segunda-feira, 23 de julho de 2012

O Motel


(by Cinthya)

Se eu disser “corre daqui quem nunca andou num motel”, correria quase todo mundo, inclusive eu, claro. O motel trouxe praticidade para a vida de muita gente. Um lugar chique (ou nem tanto) onde você pode ter um momento intenso (ou nem tanto) com o seu parceiro, sem precisar estar em casa. Eu já fui a motel apenas para conversar, já fui para dormir e, óbvio, já fui fazer também aquilo para que o motel foi feito. Eu, e muitos, muitos, muitos outro s casais já passaram por lá.
Então, se a gente for analisar friamente, o motel é um lugar higiênico? Não. Não é. E ainda bem que na hora do “vamos ver “, na hora do “fogo da paixão” a gente não pensa muito nesses detalhes. Não pensamos em quem deitou ali antes de nós, se os lençóis foram de fato trocados, se são bem lavados, se tudo é desinfetado, enfim. A menos , é claro, que se ache um fio de cabelo na cama onde vocês nem deitaram ainda. Então, recepção acionada. Troca de lençóis ou troca de quarto, ou ainda, troca de motel.
Eu não entro em banheira de motel. Não é frescura (ou pode até ser). Mas usar uma banheira que sei que é usada por muitas outras pessoas, por muitos outros casais que fazem sexo ali dentro...Hum hum... Não me desce redondo essa ideia. E a isso se acrescenta a facilidade com que uma mulher adquire inflamação ou algum outro desagrado.  Não. Definitivamente não dá.
Mas, há uma saída para usarmos a banheira, se não a temos nem na casa dele, nem na minha (e o motel substitui a vaga do que seria a “casa nossa”). Em certo episódio da Grande Família, a Nenê (Marieta Severo) e o Lineu (Marco Nanini) foram pro motel com o mesmo pensamento que eu sobre a higiene e, como não são bobos, levaram todo material de limpeza e higienizaram tudo antes de usar. Parece loucura? É não. Eles não são os únicos. Não é somente ficção, podem acreditar.
Essa é a saída para que eu possa fazer uso daquela banheira enorme e linda, com aquela iluminação perfeita, com aquela música deliciosa, com aquele vinho maravilhoso, com aquele parceiro incrível. É assim. Para tudo a gente acha uma saída, nem que o preço seja um mico desses: entrar no quarto de motel com balde, cloro, pano de chão, rodo, etc, etc, etc... E só depois de tudo devidamente higienizado, se entregar às delícias do prazer.
Tudo pelo amor (e pela saúde, claro!)!

3 comentários:

Anônimo disse...

Dá até pra usar uma fantasia erótica de empreguete e deixar a imaginação fluir...

Ótima dica!

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Oi Cinthya!
Aconselho usar banheira de motel mesmo não. E muito cuidado com chão onde se pisa...já ouvi cada história...depois te conto : )

Mas o comentário do(a) anônimo foi animado, né? rsss

Beijos!
Selma.

Anônimo disse...

Cade vc hein ???/
Aparece... Ou vou criar o Diva delles, e tera concorrencia (dificil conseguir isso)rsrsrs...