domingo, 27 de fevereiro de 2011

Há Três Anos...



(by Cinthya)

Era 27 de fevereiro de 2008. Eu já estava em trabalho de parto, mas como não sentia dores, contrariei todos e fui trabalhar normalmente. Mas o negócio apertou e eu interfonei para o meu gerente:

- Você pode nos ceder a chave do carro?

- Para quê?

- Preciso ir alí, "ter menino"!

Ele saiu da sala, abandonou a reunião e veio sem uma gota de sangue... Todo mundo nervoso, apressado, tenso. Eu era a única que mantinha a calma (contrariando tudo, como sempre). Me levaram para o ocnsultorio do meu médico. Depois do toque, fui em casa apanhar as malas, almoçar e seguir para o hospital. Mais um toque e então eu chorei porque o parto não seria normal. Eu queria normal. O médico disse que seria cesariana. Como ele tem mais poder e conhecimento do que eu, a voz dele prevaleceu.

Nunca vi nada tão tranquilo como a cirugia a que fui submetida. Tudo deu certo. Foi tudo muito rápido. A mão do pai segurando a minha, a voz dele me acalmando (mas ele estava muito mais nervoso que eu).

De repente uma pressão na minha barriga (nada de dor) e ele me faz um sinal de positivo, demora um pouco e eu escuto o choro. A voz do meu filho ecoou naquela sala, invadiu cada milimetro de espaço. Adentrou meus ouvidos, invadiu minha alma, preencheu-me de tudo de bom que há no mundo... E o trouxeram para mim, eu não me movia, mas o beijei, senti seu cheiro, vi seu rosto. E eu chorava, chorava um choro tão diferente, as lágrimas inauguravam a nova etapa da minha vida, aliás, a minha nova vida que seria completamente diferente. Completamente completa.

Tudo agora era diferente, a começar pelo tamanho do absorvente e da calcinha... Caramba!!! Eu não era mais a mesma, e estava muito confortavel nessa minha nova vida. Os meus seios  começaram a encher e encher quase que automaticamente (o sutiã também era bem diferente, bem diferente). 

Na primeira noite eu não dormi. Passei a noite toda olhando para o bercinho, para meu filho... Eu tinha medo de dormir e depois acordar e ver que tudo aquilo era apenas um sonho. Eu não podia perder tempo dormindo, tinha que viver tudo. Eu me sentia plena. Era como se eu tivesse nascido já esperando aquele momento. Sai do hospital levando meu filho nos braços, nem parecia que eu estava "costurada (aliás, costurada não, colada!)".

"Eu sou mãe (eu levava essa placa num sorriso)!"

Chegar em casa com o meu filho nos braços foi outro momento marcante. Era adentrar a minha vida antiga trazendo o novo comigo. Foi uma emoção destacada essa! E daí pra cá, tudo é aprendizado. Todas as etapas, as descobertas que vivemos juntos. As dificuldades de ser mãe solteira, os prazeres de ser mãe solteira, as delícias da maternidade, os medos, as incertezas. Ver o mundo sob a ótica do meu Pequeno Príncipe, entender  cada fase dele, saber conversar de igual para igual, receber todas as declarações de amor que uma mãe pode receber (e todo dia ouvir que sou a mulher mais linda do  mundo, mesmo estando descabelada). Ser criança de novo, abraçar o novo e saber que posso reinventar tudo, mudar as cores e melhorar cada vez mais o mundo a nossa volta.

Ensinar os príncipios ao meu filho com o meu exmplo, fazer dele um ser humano digno e amoroso é a missão de minha vida e eu luto a cada dia para alcançar isso. Se eu puder colocá-lo na melhor escola, o colocarei. Se eu puder pagar a melhor faculdade, pagarei. Mas o que tenho como obrigação é fazer dele uma pessoa feliz, livre e que saiba valorizar na vida o que, de fato, importa. Desde o ventre nós conversamos sobre isso. Sobre os valores, sobre ele amar as pessoas e ser uma pessoa diferente, fazer o bem.

