terça-feira, 5 de abril de 2011

A Sonhadora, A Questionadora E O Bicho-Preguiça.


Saindo da aula ontem conheci um menina, a sonhadora, ela é prima de uma colega que estuda comigo e estava esperando a prima pra pegar uma carona.
Conversando com ela, me surpreendi. Minha colega de curso disse:
- Verônica essa aqui é minha prima, Fulana, está 'se ajeitando' pra casar. Daí perguntei: 
- Poxa que lega! Mas você não se acha muito novinha pra casar não? Quantos anos você tem?
Foi quando ela respondeu cheia de si, como quem possui a certeza do quer e não faz ideia do que isso signifique:
- Novinha que nada! Eu já tenho 22.
- Você trabalha com quê?
- Sou vendedora numa loja de peças íntimas
- Ah, legal! E seu noivo, tem quantos anos e trabalha com quê?
- Ele tem 24, mas no momento está sem trabalhar, não terminou o segundo grau, aí está complicado arranjar serviço, mas ele trabalhava no escritório do padrinho.
- Trabalhava? E não deu certo lá por que?
- Aqui em Petrolina é muito quente, você sabe, né?
- Sei... (com cara de desconfiada)
- Então, aí ele era ofice boy, mas ficar em cima de uma moto nesse sol de rachar ninguém aguenta aí ele pediu pra sair.
- Mas se ele está desempregado e você trabalha numa loja, como pensam em casar? Só seu salário fica complicado para manter uma casa, você não acha?
- Acho, mas por enquanto vamos morar num quartinho dos fundo que tem lá na casa da minha mãe.
- E vão  morar nesse quartinho até quando?
- Até sair uma indenização que a mãe dele está esperando, daí ela vai comprar uma casa e vamos morar com ela.
- Mas vocês não pensam em estudar, cursarem uma faculdade para conseguirem um emprego melhor? Ter mais grana, ter o canto só de vocês? (A essa altura eu já estava impaciente e tentando disfarçar a minha indignação)
- Pensar a gente pensa, mas.... (Como quem diz, mas a preguiça não deixa)
- Hum... Então, boa sorte para vocês! (Foi o máximo que consegui dizer para não parecer desagradável)

Porque minha vontade era dizer: Vai aquietar o faxo menina, com essa história de casar. Vai estudar e ter uma profissão para arranjar um emprego bacana, vai viajar e conhecer outros estados e outras culturas. Vai traçar metas de realizações pessoais e profissionais. Ah, e avisa ao bicho-preguiça que quando ele for chefe de família vocês não poderão mais viver à sombra da sua mãe nem da dele.
Mas  finalizei a conversa por aí. Tem certas coisas que eu não entendo mesmo. Preferi silenciar

Daí me pus a pensar, como uma pessoa, nos dias de hoje, pensa em casar sem ao menos fazer uma faculdade antes? Com o noivo desempregado e ela sobrevivendo de um salário do comércio. Com que perspectiva um casal inicia uma vida morando no quartinho dos fundos da casa da mãe dela para posteriormente irem morar numa casa comprada pela mãe dele? Acho até romântico essa história de "o amor não precisa de muita coisa e blá, blá, blá..." Mas na realidade isso não funciona. Me incomoda ver pessoas acomodadas, entregues á inércia.

Eu sei que não devemos julgar, nem questionar, nem nada disso... Mas não entra na minha cabeça, eu já disse aqui um vez e vou repetir, eu não entendo as pessoas que vieram ao mundo a passeio, eu não consigo compreender um ser humano que não tem perspectiva de vida, não tem sonhos e ambições de conseguir uma vida melhor. Não compreendo que vive por viver. A vida é tão mais que isso!

Desejei sorte ao casal, desejei mesmo do fundo do coração, é porque eles vão precisar de muita sorte para enfrentar as dificuldades da vida a dois com tão poucos sonhos, planos e projetos. Confesso que se eu pudesse teria aberto aquela cabecinha para colocar um pouco de juízo dentro. Será possível que ninguém disse a ela que casamento não é brincadeira? Será possível que ela não saiba que casamento já não é fácil em outras circunstância, imagina já começando assim? Bom, tem coisas que não podemos mudar.

Continuo desejando sorte, já que nem eles desejam muita coisa.

Boa semana, amores!

Verônica

7 comentários:

Marisa Passos disse...

A vontade que dar qdo encontramos alguém pensando assim é dar aquela sacudida e dizer acorda, vc vai se ferrar lá na frente criatura, mais a gente tem até medo de falar muito pq tem pessoas que n gostam de conselhos.

Anônimo disse...

Gente...a vida se encarregada de mostrar as coisas. Eu nem perco tempo aconselhando ninguém não. Se tiver que dar errado, se os dois vão sofrer, se estão fazendo a maior burrada da vida deles, a vida vai dizer.

Ana Maria disse...

Oi, amei o blog. Vejo tanto isso nos jovens. Dá vontade de sacudir, não? Triste...abraços.

Mirys disse...

Verô:

Nem posso falar muito... casei com 23 anos. O maridinho tinha 24. Nenhum dos dois tinha emprego fixo (apesar dos dois já terem terminado a faculdade - 2, no meu caso).

Fomos morar num apartamento dos pais dele (mas só morávamos nós). E a vida se encarregou do resto. Corremos, batalhamos, esperamos pra ter filhos, estudamos mais.

Hoje, sabendo do final da história (que ele iria falecer com 35 anos), eu só agradeço MUITO a minha falta de lucidez da época em ter me casado tão cedo. Pelo menos, tivemos 12 anos juntos...

Mas, cada história é uma história, né? E é muito mais fácil opinar quando você já sabe o final...

Bjos e bençãos.
Mirys
www.diariodos3mosqueteiros.blogspot.com

O Divã Dellas disse...

Oi Parceira, vou dar pitaco no teu post! Veja, o meu irmão caçula casou com 22 anos e a esposa tinha 19. Nenhum dos dois fez faculdade. Apenas ele trabalhava. Na época não concordamos muito, mas eles casaram assim mesmo. Hoje, para calar nossa boca (rsrsr), eles têm casa própria, cada um tem seu transporte, seu trabalho e um casamento tranquilo. Enfim. Lembro que ele falou na época: "O que eu quero pra minha vida não tem que ser igual ao que vocês querem para vida de vocês.". Achei muito sábio isso. Nem todo mundo tem o mesmo tipo de ambição. Uns querem carreira e carros, outros sonham com um lar e filhos... E assim é a vida! Beijos. Cinthya

Lília disse...

Pois é, lendo os dois ultimos comentários, só posso dizer que tudo é relativo e casamento é loteria.

Eu me casei formada, ele formado, tinha acabado de passar em um concurso público com um salário bem razoável e depois de 07 anos de namoro, aguardando a vida se ajeitar para casarmos, o casamento só durou por 03 anos...

Como saber o que vai ou não dar certo?

O Divã Dellas disse...

Meninas, não me entendam mal, eu não sou contra o casamento, só não concordo quando a vida fica resumida a isso. Tenho vários exemplos de amigos que casaram super jovens e que conseguiram construir a vida juntos. Meu questionamento e minha inquietação é diante da falta de perspectiva, diante da aomodação e inércia.

Acho lindo casais que dão as mãos e constroem juntos uma vida melhor pra ambos.

Por isso, que fique claro: Não sou contra casar-se cedo, só não concordo com a acomodação.

Beijos!

Verônica