quarta-feira, 18 de abril de 2012

Meu Nome É Liberdade


(by Cinthya)

Um dos maiores presentes que Deus deu ao homem quando o criou foi o seu livre arbítrio, a condição de escolha, de opção ou ainda, como prefiro chamar, a liberdade. Liberdade de seguir ou de ficar. Liberdade de querer ou recusar. Liberdade amar ou odiar. Liberdade de pedir ou doar. Falar ou calar. Chorar ou sorrir. Gemer ou gritar.
Poucas coisas me definem tão bem. Em poucas palavras eu encontro tanto de mim. É como se eu fosse a incorporação dela, a Liberdade. Dessa forma, não gosto de correntes, tenho pavor a elas. Não gosto de ser obrigada a nada. Gosto da escolha.
E assim eu sou em todos os campos. Assim eu sou em todas as áreas da minha vida. Quando quero, estou junto, amo, me dedico. No entanto, acabando o sentimento, se eu não me sinto mais feliz, então eu sigo. Numa boa, na normalidade, explicando que um ciclo foi fechado. Em contrapartida, se o meu sentimento não acabou, mas o dele sim, vou respeitar, vou chorar, vou sofrer, mas vou respeitar. Não vou insistir.
Uma coisa que a vida me ensinou foi saber a hora de tirar o time de campo. Reconhecer a derrota e aprender com ela. Saber que existem dois extremos e que nunca permaneceremos em um somente. A vida nos obriga a alternar. É inevitável que venhamos a estar nos dois. Um... Depois, o outro.
E livre eu continuo pensando, seguindo, vivendo. Choro e sorrio. Amo e desamo. Fico e vou embora. Grito e me calo. Vivo, vivo, vivo até que um dia não possa mais viver. Quero é sugar dessa história tudo o que puder. Quero beber da vida tudo que me for permitido. Quero chegar ao fim com a certeza de ter feito tudo o que podia para ser feliz. Não quero nenhuma página em branco no livro da minha história. Não quero nenhuma linha sem palavras e nenhuma palavra sem sentimentos.
Quero tudo. Quero o intenso. Quero a vida. Quero a liberdade que me foi dada um dia e que ninguém, jamais, tirará de mim. E que possamos todos viver em liberdade. Ainda que juntos, livres.

2 comentários:

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Liberdade é bom demais!
Tava com saudade daqui...beijos, flor!
Selma.

Kamylla Cavalcanti disse...

♪Viver e não ter a vergonha de ser feliz♫
A vida por si só já é uma chance!
bjs meninas!
www.cronicasdeanjos.blogspot.com