sexta-feira, 21 de setembro de 2012

O outro lado da moeda


Agora, eu queria que você me deixasse mostrar a minha versão dos fatos...

Nossa história foi linda e intensa, deu muito certo durante um determinado período. O término do nosso relacionamento não foi apenas culpa minha, foi culpa nossa. Os erros que cometi eu assumo e me arrependo de todos eles, as minhas falhas me maltratam até hoje e você não faz idéia do quanto, a lembrança das vezes que fui frio, negligente, omisso e desinteressado me corroi e me assombra hoje como fantasmas numa casa do horror.

Talvez a forma como tenhamos conduzido nossa crise só pioraram as coisas. Eu fui infantil, fui imaturo, fui um completo idiota. Eu sei! Me arrependo amargamente. Mas você teve sua parcela de culpa, espero que você assuma. Sei que meu maior castigo foi ter perdido o seu amor, seu companheirismo e principalmente a sua admiração. Sei que agi mal, me comportei de forma vergonhosa e para isso não há explicações... Mas você também falhou.

Hoje é indiferente dizer que eu ou você errou, nós erramos, mas isso não faz mais diferença. Não vem ao caso e não muda nada do que aconteceu. Agora tanto faz. Deveríamos esquecer as acusações e nos concentrarmos apenas nas lições positivas que tiramos, porque essas ficaram.

Se eu te decepcionei em demasia foi porque você depositou expectativas em demasia, mais do que eu poderia supri-las. O fato de eu não ter correspondido à altura, não significa que eu não te amei, eu te amei sim, do meu jeito. Significa que você esperou alto demais e eu não pude alcançar. Seus sonhos não me deram asas, eu nunca pude voar.

Você falhou quando perdeu sua identidade para viver em função de mim, errou feio quando abriu mão de tudo que achava certo para crer no que eu cria... Você se anulou e em um determinado momento eu não te reconhecia mais, é como se a mulher por quem eu me apaixonei não existisse mais.

A mulher de outrora, tão forte, decidida, vigorosa, independente, auto-suficiente deu lugar a uma mulher frágil, dependente e subserviente. O brilho dos seus olhos se apagou.

Tudo que vivemos foi muito intenso. Nosso amor foi intenso nossas brigas foram intensas... Nossa história ultrapassou todos os limites.

 Agora, depois que tantos anos se passaram nossa maturidade é outra, nossas cabeças são outras eu vejo que tudo foi arquitetado pelo Autor da vida. Nossa perfeita simetria se mostrou até nos momentos de crise. Hoje você é minha grande amiga e uma das pessoas que eu mais admiro no mundo. O amor, a paixão, a fúria, tudo isso virou carinho, admiração e muita, muita certeza de que tudo valeu a pena.

As coisas ruins ficaram para trás e se transformaram em aprendizado, as coisas boas estão bem vivas na minha lembrança e você pode ter certeza de que sempre terá um amigo para todas as horas, um espectador na platéia vibrando pelo seu sucesso e um fã incondicional.

Pronto! Dado o direito de resposta.

Verônica

Um comentário:

Das coisas que vejo e gosto. disse...


Vocês são óóóótimas!!!!

Beijos

Selma