quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Por que nos afastamos de quem amamos?



No ultimo sábado eu tive o privilégio de me reunir com duas pessoas que amo muito: Cinthya e Artur. Depois  de um show de humor, fomos tomar uma cerveja sem álcool e pôr o papo em dias.

No meio da conversa me dei conta de uma coisa, nós sempre nos afastando das pessoas que amamos. Amigos que moram na mesma cidade e passam meses sem se ver. Filhos que moram em  outro estado e passam meses sem falar com os pais. Irmãos que passam muitos meses sem contato.

Casais que dividem o mesmo teto e se distanciam de forma até irreversível.

Recentemente estreitei os laços com uma parte da família que não conhecia, até comentei aqui quando voltei. O fato é que essa aproximação despertou em mim, algo que estava adormecido. A necessidade do contato com as pessoas que amamos. 

Eu tenho esse defeito, eu fico muito tempo sem fazer contato com as pessoas que gosto. Permito que a correria da rotina me afaste de algumas coisas que me fazem tão bem. No ultimo dia 12 foi o aniversário dos meus irmãos, ambos moram em SP e passamos muito tempo sem contato. Nesse dia, fiz questão de falar com os dois e só sosseguei quando consegui. 

O aniversário foi deles, mas o presente quem ganhou fui eu. Um enxurrada de carinho, declarações verdadeiras de amor, troca de palavras bonitas... foi tão bom! Fiquei me perguntado por que não faço isso mas vezes.

Eu tenho medo de perder as pessoas que eu amo, isso é Fato. Ao tempo em que cometo o erro de perder oportunidades valiosas de dar e receber amor, dividindo momentos bons. Tenho me policiado e decidi melhorar isso em mim. Afinal, o tempo perdido não volta, né?

Verônica

3 comentários:

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Oi Vel!

Lindo post!

Eu sempre ligo pra meus tios e primos, meu irmão , minha mãe e marido eu acho que até sufoco com tanta ligação.
Mesmo que as circunstancias da vida nos afaste fisicamente das pessoas que amamos, por variados motivos , o importante é sempre dar um jeito de manter contato.

Eu que moro nos cafundós dos Judas , sem família e amigos íntimos perto, sofro muito.

É na hora de grande aflição e necessidade que vejo quanto sozinha estou aqui nessa terra tao longe.

Beijos

Selma

O Divã Dellas disse...

Lembra que falamos sobre isso no domingo e eu te disse que daria um post? Hahahaha

Eu tenho melhorado tanto nesse sentido, Selminha... Nem te conto.

Beijos, amada!!!

Obrigada pela presença constante e por não se afastar de nós!

Verônica

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Oi Vel!

Lembrei sim.

Oxe , flor... E pq me afastaria daqui??

Muitas vezes passo por aqui pela manha, mas nao comento pq quando isso acontece abro o blog pelo celular e demora pra fazer login por ele. Então a noite eu entro pelo computador, mas sempre passo por aqui.

Beijos

Selma