sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Do Meu Jeito


(by Cinthya)
Uma coisa que gosto de fazer na vida é ser o que sei ser, fazer o que quero fazer, dizer o que quero dizer. Se eu gosto, eu falo. Não vejo motivo pra guardar sentimentos escondidos dentro de mim. As minhas amigas não podem reclamar da falta de “eu te amo” na vida delas, pois não tenho receio nenhum em demonstrar o amor que sinto.
Não adianta me desculpar. Eu sou intensa. E acho normal que as pessoas saibam o que sinto. Acho normal chegar no pretendente e dizer, ainda que através de um texto, que estou louca com vontade de tê-lo. Pra mim isso é tão natural quanto ir ao shopping fazer compras ou chegar da caminhada e beber água gelada.
Na maioria das vezes esse meu jeito natural de demonstrar as coisas deixa as pessoas totalmente desnorteadas, sem jeito, sem saber o que fazer ou falar. E eu adoro isso. Adoro fazer os outros corarem, adoro fazer as pessoas tremerem na base, desestruturar. Gosto de tirar-lhes dos trilhos, deixa-los sem graça, sem saber como agir ou reagir.
Estou sempre preparada para o sim, da mesma forma que estou preparada para o não. Sou flexível e no final das contas o que importa mesmo é a forma como fiquei marcada na vida das pessoas, é a imagem que trago delas, coradas, sem jeito, sem saber o que falar diante de minhas declarações.
Sou espontânea e não tem jeito de mudar isso. E, cá entre nós, acho muito bom mexer nas estruturas alheias, tirar as pessoas do seu foco, ainda que por alguns instantes, fazer-lhes sentir uma pontada na barriga ao se deparar comigo totalmente entregue. Gosto de estremecer as bases. Isso é muito bom.
Não deixo um desejo passar batido. Pode até não ter dado certo (a outra parte pode até ter caído fora) mas não por falta de coragem minha em investir. Não tenho frescura com isso. Se eu quero, eu falo. Se der certo, maravilha. Se não der, pelo menos tentei. E assim vou construindo minha história cheia de situações engraçadas e, antes de qualquer coisa, cheia de VIDA.
Então, desculpa se eu te deixei sem graça, sem rumo, corado, sem saber como agir, pisando em ovos, fugindo, encabulado, confuso... Desculpa, mas eu juro que a intenção era exatamente essa. É assim que eu sei levar a vida, com intensidade. E é muito, muito, muito gostoso. Por isso, também, não tenho intenção nenhuma de mudar.

7 comentários:

Larissa Danielle Barros disse...

Como sempre Perfeito!!

Beijos!!

Helena Resende disse...

Um belo texto! :)

O Divã Dellas disse...

Larissa, mais uma vez muito obrigada. Você é muito bem-vinda, viu?



Helena, obrigada pela visita. Abraço!

Cinthya

Larissa Danielle Barros disse...

Obrigada!

Calu disse...

Natureza pessoal já está assim definida: pessoal, portanto ser do jeito que se é.Ponto.
Mas tua declaração me fez pensar, Cinthya em um viés profissional que poderia lhe ser atrativo, a direção artística.Talvez??
Bom fim de semana p/ vcs.
Bjkas,
Calu

Jane Quintela de Carvalho disse...

Oi... eu também penso e sou assim, não sei ser pela metade... bjosss!!!

O Divã Dellas disse...

Calu,

Falou e disse... Direção artística seria, com certeza, um campo onde eu trilharia um caminho de sucesso.!!!

E... Quem sabe eu consiga chegar lá!!!

Beijos.



Jane,

Nada de metades por aqui, correto? Rsrsrrs

Abraço,



Cinthya