quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Good Luck!


(by Cinthya)

Então alguém adentra seu mundo e se sente muita à vontade nele. É bem recebido, é bem tratado. Recebe todas as regalias a que pessoas Vips fazem jus. E a harmonia que esse entrosamento traz justifica seu desdobramento em satisfazer quem tanto bem lhe faz.

As portas estão abertas para esse ser, não existem segredos nem lugares onde ele não possa adentrar. Tudo o que é seu, é dele também. Os laços se estreitam a tal ponto que você nem consegue mais destingüir uma vida da outra. É como se a vida à dois ocupasse todos os espaços possíveis. Por ser bom, você se deixa acomodar. Afinal de contas, quem não curte ter ao lado um “alguém para chamar de seu”?

É. Tudo corre bem. Tudo está firme, certo e acertado. Justo e ajustado. Até que numa bela manhã, o ser tão amado, resolve quebrar o elo e transgredir as regras naturais do jogo da convivência. Ele pisoteia no jardim sem se importar com fato de suas rosas preferidas estarem lá. Ele apunha-la seu sentimento e sua confiança de uma forma tão brusca que você nem tem como se defender.

Poucas coisas são tão delicadas quanto o fato de você precisar digerir a decepção vinda de um ser amado. Alguém que teve carta branca para entrar em você e transformar tudo em sua volta, em seu interior. Alguém que gozava de sua total confiança e de quem você sempre recebeu segurança. Exatamente esse alguém resolve, de uma hora pra outra, mudar a rumo das coisas e pouco (ou nada) se importando com você, dá vazão ao seu desejo e consegue quebrar o elo construído, o castelo erguido, a história escrita com letras douradas.

E o que há de se fazer? Nada. É preciso respeitar o livre arbítrio alheio, ainda que isso signifique ver partir a pessoa que você mais queria ao lado. A liberdade é o maior tesouro do ser humano. A questão não é essa. A questão é a forma como se faz, é a falta de clareza, é a falta de respeito e de diálogo. A questão é o descaso. Doer doeria de qualquer forma, mas talvez a dor fosse menor se tudo se desse de forma honesta.

Então você fica só com a sua ferida aberta, com os restos dos sonhos, com as lágrimas abundantes, com a dor dilacerando tudo. Fica difícil sorrir. A sensação de abando é terrível. Sentir-se rejeitada mexe com as estruturas mais profundas do ser. É um campo delicado e só quem já passou por isso entende.

Aceitar o que não se pode mudar e mudar o que está ao alcance é um começo. Aos poucos a luz vai voltando, aos poucos as feridas vão se fechando. Você segue decidida a ser feliz e não investe nem um segundo do seu tempo desejando o mal a quem tanto mal lhe fez. Muito pelo contrário, o que você quer é que cada um siga seu rumo e que o passado fique lá atrás, no passado.

No entanto, não peçam que o amor seja retomado, não peçam que se possa ter um convívio harmonioso como se nada nunca tivesse acontecido, que não se estoure diante de um pequeno insulto, por menor que seja. Não esperem que a confiança seja de todo refeita. Não. Estamos falando de Ser Humano. E cada história é uma história. Cada dor é uma dor.

Quero que ele seja feliz, do fundo do meu coração. Quero que fique bem, mas que isso aconteça bem longe de mim. Juro que não desperdiço nada do meu tempo remoendo o passado. Juro que não futuco as feridas. Mas, não esperem de mim uma santidade que não me cabe. Talvez um dia... Talvez.

Eu soube engolir as minhas dores e segui em frente. Nada mais justo que ele faça o mesmo. Respeite minha vida, minha estrada e minhas novas escolhas. Aceite que ele não está mais incluído nelas. Meus olhos enxergaram novos horizontes e você, Baby, vai ter que aprender a conviver com isso... Aliás, melhor falando: se vira!

Se eu consegui, você também consegue.

Good Luck!

8 comentários:

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Cinthya, postagem perfeita. Gostei muito e acho que é assim mesmo que se deve agir. Tanto o homem quanto a mulher se não quiserem ter maiores problemas devem ser felizes beeeeem longe um do outro. Nada como um dia após o outro (e um sábado e domingo prá descansar, rs...rs).
Muito bacana essa postagem. Uma aula de vida.
Beijo no coração
Manoel

O Divã Dellas disse...

Manoel, adoro seus comentários. E é bem assim mesmo, algumas vezes o melhor é a distância e isso não quer dizer que não tenha existido perdão. Mas entendo que nem sempre o perdão traz consigo o esquecimento não é mesmo? Sejamos felizes, cada um na sua estrada.

Abraço,

Cinthya

O Divã Dellas disse...

Eu acho lindo sua capacidade de se recompor e se reestruturar. Acho lindo, sua capacidade de recomeçar, mesmo com o coração partido você se mantém ali, firme, sorrindo... Tal qual uma fênix vc renasce das cinzas é quando mais se quebra que vc mais se remonta. O mais bonito ainda é saber que isso é mérito pra poucos, passei por uma tempestade também e cheguei do outro lado sã e salva e sei que não é fácil.

Você uma guerreira, minha Parça! Eu tenho MUITO orgulho de você!

Um beijo!

Verônica

O Divã Dellas disse...

Minha Parceira, você bem sabe de tudo que passei... Você bem sabe... Mas a gente busca forças e se recupera... Acho bem mais prático levantar do que permanecer caída. O que facilita as coisas é saber qeu tenho amigas com SuperBond a disposição para me ajudar a colar os pedaços... E assim vamos construindo o mosaico da vida, não é? Beijo imenso de quem MUITO tem ama.

Cinthya

Mário Pires disse...

Há encontros e desencontros, amores e afetos, carinhos e emoções, brigas e confusões. As vezes o "amor" não é recíproco em gestos, palavras e atitudes e "sonho" são desfeitos. Mesmo com as dores, ainda que engolidas a seco, a vida continua. "A chuva pode durar uma noite inteira, mas o sol vem ao amanhecer" - a noite pode ser muito mais longa do que se imagina... mas um dia o sol brilhará, para ambos! Fiquem bem, e sem mágoas... Grande abraço!! Mário Pires

O Divã Dellas disse...

Mario, a minha dúvida é justamente saber se o simples fato de não desejar o mal, de querer sinceramente que a pessoa seja feliz, mas sem esquecer o que passou significa ou não perdão. Beijos e não nasci pra mágoas, pode crer.

Cinthya

Mirys + Guigo + Nina disse...

"Se vira"! Adorei!!! Perfeito final para um perfeito post! Rindo sozinha, aqui...

Bjos. Mirys
www.diariodos3mosqueteiros.blogspot.com

O Divã Dellas disse...

Mirys, sua linda!!! Falei em vc há pouco com a minha irmã... Que saudade... Quanto ao texto, pois é... Se eu sobrevivi, ele também há de sobreviver... Beijos enoooormes!