segunda-feira, 18 de junho de 2012

Tal Pai, Tal filho



(by Cinthya)
Pra mim é muito gostoso perceber as mudanças que a vida sofre. Chego a ficar emocionada quando reparo que as mudanças chegam, mas que mesmo assim, continuo perto de quem amo, dos amigos amados. Não faz muito tempo, estávamos todos numa vibe de festas, zueira, baladas, madrugadas cheias de história que recheiam o livro divertido de nossas vidas.
Hoje, chego a ficar emocionada ao perceber o rumo que cada um de nós tomou. Numa reunião esse final de semana, cheguei a ficar emocionada ao nos ver juntos de novo, mas agora com nossos filhos, nossas crianças nascidas ou a caminho. Perceber a empatia de nossos filhotes que por vezes é instantânea, por vezes nem tanto, mas que nos final das contas todos brincam e se entendem.
Ver-nos apaziguando os conflitos que nascem entre nossas crianças também é algo interessante. Cada pai/mãe mantem uma postura neutra na tentativa de fazer nossos pequenos entenderem a melhor opção de todas: socializar-se! E no nosso meio não existe esse lance de adultos brigando em decorrência dos atritos das crianças. Aqui todo mundo é grande o suficiente para entender que criança é criança e precisa apenas ser educada, principalmente com nosso exemplo de equilíbrio.
Amigas grávidas, amigas com filho bebê, amigas casando, amigas solteiras, amigos pais. É... Nós crescemos. Hoje temos família, filhos. Hoje algumas rugas povoam a nossa face, alguns fios brancos mesclam nossa cabeleira. Preocupações novas, com coisas novas preenchem a nossa mente. Mas é tudo muito gostoso.
Sinceramente, sinto-me emocionada ao nos ver assim: crescidos. Ao ver nossos filhos correndo e brincando (ora brincando, ora brigando), e nós ainda juntos a sorrir como nos velhos tempos, a planejar, a relembrar, a viver a amizade tão gostosa que habita nossos corações. Que nossas crianças possam ser abençoadas com a mesma sorte de construir amizades eternas.
E desejo muito profundamente que alcancemos a nossa velhice, e possamos ver nossos filhos com seus filhos, e possamos ainda dar muita risada, lembrar de muita coisa e dar à vida a leveza que ela merece ter. Amém.