quinta-feira, 14 de junho de 2012

Ansiedade




Dizem que a depressão é considerada o mal do século, eu não concordo! Acho que a depressão é uma das consequências negativas de uma rotina diária de atropelos e urgências.

Acho que a ansiedade é o mal do século. E eu sofro disso. Essa semana, conversando com uma pessoa que está me submetendo a um processo avaliativo, pude constatar que sofro desse mal. Sou ansiosa, imediatista, quero tudo pra ontem e em algumas vezes costumo enfiar os pés pelas mãos. Ou, como diz minha mãe: "Colocar o carro na frente dos bois". Depois me arrependo, corrijo meu erro, volto atrás, peço perdão, mas enfim... Já fiz! Queria não ter feito. Sou ansiosa sim e quem convive comigo sabe, basta ter um pouco de sensibilidade para perceber isso.

Me considero uma pessoa estável, não tenho sobressaltos nem costumo variar de um extremo a outro nos sentimentos, mas é fato que sou apressadinha. Tenho pedido a Deus pra me ajudar a desenvolver a doce arte da resiliência. Ser branda, paciente e ponderada requer uma força de vontade muito grande. Tenho tentado trabalhar isso em mim, mas confesso que não é fácil. Tenho obtido êxito em algumas ocasiões, tem valido a pena. Calar quando a vontade é de falar, me conter quando a vontade é de explodir e dissimular indiferença quando sou ferida de morte é uma tarefa complicada, mas eu sou forte. Tenho conseguido.

O fato é que conter a ansiedade é uma progressão, acontece lenta e dolorosamente a pessoa precisa querer muito e ter força de vontade para não desistir no meio do caminho. Caminhamos a passos curtos qualquer deslize e você volta pra estaca zero. Confesso que desenvolver a serenidade em mim está se tornado uma delícia.

Vai um chá de paciência aí?

Verônica

Um comentário:

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Mande logo um bule!
Sofro de ansiedade...coisa ruim demais. Ajuda é importante.
Beijos!
Já te aceitem lá no msn, viu? : )
Beijos!
Selma.