Eu não sei se estou conseguindo, mas quando pergunto se ele é feliz, ele responde:

-Não. Sou é MUITO feliz!

Pedro é o presente meu para o mundo!

13 comentários:

Borboleta no Casulo disse...

Pela sua sensibilidade nos posts eu vejo q vc é uma mãezona, acho q qd eu tiver o meu serei assim cm vc!!
Bjs e Parabéns para o Pedro

Zil Mar disse...

Que lindo!!!!

Felicidades pra vc e para o Pedro!!!!!!


tem presente pra vcs no:http://paginasdelembrancas.blogspot.com

bjo e boa semana!

Zil

'Gui" disse...

Como é lindo ser mãe, solteira então, é uma luta diária, é ser Guerreira todos os dias, e acordar para lutar e saber que você terá que vencer, e ter certeza que tem um anjinho ali te esperando ao voltar para casa, e saber que alguém te ama, simplismente pelo fato de te chamar de Mãe...
Parabéns pra vc e pro Pedro...

O Divã Dellas disse...

O Pequeno Príncipe é uma doçura de criança. Ver ele dizendo pra Ci: -Mamãe, eu te amo pla semple! É impagável.
Vê-lo dizer pra dinda: -Dinda, te amo chuchua! é de derreter qualquer coração. O Pequeno Pedro é lindoooo!!!!
Estar perto dele deixa qualquer um diferente.
Beijos, Ci!

Parabéns pro Pincipezinho!

Verônica

Cáh disse...

aii que coisa mais linda!!!!


Esta placa 'eu sou mãe' ainda está aí não é?


ah, e belissima foto.


Beijos

Vanessa disse...

Que amor!

O meu também é Pedro!

Lindo!

Bjs

Van disse...

Eu um dia quero experimentar todas essas sensações da maternidade também !

Hoje estou feliz por você e pelo seu Pequeno Príncipe e com certeza você é a melhor mãe que ele poderia querer , flor !

Grande Beijo !

Ana disse...

Se o pequeno príncipe é lindo é porque a mamãe, a dinda, as tias corujas (tipo Verônica) fazem dele um ser lindo. Como Cinthya disse, mais importante do que a melhor escola, são os valores que vcs passam pra ele.

Ps. Meninas estava com saudades, hj acordei menos "arredia" e resolvi dar uma passadinha aqui. E olha que post lindo eu encontro??? Acho que os meus anjos me guiaram... Estou feliz e bem mais tranquila com a avalanche de sentimentos que tomaram conta de mim no último mês. Hoje completo 11 semanas e todo o risco está acabando, acho que por isso me sinto bem mais feliz porque o meu baby já é muito amado por essa mãe meio torta que ele escolheu.

beijos e aparecerei mais vezes!

Mariazita disse...

A felicidade escorre por este post!
A verdade é que não há nada que se possa comparar ao acto de ser mãe.
É uma alegria única.
Pelo teor do texto vê-se que essa placa "eu sou mãe" continua pregada no seu rosto. E dificilmente sairá de lá...:)

Desculpa eu ter entrado assim sem ser convidada :) mas vi uma criança, despertou-me a atenção e não resisti.

E vou fazer-me vossa seguidora. Se quiserem fazer o mesmo dão-me muito prazer.

Ursula disse...

Ai querida, como te entendo, qdo olho pra minha bebezinha eu penso "nossa, fui eu que fiz!!!!". Ai, não tem amor maior.
Post lindo!!!!!
Beijos
ursulaferraricoach.wordpress.com

My disse...

Parabéns!!!ser mãe é uma graça...espero que a alcance um dia...
bjs flor*

Carla disse...

Ai que lindeza Cinthya !!!
Esse é o amor mais incondicional que existe.

Parabéns pra você e para o Pedro todo lindinho !!

Cassandra disse...

Ah... Pedro!!! Titia 'batata doce'!!! te ama muuuitooo!!!