domingo, 3 de abril de 2011

Ela é Gay, e Daí?


(by Cinthya)

Uma coisa que sempre me intrigou foi o fato de uma pessoa dedicar seu tempo em se incomodar com a vida da outra. Pessoas que vivem a observar, julgar, condenar as ações e atitudes das outras pessoas, achando que têm esse poder.

Certa vez eu estava na fila do banco, e a fila era "A Fila", tipo aquela que você sabe que passará a tarde toda presa a ela. Eu tinha esquecido de levar um livro e para não entrar em desespero eu fazia exercícios de interiorização, ficava a viajar em pensamentos até que um fato me chamou atenção. Uma senhora e uma jovem avistaram uma cadeira que se esvaziara e a jovem disse:

- Mãe, senta ali, esvaziaram a cadeira.

A senhora olhou para a moça e respondeu firmemente:

- Eu sentar ali? Você enlouqueceu. Olha quem está na cadeira ao lado.

- Mãe, por favor! Se a senhora não quer sentar sento eu.

- Nem eu e nem você. Não deixo filha minha se aproximar de gente desse tipo.

Eu confesso que aquilo me atiçou a curiosidade e eu virei para ver o que tinha de tão grave na cadeira ao lado.

Gente, eu quase infarto quando vi o motivo pelo qual aquela senhora estava tão apavorada: na cadeira ao lado da cadeira vazia tinha um casal de lésbicas que estavam sentadas, conversando como pessoas normais que são.

Eu olhei para a tal senhora com uma indignação tão grande que ela percebeu e se afastou um pouco de mim. A filha dela ficou extremamente sem graça com a atitude da mãe e tentou mudar o rumo da conversa.

Eu sempre tive um leque largo de amigos. E entre os amigos encontramos velhos, jovens, ex detentos, mães solteiras (eu sou uma), piriguetes, empregados, desempregados e, é claro, gays.

Tenho amigas que são lésbicas e eu sei o que elas sofriam com a ignorância das pessoas em relação a opção sexual delas. Algumas pessoas quando descobriram, simplesmente se afastaram, deixaram de andar com elas, deixaram de ligar e tornaram-se estranhas.

Certa vez uma delas chorando me disse:

- Poxa, o que tem de errado em mim? O que em mim me torna inferior às outras pessoas? Apenas o fato de eu amar uma pessoa do mesmo sexo? Caramba, isso é um detalhe. O sexo é um detalhe bobo se comparado ao tamanho desse amor que eu sinto. A escolha é minha, porque dói tanto nos outros?

Quando íamos a alguma festa e rolava uma música que fizesse parte da trilha sonora delas, elas apenas se olhavam, mas achavam melhor não se aproximarem muito por conta das outras pessoas e ficavam ali, sufocando o amor.

Aquilo me cortava o coração. Afinal que poder nós temos de julgar o outro? Baseados em que achamos que a nossa posição é a correta e apontamos o que é diferente de nós como sendo errado? O que nos faz achar que podemos inferiorizar uma pessoa pela cor que ela tem, pela classe social a que ela faz parte ou pela opção sexual dela?

É triste e inadmissível que no mundo avançado em que vivemos uma pessoa ainda choque outra pelo simples fato de ser lésbica, gay e andar com seu parceiro na rua, resolver assuntos de banco, cartório, escola e todas essas coisas que pessoas normais (como elas) precisam fazer.

Ninguém precisa achar que a opção sexual da outra pessoa é correta, mas é imprescindível que se respeite o próximo (e isso inclui as escolhas dele), porque a intolerância já causou mal demais para o nosso mundo.

Muita gente chegou para para me dizer, em relação às minhas amigas:

- Cinthya, você andando com Fulana e Beltrana. Você não sabe o que elas são?

- Sei sim. Além de minhas amigas, de serem minhas amadas amigas, de serem ótimas funcionárias, ótimas filhas, de pagarem os impostos delas, de pagarem a conta de supermercado e plano de saúde delas , elas são gays, e daí?

7 comentários:

Assis de Mello disse...

A diversidade é a riqueza que poucos vêem. Ela amplia os limites do universo humano.

Borboleta no Casulo disse...

Cinthya sou assim cm vc: leque de amigos e entre eles gay, tanto lésbicas como homossexuais e quer saber eu adorooo eles sem distinção nenhuma. Acho eles até mais interessantes, inteligentes e culturais do que os amigos "normais" que tenho.
É ridiculo essa discriminação!!
Bjs girls!!

Analuz disse...

Que as pessoas tenham sua opinião, tudo bem... mas é preciso respeitar as difrenças...

Beijinho consciente e ótima semana a vocês...

Anônimo disse...

Orientação sexual não é parâmetro pra julgar caráter. Isso não define nada. Tem um monte de hétero FDP por aí que não vale a merda que o gato enterra.
Se Deus criou Adão e Eva é porque a lei natural da existência é homem e mulher. Se Deus concordasse com a união entre pessoas do mesmo sexo teria criado Adão e Ivo.
Mas, quem me dá o direito de julgar, condenar ou criticar quem tem uma escolha sexual diferente da minha? Tenho amigos e amigas que se relacionam com pessoas do mesmo sexo e isso não atrapalha em nada a nossa amizade, porque isso não interfere no caráter deles. Respeito ao próximo e às suas escolhas, isso que devemos propagar.
Adorei o espaço de Vocês! Voltarei com certeza!
Beijos pras duas.

Vitória

Ursula disse...

Preconceito. A pessoa preconceitusa é arrogante, pois está se achando melhor do que aquela que ela julga. Eu tbem acho um absurdo isso, o que eu procuro ver em uma pessoa é a essência dela!
Ótimo post querida, muito bom!
Beijos
ursulaferraricoach.wordpress.com

RafadeOliveira disse...

Eu acho simplesmente RIDÍCULO quem tem preconceito com pessoas de qualquer opção sexual. Um dos meus melhores amigos é bissexual e o namorado dele é gay, e eu gosto muito dos dois, eles são super legais. Cada um escolhe a sua opção sexual, e é problema de cada um quem vai querer namorar.

Bjs
Rafa
rafadeoliveira-tudosobrequalquercoisa.blogspot.com

Luz disse...

Adorei o texto, e principalmente o assunto. Assim como muitos aqui a maioria dos meus amigos são gays e lesbicas e isso não torna eles diferentes. Amo e respeito todos eles.