebeu o vinho mais caro, mordeu fruta estrangeira
Entrou nos braços do rei, rainha mas verdadeira
Entrou nos braços do rei, rainha mas verdadeira

12 comentários:

Anônimo disse...

rssss...sua resposta foi ótima!
Mas eu adoraria recer um e-mail desses de um certo alguém...
Bjs.

Malú.

Van disse...

Adoro ouvir sobre suas histórias românticas ! Lindas sempre ! Grande Beijo.

O Divã Dellas disse...

Hahahaha

Meninas, essa história foi ótima!!

Eu achei fantástica a sacada dele de associar a música ao romance relâmpago. Claro que depois ele percebeu que foi um idiota e se desculpou, eu também me desculpei por ter sido irônica e desagradável. Daí em diante vivemos felizes para sempre, uma amizade linda que dura até hoje.
Beijos, menina!!


Verônica

Borboleta no Casulo disse...

Tadinho Vê!!!!!
Aiiinn acho q se fosse cmg eu ia levar essa história adiante rsrsrs!!
Bjssss

Carla disse...

Oi Vê !!
Não dá pra por expectativas em um amor de carnaval né ?/
Mas se a amizade durar é muito legal e emocionante.

beijos queridinhas boa semana pra vc !!

Marisa Passos disse...

Vevel, é bem sua carinha essa historia...rsrs

Beijos!

Mary disse...

Gsuis, amiga... de Brasília é? Brasília é a capital nacional do divórcio, estou nessa agora, os homens de BSB tem um dom muito especial, são os maiores conquistadores da América Latina... mas facinho, jogam todo esse encanto na latrina. Vai por mim. Fizestes muito bem. Não generalizao, mas os homens daqui, a grande maioria são peças raras.. se é que me entende... Beijinhos.

Artur Costa disse...

Eu mandaria te matar! rs... Ainda mais pelo gasto do camarote!! kkkkkk

O Divã Dellas disse...

Meninas, sejam sinceras, eu agi mal?? Hahaha

Tutuca, aí é q tá, eu não pedi nada! Ele deu porque quis e eu não jurei amor eterno pós carnaval. rsrsrs

Beijos, amores!!!

Obrigada pelos coments

Verônica

Mirys disse...

Verô:

ONDE ESTÁ ESSE CARA????? Porque, se você não quiser, eu quero!!kkk

Confessa, vai: foi tão ruim assim o carnaval com ele? Por que cargas d´água você deu um corte seco no mocinho???

Adorei a história!!
Adoro histórias de amor...
Quando der, leia essa
http://diariodos3mosqueteiros.blogspot.com/2011/03/era-uma-vez-14-in-english-diario-da.html

Bjos. Mirys

Anônimo disse...

Vel, quando você me contou que havia publicado a nossa história, eu pensei: O que será que essa maluquinha vai escrever?
Mas lendo a história sob a sua ótica, com a leveza das suas palavras, eu me divirto e sinto sudade.
Fui um babaca eu sei, mas quem não perde a linha quando se apaixona não é mesmo? Para um e-mail redículo um resposta irônica.
Vel, vou tomar a liberdade de responder a Mirys, ok?
Mirys, o carnaval não foi ruim, muito pelo contrário, foi lindo, foi ótimo, foi mágico, foi intenso e inesquecível. Mas manter um relacionamento a mais de 1.000 km de distância não é mais coerente.
Com a minha vida estabelecida em Brasilia e a da Verônica em Petrolina, um romance se tornaria inviável. Agora morando em Montevideo vejo que nossos caminhos ainda vão se cruzar. Quer saber? É tudo desculpa, não namoramos porque ela não quis, ela foi quem não se apaixonou por mim rsrsrsrs
Adorei seu blog, Vel! Você e Cinthya estão de parabéns! Tiro o chapéu pra vocês!

Quem assina é o Sultão da alegre menina.

Anônimo disse...

Oi é a 2ª vez que encontrei o teu blog e adorei imenso!Espectacular Trabalho!
Adeus