domingo, 24 de abril de 2011

Amor, A Sua Cueca Está No Chão!


(by Cinthya)

Outro dia estávamos num barzinho e começamos a conversar sobre relacionamentos e mudanças. Um amigo disse que nós mulheres temos o dom de prender os homens com atenção, zelos, carinhos e dedicação e quando eles estão caidinhos, a gente se transforma, vira um Bicho Papão e a coisa vai perdendo o encanto. No dia eu repliquei, claro. Defendi a classe! Mas sei que ele tem razão em grande parte do que disse, não necessariamente da forma que falou, mas basta que observe os laboratórios que tenho para ver que é mesmo mais ou menos assim que acontece (salvo as exceções, claro!).

A gente se apaixona por um homem, vive dias de intensidades sentimentais e, conseqüentemente, sexuais, e é inevitável o surgimento das benditas ilusões alimentadas. Acho engraçado porque a gente vê os defeitos, as falhas dele, mas naquele momento a gente não dá a devida importância, afinal, o que tem demais o cara comer com a boca aberta ou deixar a toalha molhada em cima da cama e a cueca no chão? Isso não é nada diante do tamanho desse prazer que ele nos proporciona. E, com o passar do tempo, a gente pode mudar esses defeitinhos dele.

Mas basta que o tempo dê uma esfriada nesse fulgor inicial da paixão (e que os hábitos do rapaz não mudem com o passar desse tempo) para que o foco de visão da gente vá mudando. Aquilo que antes era tão insignificante agora tem um peso sem tamanho. Um peso tão grande que nos deixa irritada e ranzinza. Aí a gente começa a enxergar defeito em tudo que o pobre faz, sem considerar que ele sempre fez daquele jeito e a gente fazia vista grossa, pois o foco era outro.

Acho que não existe coisa mais insistente do que mulher brigando o dia todo por conta do desleixo do parceiro. A gente briga sem nem perceber. E o parceiro, na maioria das vezes não sente culpa porque afinal ele não está fazendo nada que já não fizesse no início do relacionamento. Muitas vezes eles sorriem quando a gente esbraveja e a gente se irrita mais ainda com eles.

Semana passada a minha mãe reclamava com o meu pai pela bendita toalha molhada em cima da cama, daí eu disse:

- Poxa, mainha! Ele é a escolha que a senhora fez pra casar. Não reclama (risos).

- Mas ele não era assim no início.

- Ele não era assim ou a senhora era mais apaixonada e paciente?

 Ela caiu na risada e entregou os pontos!

Uma dica: relaxemos! Não sejamos injustas. O pobre não fez nada de inédito. Saibamos dosar, usar do bom senso. Ele é o mesmo que nós conhecemos há um tempo, o mesmo que nos deu tanto prazer, o mesmo cara da conversa gostosa, do abraço forte, companheiro nas horas difíceis. Em vez de brigar, que tal analisar o que mudou, o porquê da relação ter esfriado, da nossa paciência ter sumido e, consequentemente, ter dado brecha pra que esses 'detalhes' tomassem proporção?

Mas enquanto não se chega a um diagnóstico, não seria mais interessante ceder à birra e se atirar de novo nos braços dele? Deixa a porra da toalha molhada na cama, afinal, uma noite de amor vale muito mais. Se você gosta dele, da pele, do cheiro, da voz, então deixa ele jogar a cueca suja no chão. E aproveita que ele está sem ela, o puxa pra cama e vai ser feliz!

5 comentários:

RafadeOliveira disse...

Concordo com você que quando o relacionamente fica mais firme passamos a encontrar defeitos no parceiro que antes nem viamos. Até acho isso engraçado rsrs
Muito bom seu ponto de vista

Bjs
Rafa
rafadeoliveira-tudosobrequalquercoisa.blogspot.com

Van disse...

Hahahahaha...confesso que é muito difícil aguentar tamanha bagunça , Ci !

E o pior é o cara de pau ainda reclamar que a casa está bagunçada sem se dar conta de que 90% da bagunça em volta é dele , das coisas dele que ele chega e vai espalhando...rsrsrsrsrs...é o fim ! Mas faço vista grossa (quando não estou na TPM) e deixo lá...ele que se vire depois pra arrumar. Quando procura alguma coisa dele nunca acha mesmo , ele é quem sai perdendo !

Grande Beijo e com saudade das duas moças lá nos meus espaços. Mudei o Universidade todinho...

www.meusescritoseoutraspalavras.blogspot.com

www.universidadedesentidos.blogspot.com

Anônimo disse...

Faz parte! Tem dias que a gente mima, tem dias que tem vontade de torcer o pescoço....a diferença é que nós mulheres explodimos e brigamos com o "pobre"( que adora fazer carinha de vítima!), os homens se vingam de outra forma. O amor é lindo , o que estraga é conviver...é complicado. Tem horas que dá vontade de sumir! Isso é normal! E o homem também reclama da mulher e muuuito!

Anônimo disse...

Ahhh se fosse fácil assim! Ignorar toalha em cima da cama, sapato largado, camisa sobre cadeira. Todo o pacote cansa: _ cadê minha camisa? Cadê minha carteira? Cadê aquele comprovante que deixei aqui? e você procura e procura pra depois ouvir...ahhh tá aqui. Não é a toalha ou as perguntas de cadê isso ou aquilo. Mas é a mania de fazer você parar e se ocupar com as " coisas dele". E nessas horas amiga, eu concordo, a gente tem vontade de sumir, dá abusinho mesmo! E nem adianta a toalha na cama e o nosso " princípe " peladinho , pois não dá a menor vontade de aproveitar a cama e ser feliz, rsss.
Selma.

San disse...

minha filha depois de um tempo junto... o ronco deixa de ser uma doce melodia aos ouvidos rsrs bjs