quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Joguei (?) Fora As Fotos De Nós Dois...


(by Cinthya)

Estava decidida na faxina da minha "Caixa de Retalhos de Mim" onde guardo todas as fotos e bilhetes e lembranças que embalam meu coração. Decidida a mudar, desamar, desapegar e desapregar, separei todas as fotos dele e quis mesmo dar um bota fora daqueles bem dados, pra não deixar vestígios.
Lágrimas ainda rolavam vendo os bilhetes, os detalhes, lembrando da ocasião onde cada um fora feito. Encontrei um DVD e decidi assisti-lo. A cada música, a agulhada ia entrando mais profundamente no meu peito. Impossível não sentir. Tanta lembrança. Tanto desejo e tanto amor reprimido num só coração. Tantas perguntas perderam-se sem que as respostas fossem dadas. Tanta mágoa ficou guardada. Tantas palavras comprimidas num silêncio atormentador.
Olhei as fotos novamente... Pensei em colocá-las de volta na caixa, mas não as coloquei. Preciso passar essa página, fazer a fila andar. Abrir espaço para o novo aparecer. Desejar, de fato, que o novo aconteça.
O telefone toca e engulo o choro.
- Oi, Mulher Linda. Sou eu!
Estremeci e não consegui falar.
- Alô?
- Oi, estou aqui.
- Amanhã chego aí, ok? Fico 01 dia com vocês. Não poderei ficar mais que isso.
- Tá certo. - era muito difícil falar.
Guardei a caixa, mas as fotos continuaram entre a caixa de lembranças e o cesto de lixo.
Precisei ir com meu filho à farmácia. Me envolvi no mundo dele e a ida à farmácia se transformou numa aventura (tudo o que é visto sob a ótica do Pequeno Príncipe se torna uma aventura) e isso me fez pensar menos no "amanhã chego aí". Já estávamos voltando e o telefone toca. Era a minha mãe pedindo para falar com o meu filhote. Passo para ele, ele muda a fisionomia. Vejo o sorriso dele se abrindo. Os olhinhos apreensivos, nervosos olham pra mim e ele diz:
- Mamãe, vamos logo 'pla' casa. Meu Pai chegou!
Ai Deus... Cadê o chão?
Ao entrar na rua o meu pequeno avista o pai vindo em sua direção... Corre ao seu encontro. Um abraço demorado dos dois. E eu perdida nessa visão.
Depois o meu abraço, o meu beijo, o meu "Mulher Linda, Surpresa"!!!
Coração disparado...
Deixei Pai e Filho mergulhados no reencontro e entrei no quarto, apanhei a caixa de lembranças e repus as fotos lá dentro. Bem guardadas, com carinho e a certeza de que alguns elos não se desfazem. Que pode-se mudar o sentimento ou a intensidade do mesmo, mas o elo permanece, firme e não há porque sofrer com isso. Dei leveza à situação e aproveitei tudo. Afinal não sabemos nada sobre o amanhã. 
E a vida segue, as coisas acontecem (ou não)... Tudo no seu tempo.

7 comentários:

aliny disse...

Cada dia fico mais convicta que realmente as histórias se repetem, apenas o que muda são os personagens...

Também tenho uma caixinha de mim, alias, de "nós dois"(esse "nós dois" só existe mesmo nessa caixa).

Já pensei taaaantas vezes em desfazer, "desapegar" dessas lembranças, por mais que elas não habituam mais em meus pensamentos, só estão pressas ali, na caixinha.

Já olhei por diversas vezes, quando leio os cartões, as fotos, as pétalas das rosas que guardei de cada buquê que ganhei é como se passasse um filme, no preto e branco, mas um filme que vivi.

Há um mês devido a reforma no meu quarto,tive que mexer nas minhas caixinhas (Ahh tenho varias, tudo eu guardo). Quando abri AQUELA caixa que há dois anos ainda estava quardada, deu a sensação que tudo que nós vivemos nessa vida sempre vai está por fio, nada irá ser eterno, pode ser trauma, ou não. Sim, cairam lágrimas. Não foi de saudade, nem muito menos de arrependimento de ter dado um BASTA na relação ou imaginando como estaria A MINHA VIDA se ainda estivesse com ele, não, não foi isso... lembranças sempre nos fazem chorar, boas ou ruins. Lembranças é o que o VOCÊ viveu, uma historia, um conto ou simplesmente um verso.

Ahh, fiz ate um "livro em partes" da "nossa história", bonitinho, né? Foi.

Ao ver tudo que ainda estava(ESTÁ)guardado naquela caixa, ví que sou muito mais feliz.

E sabe de uma coisa?? Hoje tentarei mais uma vez repaginar o MEU livro, tirar as poeiras que ainda estão postas nas páginas, razuras ou porque não rasgar essas páginas que nem tem mais graça ler?!!

Tentarei . . .

Amanhã aviso se consegui ou não.

Beijos!

PS: Irá ser dificil desapegar, e ainda mais jogar fora esse "livro" que fiz como tanto carinho, foi feito no aniversario do 3º ano de namoro. Mas as vezes é preciso desfazer do passado para realmente deixar livre o presente ou mesmo o futuro acertar o caminho.

Melanie Brown disse...

E voce tem um elo muito precioso: O adorado filho!

(sabe que ontem mesmo remexi minha caixa?! Acho que todo mundo tem uma...)

Beijosssssssss'

Isolda Herculano disse...

Tenho também a minha caixinha, chamo de "caixãozinho", por que é um lugar cheio de restos mortais. Já pensei em jogar muita coisa que mora ali fora, algumas até joguei mesmo; hoje acho que não seria justo com aquilo que vivi. Afinal, boas ou ruins as MINHAS histórias são MINHAS e só quem poderá contar um dia sou eu mesma.

Mas nada de ficar visitando o caixãozinho com frequência, hein?!

Beijos.

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Tudo no seu tempo, sábias palavras.

Beijo grande procê e para a Vevel,

Bela - A Divorciada

aliny disse...

Ah, como rpometido . . .
NÃO CONSEGUI DESFAZER DA "MINHA CAIXINHA".

É como a Isolda falou, é dificil você jogar fora coisas que vc viveu, por mais que não faça mais importancia na nossa vida, mas ficou ali, registrada em cartões, fotos.

E adorei o novo apelido . . . "CAIXÃOZINHO" pq não, né? rs

João Fortes disse...

As fotos podem ir embora..mas e as marcas do coração???? Como serão apagadas?

ESSA É A VIDA disse...

Adoçar a Vida

Eu via as gaivotas sobrevoando o mar, com vôos rasantes, às vezes tocavam o mar levemente, como se fosse um doce beijo na água tão salgada, talvez na tentativa em adoçar o mar.
Mas o mar nunca será doce, nem as nossas vidas.
Um leve beijo, um abraço, uma palavra boa, um elogio, o amor sim o amor pode adoçar a alma do universo inteiro.
Mas o mar sempre será salgado, mas sua beleza, sim sua beleza, adoça a vida de todos que contempla sua beleza.
Por mais que sejamos salgados, mostremos também nossa beleza, para adoçar a vida de quem passa por nós

www.essaeavidaloka.blogspot.com